domingo, 10 de dezembro de 2017

Caminhado pelo ufano até a cadeia

Acertada a fala de FHC a respeito de Lula e a campanha de 2018, quando diz “Prefiro combatê-lo na urna a vê-lo na cadeia”.

Eu que sempre combati a forma de ver e fazer política do PT e do seu líder maior, Lula da Silva, concordo plenamente, e acrescento ainda que, sobe seu governo, tivemos um grande avanço na área social, com isso criou-se a expectativa, mas hoje frustrada, de dias melhores.

Como disse, a forma de fazer política foi o erro do PT e de seus líderes, principalmente quando de cooptação dos partidos e pessoas, visando o engrandecimento da base de apoio, ficando claro que a imagem ufana do país, tinha como finalidade o crescimento desmedido de um líder egocêntrico e populista.


De Julio Cunha

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

O descarado tango de Brasília


O fato de José Dirceu (ex-ministro da Casa Civil, no governo Lula) está na festa de aniversário da sua mulher, entre convidados e amigos, curtindo um samba, com muita animação e dança, não é motivo para que nós cidadãos, contribuintes e eleitores venha a se bestificar com tal espetáculo de uma vida privada.

No episódio podemos encontrar personas que foram julgadas e condenadas no processo legal por crimes graves, apontados no escândalo do Mensalão, e Dirceu a dançar, em meio a reincidência dos crimes imputados sobre ele, hoje condenado na Operação Lava Jato a mais de 30 anos de prisão.

Não, não devemos estar abismados com tanta lassidão de moralidade, mas temos de cobrar do judiciário que, ao final, não venha a ocorrer o abrandamento da pena, pois a reincidência no cometimento do crime é perdurável e pode ser revalidado pelo eleitor imprudente.

De Júlio Cunha

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Geraldo Alckmin busca unir o PSDB


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi ovacionado neste domingo, 12, como pré-candidato ao Palácio do Planalto por militantes e dirigentes tucanos durante a convenção paulista do PSDB. Em meio à disputa pelo comando nacional da legenda, pela primeira vez ele mudou o tom e já não descarta mais a possibilidade de assumir a sigla. Aos correligionários e lideranças de cinco partidos aliados, Alckmin fez um discurso de campanha para destacar a necessidade de união dos integrantes de sua legenda.

Alckmin chegou à Assembleia Legislativa, na capital paulista, local da convenção, ao lado do ex-governador Alberto Goldman, que assumiu o cargo de presidente interino do partido após o senador Aécio Neves (MG) destituir o colega Tasso Jereissati (CE) do posto. Tasso e Marconi Perillo, governador de Goiás, vão disputar o comando da legenda na convenção nacional marcada para o dia 9 de dezembro. O tucano foi cercado por militantes que pediam “Geraldo presidente”.

“Nós precisamos de unidade. Mas eu pergunto: união e unidade para quê? Para mudar o Brasil. Essa tem de ser a nossa mensagem, a nossa proposta. Com todos os riscos e com muita coragem”, disse. Em seguida, afirmou que é a hora de o PSDB voltar às suas origens, ir ao encontro do povo, buscar a eficiência da gestão para reduzir as desigualdades e fazer o País voltar a crescer...

De Brasília Agora

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Como ir ao Comunismo sem medo?


O turismo dos intitulados defensores do proletariado, na União Soviética, se resume a pessoas e organizações partidárias espalhadas pelo mundo, e são recepcionados por políticos, partidos e agremiações que hoje fazem oposição ao governo de Vladimir Putin.

É bem verdade que o encontro, com festas e comemorações ao PC em todo o mundo, está simbolicamente direcionado ao momento único da história, passada em outubro de 1917 (calendário juliano), marcado pela ascensão de um líder dito carismático, mas também populista, que se voltou contra o regime imperial, á época, e quê, com passar dos anos, o emblemático líder, tratou de chancelar seu regime impondo diretrizes e orientações a todo seus seguidores, manifestado que fora dele não existe governo sustentável.

Hoje os defensores do regime socialista, quando desfrutam das modernidades capitalista e de um mundo globalizado e moderno, vem-se a caminhar, orientados por ponteiras de bússolas em sentido contrário.

De Júlio Cunha


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Grupo do Aécio continua infernizando o presidente do PSDB


Houve um verdadeiro tumulto na reunião da bancada do PSDB na Câmara, realizada nesta terça-feira, causado principalmente por apoiadores do partido ao governo Temer e principalmente pela permanência do senador Aécio Neves no comando da sigla.

A assunto principal estava relacionado a contratação de uma empresa que cuidará da comunicação e das redes sociais do partido. A reação de parlamentares se deu por não concordarem com a escolha e principalmente com a calma e transparência imposta pelo presidente interina ao tratar da administração e dos interesses do partido.

“Foi uma reação delirante de Minas e Goiás. Não entendi, uma coisa atabalhoada. Esse PSDB desses caras não é o meu PSDB. Mas enquanto eu for presidente interino vou continuar até o fim com o projeto de reestruturar o PSDB”, comentou Tasso.

De Julio Cunha

sábado, 14 de outubro de 2017

Senado entrega Aécio ao STF


Essa historia de dizer que o STF cedeu aos parlamentares, dando-lhes o direito de julgar o político, acusado de corrupção, por seus pares, também corruptos, e um verdadeiro exercício de desserviço, que na verdade só aumenta a instabilidade política no país, contribuindo de certa forma para o aumento da impunidade e o livramento dos mal-feitores, pois ao desacreditar as instituições, sem almenos ter um conhecimento dos fatos e principalmente das Leis a serem observadas, trazem um verdadeiro terrorismo a população.

Quem acha que o STF está salvando o senador Aécio Neves da punição de algum crime, não entende toda a nuance que envolve o caso de afastamento de um parlamenta, pois vejamos - Os fatos acusatórios apresentados até o momento contra o senador, não caracteriza um flagrante de crime, e quando se trata de parlamenta em pleno exercício da função, o flagrante será o único motiva, segundo a Constituição, para que o senador seja afastado.

No caso do Aécio, a decisão por maioria dos membros do STF não irá liberta-lo de uma condenação, após o processo legal segue no âmbito judicial, e quanto a votação por seus colegas senadores autorizando seu afastamento, os mesmos terão a oportunidade da inicio a tão esperada limpar no parlamento, tirando aquele que desrespeita a vontade e os interesses da população, é assim que espero, é assim que será.

Julio Cunha

domingo, 24 de setembro de 2017

Rocinha em ataque


A Rocinha, onde moram oficialmente 70.000 pessoas, vive em estado de exceção desde o último domingo, quando um bando de criminosos invadiu a favela em uma disputa interna entre líderes da facção Amigos dos Amigos que domina o tráfico de drogas na região. Segundo informações divulgadas pela imprensa local, o traficante Nem da Rocinha, preso desde 2011 e cumprindo pena numa cadeia federal de segurança máxima, teria ordenado a retomada do território do seu sucessor e ex-segurança, hoje desafeto, Rogério 157. O bando de Rogério 157 revidou e foram horas de confronto armado sem que as autoridades intervissem ou prevenissem o embate, apesar de terem reconhecido que detinham informações de inteligência sobre a iminência de uma invasão devido ao racha interno da facção. Encontraram-se quatro mortos, dois deles carbonizados.

A Polícia Militar começou suas operações na segunda e, desde então, repetem-se os tiroteios entre agentes e traficantes, o comércio de algumas áreas fechou, o transporte de ônibus foi interrompido, as vias de acesso foram várias vezes interditadas e muitos moradores estão em pânico. “Eu só quero paz, não me importa quem ganhe ou perca esta batalha”, dizia uma empregada doméstica, idosa e ofegante ao ter que subir a pé até sua casa, no alto do morro, ante a ausência de vans. Nesta sexta-feira, cinco dias depois do inícios dos confrontos, o Exército foi chamado e 950 militares, que surpreendiam pela sua juventude, cercaram a comunidade. Os moradores, no meio da espetacular operação, eram telespectadores atônitos da sua própria tragédia retransmitida ao vivo nas TVs acesas das barbearias, botequins e pontos de mototaxistas. As últimas informações da cúpula da Secretaria de Segurança Pública do Rio apontam que a invasão supostamente ordenada por Nem foi frustrada e que Rogério 157 resiste –“acuado”– no interior da mata da floresta da Tijuca que circunda a favela...

De El País, Brasil