sexta-feira, 29 de junho de 2012

O deputado Delegado Cavalcante desiste da política, pois não encontra probidade entre os pares.


O deputado estadual Delegado Cavalcante demonstra está cansado e também desesperançado da politica em nosso município, e principalmente daquelas pessoas que a usam como meio de vida, ou seja, os profissionais das manobras pirotécnicas, na busca do enriquecimento fácil.

Os malfeitores sobressaem quando estão no comando, pois do contrário se misturam as ovelhas, a espreita, pronto para abocanhar seu quinhão das verbas públicas.

Pois o Delegado Cavalcante, embora governe, não compactua com os metralhas do poder, e é exatamente por isso que não encontra voz ou vez neste mar de lama que é “a nossa querida” cidade  ou estado.

Eleitores, vamos para o sacrifício!

De Júlio Cunha

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Justiça libera fotos de Xuxa nua em sites de pesquisa

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) deu ganho de causa ao Google em uma ação movida pela apresentadora Xuxa Meneghel. Imagens e vídeos em que ela apareça nua ou encenando atos sexuais não poderão ser retirados dos resultados da pesquisa.
Xuxa entrou em outubro de 2010 na Justiça do Rio pedindo que o site de busca não mostrasse qualquer link de sites que a relacionassem com as palavras "pornografia" e "pedofilia".
O julgamento em primeira instância acatou os argumentos da apresentadora e pediu a suspensão do conteúdo --o que nunca ocorreu, já que o Google entrou com recurso logo em seguida.
...
Xuxa em 1976, com 13 anos, quando ganhou o título de Rainha do Carnaval em Coroa Grande
...
Para o STJ, as pessoas que se sentirem ofendidas pelo conteúdo publicado devem mover uma ação contra os autores da veiculação. Ou seja, Xuxa teria de fazer um levantamento e acionar na Justiça todas as páginas que publicam conteúdo que ela considerar ofensivo.

De Folha.com

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Pateta e Pluto exigem foto com Lula


Pateta e Pluto exigem foto com Lula
Pluto e Pateta negociam cargos na prefeitura de Haddad: “Acho que temos muito a contribuir. Chega de amadores. Somos patetas profissionais.”
MAGIC KINGDOM – Minutos depois de tirar fotos com Paulo Maluf, Fernando Lugo, Neymar, membros do PC do B, variados povos da floresta e os três últimos torcedores do Botafogo, o ex-presidente Lula se encaminhava para mais um evento em que ofuscaria Dilma Rousseff quando foi abordado por Pluto e Pateta. Foram necessários apenas três minutos de áspera negociação para que o ex-presidente abraçasse os dois cães, fizesse um sinal de vitória e sorrisse para as câmeras. "Em troca, eles prometeram convencer o Mickey a apoiar o Haddad", explicou o fotogênico antecessor de Dilma, enquanto posava para um ensaio da revista Isto É Carisma.
Sorrindo e fazendo um coraçãozinho com as mãos, Lula anunciou alianças com Pingüim, Lex Luthor, Coiote e os Irmãos Metralha, “três jovens que não tiveram oportunidades quando crianças e que agora serão ressocializados através de um trabalho muito bonito de inclusão social capitaneado pelo meu amigo Iris Rezende”, comoveu-se o ex-presidente.
No fim da tarde, Lula mordeu as canelas de um personagem de Hannah Barbera que burlou o sistema de segurança e não se filiou ao Instituto Lula. Foi prontamente apoiado por Capitão Gancho e Cruella de Vil.  
De Revista Piauí

Inadimplência das empresas tem maior alta de abril para maio em 6 anos

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência das Empresas cresceu 9,4% entre abril e maio. Considerando-se a variação entre o quinto e o quarto mês do ano, foi a maior elevação desde 2006.



Segundo os economistas da Serasa Experian, a evolução reflete a sazonalidade para o mês, desta vez potencializada por uma série de entraves econômicos.

A baixa atividade econômica, o reduzido patamar do crédito externo para empresas, a forte inadimplência dos consumidores, as exportações afetadas com a crise global --mesmo com a valorização do dólar-- impactaram de forma negativa o fluxo de caixa das empresas e ampliaram as oportunidades de inadimplência, diz a Serasa.

A intensa expansão dos protestos (19,4%) no período abre espaço para que futuros requerimentos de falências continuem a ser utilizados como instrumento de cobrança.
O levantamento também apontou crescimento na inadimplência dos negócios nas comparações anual e acumulada.

Na comparação de maio deste ano com igual mês de 2011, a alta foi de 13,2%. Na variação entre os acumulados de janeiro a maio de 2012 e 2011, por sua vez, o avanço foi de 17,5%.

De Folha.com

Dilma lança hoje novo pacote de estímulo

Brasília. O governo anuncia hoje mais um pacote de medidas de estímulo ao crescimento. Entre elas, está a que determina que medicamentos fabricados no Brasil poderão ser adquiridos pelo governo ainda que os preços sejam superiores ao ofertado pelos concorrentes internacionais, informou fonte da área econômica do governo à Reuters.

Essa ação, destinada a fomentar a indústria farmacêutica instalada no País e ser mais um impulso para o crescimento da economia, será adotada nas próximas semanas também para máquinas e equipamentos, itens de alta tecnologia e máquinas e material de uso hospitalar.

"Este é um ano importante no qual precisamos reaquecer a economia e acelerar o crescimento", afirmou a fonte. O governo está definindo qual será essa margem de preferência para os produtos nacionais nas licitações públicas, que pode chegar a 20 por cento. Segundo a fonte, esse procedimento foi adotado para produtos têxteis com essa margem. Com isso, o governo tem feito encomendas à indústria têxtil de uniformes escolares e para as Forças Armadas, como forma de oferecer demanda à indústria têxtil. Objetivo é adotar esse procedimento para mais setores.
...


De Diário do Nordeste

segunda-feira, 25 de junho de 2012

O que, afinal, quer Dilma? Reeditar a "Guerra do Paraguai"? O Brasil tem de ser mais respeitoso com a soberania de uma país vizinho!


Sabem o que há, de verdade!, na raiz da reação negativa dos países sul-americanos à deposição de Fernando Lugo? Má consciência! Também e muito especialmente no Brasil. Já chego lá. Antes, algumas considerações.
O Paraguai está em paz dois dias depois de Lugo ter sido deposto pelo Congresso, segundo a mais estrita e rigorosa letra da Constituição. Mas não ficará assim por muito tempo se depender do Brasil e de outros países sul-americanos. Parece que a presidente Dilma Rousseff, seguindo os passos aloprados de seu antecessor no caso da crise hondurenha, não se conforma com a praça vazia. A expectativa era a de que milhões fossem às ruas em defesa do presidente deposto. Não apareceu um só. O mesmo, aliás, havia ocorrido em Honduras. As manifestações só começaram quando Manuel Zelaya resolveu organizar a “resistência” na embaixada do Brasil, com o apoio de Lula e Chávez.
A Constituição foi rigorosamente seguida. Mas Dilma não gostou.
A Câmara aceitou a denúncia por 73 votos a 1. Mas Dilma não gostou.
O Senado aprovou o impedimento por 39 votos a 4. Mas Dilma não gostou.
O Judiciário declarou legal a deposição de Lugo. Mas Dilma não gostou.
Até a Igreja Católica no Paraguai reconhece como legítimo o impeachment. Mas Dilma não gostou.
O povo paraguaio, vê-se, aceitou a solução. Mas Dilma não gostou.
Então vamos ver. A lei foi cumprida. A democracia continua em pleno funcionamento. Os Poderes instituídos e o povo do Paraguai reconhecem o novo presidente. Qual é, afinal de contas, o problema do Brasil? “Ah, o rito foi sumário!” Foi porque as leis paraguaias permitem que assim seja. O Palácio do Planalto pode tentar exportar alguns dos nossos legisladores para ao país vizinho para que se façam, então, leis melhores, mais ao gosto do nosso governo, não é mesmo?
Não! Definitivamente, não é assim que a música toca! Ameaçar o Paraguai com o isolamento quando estão em vigência todas as instituições que caracterizam a democracia é inaceitável. Qual é a acusação? Sim, trata-se de má consciência e explico por quê.
Alguns governantes latino-americanos, tendo as injustiças sociais como desculpa, passaram a acreditar que podem desrespeitar abertamente as leis que os elegeram para, então, fazer… justiça! A desigualdade social no Paraguai é, de fato, obscena. Há dois caminhos para dar uma resposta: com leis e debate democráticos — e isso requer competência, capacidade de negociação, implementação paulatina de medidas… E há o outro modo: partir para a pistolagem. Lugo prometeu uma ampla reforma agrária no país (nem vou entrar no mérito se o caminho era mesmo esse). Seus planos não saíram do papel. Não obstante, passou a tolerar o banditismo de grupos extremistas que falam em nome dos sem-terra. Deu no que deu.
Ou por outra: incompetente que era, Lugo não conseguiu apresentar um plano ao país; demagogo que era, passou a manipular o extremismo a seu favor. Os bandoleiros ameaçam justamente a parte mais virtuosa da produção agrária paraguaia — que inclui os brasileiros, é bom lembrar! Aliás, cuidasse o nosso governo um pouco mais do seu próprio povo, teria vários motivos para estar agastado com Lugo. Há uma perseguição organizada aos chamados “brasiguaios” no país. As supostas “vítimas das desigualdades” estão invadindo, saqueando e depredando fazendas. Há famílias que foram expulsas de suas terras. Não se ouviu até agora de um pio do Itamaraty ou Dilma Rousseff.
Os governantes sul-americanos que ameaçam isolar o Paraguai — e, lamento!, isto vale também para Dilma — estão, na prática, cuidando mais de si mesmos do que de Fernando Lugo, que não tem condições, é evidente, nem legais nem políticas de voltar ao poder. Estão dizendo que NÃO ACEITAM SER DEPOSTOS POR LEIS DEMOCRÁTICAS NEM QUANDO AS TRANSGRIDEM. Ainda que com palavras um tanto oblíquas, de sentido enviesado, afirmam que se deve tolerar que o chefe do Executivo mande as leis às favas e se junte a grupos que desrespeitam os fundamentos da democracia, mas que é intolerável que o Congresso e a Justiça usem as suas prerrogativas.
Ora, vejam nesta página uma crítica que fiz a um texto de Janio de Freitas publicado hoje na Folha. O valente defende os mensaleiros, diz que o julgamento no Supremo traduz o confronto entre os “reformistas” e os “conservadores”, que o resultado é crucial para a democracia brasileira, que se trata de uma questão política e que, conclui-se, o Supremo só dará provas de isenção se absolver os acusados. Vejam lá o que escrevi a respeito.

É precisamente essa má consciência que está na raiz da acusação falsa, escandalosamente mentirosa, de que houve “golpe” no Paraguai. Tivessem morrido 17 pessoas num confronto por terra num Paraguai governado pela “direita”, haveria uma penca de ONGs gritando mundo afora: “Massacre! Massacre!”. Se o Congresso decidisse impichar o presidente por “mau desempenho”, seria aplaudido como expressão da verdadeira democracia. Como tudo se deu na gestão do “progressista” Lugo, então ouvimos aquele ruidoso silêncio. Afinal, diria Janio de Freitas, ele é “um reformista”…

Acho que não convém Dilma fazer uma nova “Guerra do Paraguai” em defesa de um demagogo, que foi deposto segundo o que estabelece a lei. Não faltará um leito para abrigar o “bispo pegador”…
Por Reinaldo Azevedo

sábado, 23 de junho de 2012

O legislativo municipal carente de reforma intelectual


Com aumento no número de vereadores na casa legislativa de Morada Nova, de 10 para 15 assentos, a população estará bem mais representada nos seus anseios e demandas, é exatamente o que esperamos destes servidores municipais contratados (indicados) por tempo determinado.

Quanto ao tempo é bom que se entenda como renovação, pois o que temos são políticos profissionais acobertados no manto de vereadores, que na verdade não representam em nada os interesses da população, nem mesmo dos que lhes elegeram, pois vivem as 24 horas do dia, no sagrado oficio da perpetuação do cargo.

Alguns novos nomes que entrarão na disputa eleitoral deste ano, e trazem ideias e atitudes renovadas para o legislativo, com a vontade renovada de desenvolver sua cidade e o crescimento da estima populacional, deixando para traz a arcaica política brasileira.

O deputado estadual Delegado Cavalcante tem se mostrado bastante inquieto quanto a este movimento no legislativo municipal. E não é pra menos, pois para se eleger deputado estadual precisou mendigar voto entre os vereadores da base aliada municipal, mais agora para não sofrer o mesmo revez, pretendo unir o seu partido PDT na grande cruzada eleitoral, fazendo uso de nome conhecido ou não, colocando até mesmo seu filho a disposição do partido, para assim consolidar sua base, se distanciado do fisiologismo reinante da atual legislatura.

De Júlio Cunha

Dilma e o BNB

A presidente Dilma Rousseff deverá chamar para si a decisão de assegurar para o Banco do Nordeste do Brasil uma diretoria mais comprometida com o critério técnico do que com o aspecto unicamente político. Ela quer uma conversa com os governadores nordestinos, incluindo Minas e Espírito Santo, onde o BNB tem influência, para tratar da nomeação daquele que responderá pelo comando da Instituição. Hoje a direção está com o interino Paulo Ferraro. Há nomes se escalando. O Planalto avalia que pode vir a indicação política, mas o crivo técnico será prioritário. O estilo dilmista exige resultados e menos lobby, o que tem povoado o entorno de poder do BNB.

De O Povo

Tragédia anunciada: Lugo não pertencia à estrutura política tradicional

Fernando Lugo, que no início da noite desta sexta-feira (22) perdeu o cargo de presidente do Paraguai, "era um presidente que não pertencia a estrutura política tradicional", diz o professor de Relações Internacionais da (PUC-Rio), Arthur Bernardes do Amaral. Para ele, por não ser político tradicional, sua queda "era uma tragédia anunciada". Afinal, "no poder desde 2008, seu governo não criou uma base política para ele governar o país", explicou.

"Só não está surpreso quem não acompanha o país, já que Lugo nunca teve estabilidade política. Este processo político é para tirar de cena o cara que caiu de paraquedas. Já haviam sido criadas outras crises e tentativas de desestabilizar o governo. O presidente se sustentou no prestígio do seu vice”, explicou o professor.

O professor explica a missão diplomática liderada pelo Brasil para tentar evitar o processo do impeachment por ser a "dinâmica política da América do Sul regida por ondas. Assim, a partir do momento em que se abre um precedente para uma questão, podem acontecer outros surtos", completa. Ou seja, houve a preocupação de garantir a estabilidade política, o processo democrático em todo o processo, sem golpes.

Amaral admite ainda também a preocupação, mais remota, com a questão da segurança. "Se a situação piorar e o Paraguai chegar a uma guerra civil, a questão pode afetar o Brasil e os cidadãos brasileiros", explica.

De Rômulo Diego Moreira/Jornal do Brasil

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Seleção de vôlei masculino 1983



O time de nomes como Bernardinho, Fernandão, Montanaro, Rui, Renan, William e Amauri começou a germinação do vôlei no Brasil a partir do começo da década de 1980. O então inédito terceiro lugar na Copa do Mundo de 1982 e o ouro no Pan de Caracas-1983 iniciaram o movimento de popularização do esporte, considerado por muitos o segundo mais popular do país atualmente. Só faltou a medalha dourada olímpica, que escapou após a derrota para os EUA em Los Angeles-1984. Se a importância daquela geração não foi suficiente para leva-los ao alto do pódio, o legado para o futuro - externado na própria determinação como 'geração de prata' - teve preço inestimável e, certamente, contribuiu para que a seleção se desenvolvesse até o patamar atual.


De MSN Esporte

Desemprego surpreende e cai a 5,8%

A despeito do ritmo fraco da atividade econômica no país, a taxa de desemprego medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) recuou de 6% em abril para 5,8% em maio, o menor patamar para o mês desde 2002. O índice é calculado a partir das taxas pesquisadas em seis regiões metropolitanas – Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

O resultado intrigou economistas, que não esperavam fôlego na retomada das contratações num momento em que a economia patina, e ainda procuram explicações. “Pode ser que a produtividade esteja caindo, que tenha que colocar mais gente para produzir a mesma coisa, ou que tenha mais gente trabalhando no setor de serviços”, avaliou Alexandre Schwartsman, ex-diretor do Banco Central.

O aumento na renda real do trabalhador, impulsionado pelo reajuste do salário mínimo em janeiro, estimula a demanda por serviços, justamente o setor que aponta um saldo maior de vagas na Pesquisa Mensal de Emprego (PME). “É um negócio que se retroalimenta: com aumento do pessoal ocupado e aumento da renda, a expansão da massa salarial estimula a demanda por serviços e bens de comércio”, disse Rafael Bistafa, economista da Rosenberg & Associados.

De Gazeta do Povo

Carlomano rebate Catanho sobre quebradeira em motel e diz que Luizianne bebe todo dia

Baixaria na disputa entre os críticos da prefeita Luizianne Lins (PT) e seus defensores. Na sessão da Assembleia Legislativa nesta quinta-feira, o deputado estadual Carlomano Marques (PMDB) foi à tribuna para se defender das críticas do mais importante auxiliar da prefeita, Waldemir Catanho.

“Se bebesse como a prefeita Luizianne Lins, que bebe todo dia e não sai da linha, eu continuaria bebendo”, disse o parlamentar. Foi uma resposta à crítica feita pelo coordenador de Articulação Política da Prefeitura no dia anterior. “Outro dia ele estava bêbado dentro um motel quebrando tudo”, disse Catanho, na quarta-feira.

A manifestação do petista foi em reação às acusações do peemedebista, de que a Prefeitura teria “comprado” o PTC. Catanho chamou o deputado de leviano, questionou sua credibilidade e, então, lembrou episódio ocorrido em janeiro de 2009.

“Eu quebrei um motel, mas o prejuízo eu paguei. A prefeita está quebrando a cidade e não está pagando”, disse o peemedebista.

De O Povo