sexta-feira, 31 de maio de 2013

Venezuelano Maduro acusa colombiano Santos de "traição"

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou o homólogo colombiano, Juan Manuel Santos, de "traição", na quinta-feira, dizendo que perdeu a confiança nele devido ao encontro com o líder da oposição venezuelana, Henrique Capriles.
Maduro disse que estava colocando em análise as relações bilaterais, que eram frequentemente hostis durante o governo socialista de 14 anos de seu antecessor, Hugo Chávez, após a reunião de Santos com Capriles, na quarta-feira...

De Eyanir Chinea e Enrique Andres Pretel, agência REUTERS BRASIL

O que o PIB do 1º trimestre diz

A alta de 0,6% do PIB no primeiro trimestre não é tanto quanto se esperava, mas é algum crescimento. No vídeo, eu explico que se confirmou a pior das previsões, já que o mercado estimava crescimento entre 0,6% e 1,1%. O BC e o governo tinham previsto números maiores (1,05% e 0,9%, respectivamente).
O país está em recuperação, ainda que mais lenta do que se imaginava. A agricultura salvou a lavoura, a indústria encolheu um pouco. O investimento cresceu, mas quando olhamos os números por dentro, vemos que está muito relacionado às compras de caminhões.
Tomara que esse resultado sirva de alerta para o governo tomar decisões de forma mais rápida para que os investimentos públicos e privados aconteçam, e o país cresça mais.
O PIB acumula alta de 1,2% em 12 meses.


De Miriam Leitão, blog, portal O GLOBO

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Brasil despenca no ranking de competitividade

Feito pelo instituto IMD, resultado mostra ainda que o País está entre 'maiores perdedores' e precisa superar importantes gargalos para crescer 

Com a economia mais fechada entre os principais mercados do mundo, com uma infraestrutura defasada e com um dos três governos mais ineficientes, o Brasil despenca no ranking mundial de competitividade durante os anos da presidente Dilma Rousseff. O País ainda faz parte dos "maiores perdedores" em termos de competitividade dos últimos 15 anos. Para os especialistas, não há como a economia crescer e empresas se internacionalizarem se importantes gargalos permanecerem.
Os dados são do instituto IMD, uma das principais escolas de negócios no mundo e com sede na Suíça. Hoje, a entidade divulga seu ranking anual de competitividade.

Entre 2010 e 2013, o Brasil caiu da 38.ª posição no ranking para o 51.º posto, entre 60 países avaliados. Em apenas um ano, a queda foi de cinco posições diante de países asiáticos que ganham terreno e deixam o Brasil em uma situação incômoda. Entre os Brics, só a África do Sul está em uma situação pior que a do Brasil.

Peru, Colômbia ou Ucrânia são, hoje, economias mais competitivas que o Brasil. No continente americano, o Brasil é apenas a sétima economia mais competitiva. O ranking é liderado pelos EUA, Suíça, Hong Kong e Suécia.

O instituto também aponta que o Brasil foi um dos países que mais perdeu espaço desde 1997. Os economistas do IMD estimam que não se pode comparar a classificação dos últimos 15 anos, já que o informe era preparado com menos países. Naquele momento, o Brasil era o 34.º. Mas, ainda assim, classificam o Brasil como um dos "maiores perdedores" desse período.


De negócios, portal MSN / ESTADÃO

Decisão do Senado faz Gleisi e Renan baterem boca ao telefone


BRASÍLIA - A relação conflituosa do governo com setores do PMDB chegou nas últimas horas ao gabinete do presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), por causa da sua decisão de não votar a MP da redução das tarifas de energia elétrica. Irritada com essa decisão, a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, atropelou Renan e passou a negociar diretamente no Ministério das Minas e Energia uma solução alternativa, provocando uma reação do presidente do Senado. A terça-feira terminou com uma conversa duríssima da ministra com Renan, que não aceitou ser atropelado e desligou o telefone. Na quarta-feira, o clima era de guerra, e o vice-presidente Michel Temer teve de entrar para tentar apagar o incêndio.

Na véspera, enquanto Renan negociava à tarde com os líderes uma saída honrosa, Gleisi tentou uma solução por outros caminhos. Por volta das 19h, Renan recebeu uma ligação de Gleisi, e o clima ficou pesado. Quando ele começou a falar do resultado da reunião, ela cortou:

— Não precisa mais! Já acertei tudo o que vamos fazer com a Marta Lyra (chefe da assessoria parlamentar do Ministério das Minas e Energia).

— Como assim, acertou com a Marta Lyra? A senhora enlouqueceu? Está confundindo as coisas, não está entendendo a dimensão do que é o Legislativo! — reagiu Renan, travando um diálogo áspero e desligando o telefone...


De Maria Lima, Paulo Celso Pereira e Júnia Gama, jornal O GLOBO

Com 3 tripulantes, nave russa acopla na Estação Espacial Internacional

Moscou - A nave russa Soyuz TMA-09M, com três tripulantes a bordo - um russo, um americano e um italiano -, acoplou nesta quarta-feira com sucesso na Estação Espacial Internacional (ISS), informou o Centro do Controle de Voos (CCVE) da Rússia. 

A manobra, que aconteceu de maneira automática, foi realizada às 23h16 (de Brasília), assim como estava previsto. A nave russa acoplou no porto de amarre do módulo Rassvet, situado no segmento russo da ISS.


De agência EFE

Assad diz que Síria recebeu mísseis russos, diz mídia libanesa


BEIRUTE - A Síria já recebeu a primeira remessa de um sistema avançado de defesa aérea russo e, em breve, deve chegar o restante do sistema S-300 de mísseis, disse um jornal libanês citando o presidente sírio Bashar al-Assad.
"A Síria recebeu o primeiro carregamento de foguetes S-300 russos anti-aéreos", disse Assad, segundo o jornal libanês al-Akhbar, em uma entrevista que deverá ser transmitida no final do dia. "O resto da expedição chegará em breve."
A Rússia disse que iria entregar o sistema de mísseis para o governo sírio mesmo com objeções ocidentais, dizendo que o movimento ajudaria a estabilizar o equilíbrio na região.
Os Estados Unidos, França e Israel pediram à Rússia que pare de entrega os mísseis.
Uma entrevista com Assad será divulgada nesta quinta-feira em Al Manar, um canal de televisão ligado ao aliado de Assad, o grupo Hezbollah.


De John Stonestreet, agência REUTERS BRASIL

Copom eleva Selic para 8% ao ano

Brasília - Em um cenário de inflação em alta e crescimento ainda lento da economia, o Banco Central (BC) decidiu acelerar o processo de alta dos juros. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou o aumento da taxa Selic de 7,50% para 8% ao ano, alta de 0,50 ponto percentual.  a segunda elevação seguida da taxa Selic no ano, que em abril subiu 0,25 ponto percentual. "O Comitê avalia que essa decisão contribuirá para colocar a inflação em declínio e assegurar que essa tendência persista no próximo ano", disse o Copom.

Nas últimas semanas, a autoridade monetária havia dado vários sinais de que poderia promover uma alta maior de juros para segurar a inflação. Com isso, até terça-feira, o mercado financeiro ainda estava dividido em suas projeções para a reunião. A divulgação do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre, que veio abaixo do esperado, no entanto, levou muitos analistas a avaliarem que o BC poderia elevar a taxa novamente em 0,25 ponto...


De Agência Estado, jornal DIÁRIO DO COMÉRCIO

Mantega fala em rever para baixo projeção de alta do PIB


O ministro  da Fazenda, Guido Mantega, admitiu que "certamente" o governo vai rever para baixo a projeção de alta de 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013. Essa é a proposta que consta no Orçamento de 2013. O ministro foi provocado pelos jornalistas a fazer uma nova previsão, mas Mantega não quis, destacando apenas que a economia brasileira começou o ano de 2013 "muito melhor do que no ano passado". "Se tivermos trajetória semelhante à do ano passado estaremos bem e poderemos atingir taxa (de crescimento) satisfatória este ano", afirmou.

O ministro destacou que o governo vai rever a projeção de PIB no próximo relatório de reprogramação orçamentária. "Certamente iremos rever quando fizermos o próximo relatório". O ministro Segundo ele, é preciso "olhar" os trimestres sucessivos para fazer uma avaliação. "Não dá para olhar um trimestre só. Estamos no meio do segundo trimestre e os dados são muito bons, abril está fechado e quase todos os indicadores são positivos, como papelão ondulado", avaliou.

Mantega antecipou que a atividade acelerou em abril e provavelmente em maio. Ele ponderou ainda que houve uma melhora do mercado de capitais, com vários lançamentos de IPOs, o que, na sua avaliação, mostra que a confiança no País está melhorando. O ministro ressaltou ainda que o fluxo de Investimento Estrangeiro Direto (IED) para o Brasil é um dos maiores do mundo. Segundo ele, as captações das empresas no exterior estão indo muito bem. "Petrobras e Banco do Brasil, o mercado está vendo de forma mais positiva", disse Mantega. Na sua avaliação, a bolsa brasileira no último mês teve comportamento bom, melhor que em outros países. "O ambiente econômico está melhorando no País", avaliou.


De Adriana Fernandes, Renata Veríssimo e Laís Alegretti, portal HOJE EM DIA

Governo faz malabarismo para salvar MP da energia

Para evitar a derrocada da prometida redução de tarifa na conta de energia, a base aliada da presidente Dilma Rousseff vai incluir, em outra medida provisória, uma “gambiarra” com os mesmos termos da MP 605, inviabilizada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), na terça-feira, ao se recusar a colocá-la em votação por ter chegado à Casa a menos de sete dias de caducar. Pelo mesmo motivo, ele barrou também matéria sobre a desoneração da folha de pagamento de setores da construção civil e do varejo. A manobra para salvar o desconto na luz, conhecida no meio político como “submarino”, foi decidida ontem, em reunião de líderes. O enxerto será feito na MP 609/2013, que trata da desoneração de produtos da cesta básica. Parlamentares da oposição classificaram a manobra de “fraude legislativa” e reclamaram do uso excessivo de MPs pela presidente da República...


De Juliana Braga e Karla Correia, jornal ESTADO DE MINAS

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Cantora Claudia Leitte ainda deve quase meio milhão de reais referente ao carnaval

A coluna de Léo Dias, no jornal O Dia, traz uma bomba com relação à cantora Claudia Leitte. De acordo com o jornalista, a artista, uma das mais bem-sucedidas da axé music, deve R$ 497 mil a seis empresas. As dívidas foram contraídas no Carnaval pela Ciel Empreendimentos Artísticos Ltda, que tem a cantora como sócia majoritária, e vão de impressão de publicidade, bebidas e confecção de abadás a consultoria financeira, caso do Banco Safra, credor que aguarda para receber R$ 310 mil.

Segundo a publicação, o diretor de uma das empresas disse que até agora só ouviu promessas.

“Fomos contratados em janeiro e até agora ela não pagou pelo trabalho. Ficam nisso de ‘hoje, amanhã’ e, até agora, nada de concreto”, declarou ele, pedindo anonimato. Paulo Sampaio, assessor da cantora, esclareceu por meio de nota que “restam algumas poucas pendências oriundas do período de Carnaval, consequência de divergências técnicas que estão sendo sanadas, além de recebíveis ainda não realizados e que comprometem toda a cadeia. Apesar dos problemas gerados, alheios à nossa vontade, os valores estão em fase final de liquidação”. A Ciel Empreendimentos declarou à Receita Federal um faturamento anual de R$ 24 milhões. Claudia tem 69% de participação na empresa, que estaria suja nos cadastros oficiais, como Serasa, segundo o colunista.


De holofote, agência BAHIA NOTÍCIAS

terça-feira, 28 de maio de 2013

Enviado da ONU pede às autoridades iraquianas protegerem a população do país

Bagdá, 28 mai (EFE).- O enviado especial da ONU no Iraque, Martin Kobler, fez nesta terça-feira uma chamada às autoridades do país para que tomem as medidas necessárias para proteger os cidadãos, após a onda de atentados que ontem causou dezenas de mortos.

"Peço novamente a todos os líderes iraquianos para que façam tudo o que for possível para proteger os civis. É sua responsabilidade deter agora o derramamento de sangue no país", afirmou Kobler, que condenou "categoricamente" os ataques.


De agência EFE

Confiança do Comércio registra queda pelo quinto mês consecutivo


O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getulio Vargas evoluiu desfavoravelmente no trimestre findo em maio, ao registrar queda de 3,6% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Este é o quinto mês consecutivo de piora nesta base de comparação: em abril, a variação interanual do Indicador Trimestral havia sido de -2,9%.
O resultado sinaliza que a atividade econômica do setor continua em ritmo menos intenso que no mesmo período do ano passado. Após seis meses de resultados positivos, a variação interanual trimestral do Índice da Situação Atual (ISA-COM) registrou queda de 2,6% em maio. Em abril, a taxa havia sido de 0,7% na mesma base de comparação. Em relação aos próximos meses, as expectativas melhoraram um pouco: a taxa interanual trimestral do Índice de Expectativas (IE-COM) passou de -5,2% para -4,3% entre abril e maio.
No Varejo Restrito, ocorreu a sexta piora consecutiva da taxa interanual trimestral, que passou de -4,0%,em abril, para -6,2%, em maio. O segmento Veículos, Motos e Peças continua avançando, com taxas de 0,7% e 4,2%, respectivamente, nos mesmos períodos. Em Material para Construção, houve ligeira melhora, com taxas de -6,3% e -4,8%. O melhor desempenho destes dois segmentos propiciou uma evolução relativamente mais favorável do varejo no conceito Ampliado. As taxas de variação interanual passaram de -3,6% para -4,5%. No Atacado, houve recuo de 1,9%, em maio, após queda de 1,6%, em abril.
O Índice da Situação Atual (ISA-COM) retrata a percepção em relação à demanda no momento atual. Na média do trimestre findo em maio, 16,3% das empresas consultadas avaliaram o nível atual de demanda como forte e 19,3%, como fraca. No mesmo período de 2012, estes percentuais haviam sido de 19,6% e 20,1%, respectivamente.
Entre abril e maio, na comparação interanual trimestral, o indicador que mede as expectativas em relação às vendas nos três meses seguintes foi o que mais contribuiu na melhora do Índice de Expectativas (IE-COM), ao passar de -6,6% para -4,8%.

Dólar sobe a R$ 2,075, maior nível desde dezembro


RIO - Dados melhores que o esperado da economia americana reforçaram a especulação de que está próxima a redução dos estímulos monetários feitos pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano), o que fez o dólar ser negociado a R$ 2,074 para venda, alta de 0,87% sobre o real, por volta de 14h16m. Esse é o maior patamar desde 24 de dezembro de 2012. A valorização ganhou força após a divulgação de dados da confiança do consumidor e do mercado imobiliário nos EUA. Para economistas, esses sinais de recuperação da economia americana indicam que está próxima a redução da compra de títulos públicos pelo Fed feitas com o objetivo de animar a economia. 

Teoricamente essas aquisições fazem o dólar se desvalorizar, mas o mercado passou a antecipar o movimento contrário com a redução das compras de títulos. A ultrapassagem do patamar de R$ 2,05 no fechamento da última sexta-feira surpreendeu o mercado, porque esse era considerado o teto admitido pelo Banco Central.

— O sentido da valorização do dólar é que, se a economia americana continua melhorando, o Fed pode começar a retirar estímulos monetários — disse o estrategista-chefe do banco WestLB do Brasil, Luciano Rostagno.

Bolsas internacionais aproveitavam dados melhores que o esperado da economia dos Estados Unidos para surfar em recuperação nesta terça-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) aproveitava parte desse otimismo. O Ibovespa, principal índice brasileiro, avançava 0,36%, aos 56.601 pontos. O desempenho também era influenciado por declarações do primeiro-ministro da China, Li Keqiang, na Alemanha de que a China vai buscar crescer 7% por ano nesta década. Em Wall Street, Dow Jones subia 1,09%, S&P 500 tinha alta de 1,16% enquanto Nasdaq avançava 1,26%.



De Daniel Haidar, jornal O GLOBO

Rússia diz que envio de defesa aérea à Síria detém intervenção


MOSCOU - A Rússia não vai abandonar os planos de entregar um sistema de defesa aérea para a Síria, apesar da oposição ocidental porque ajudaria a dissuadir alguns "exaltados" com a intenção de intervir no conflito de dois anos no país, disse o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Ryabkov, nesta terça-feira.
O vice-chanceler também acusou a União Europeia de "jogar lenha na fogueira" ao deixar expirar um embargo de armas à Síria.
Israel e França pediram à Rússia que desistisse de enviar sistemas de mísseis S-300 de alta precisão ao governo do presidente sírio, Bashar al-Assad, que está lutando contra a insurgência apoiada por países árabes e ocidentais.
Ryabkov sugeriu que os mísseis são úteis para dissuadir intervenções.
"Nós pensamos que esta entrega é um fator de estabilização e que tais medidas em muitas maneiras contêm alguns exaltados de explorar cenários em que este conflito poderia receber um caráter internacional, com a participação de forças externas", disse ele em entrevista coletiva.
As autoridades russas não revelaram se os S-300s já foram realmente enviados à Síria, e Ryabkov não deu detalhes.
"Eu não posso confirmar ou negar se estas entregas aconteceram, eu só posso dizer que não vamos renegá-las", disse Ryabkov. "Vemos que esta questão preocupa muitos nossos parceiros, mas não temos base para rever a nossa posição nesta matéria."
O ministro da Defesa israelense, Moshe Yaalon, disse nesta terça-feira que os S-300 ainda não tinha deixado a Rússia, parecendo contradizer o chefe da Força Aérea de Israel, que disse na semana passada que os mísseis estavam a caminho da Síria.

De Alissa de Carbonnel, agência REUTERS BRASIL

Sem alívio dos alimentos, preços ao produtor sobem 0,35% em abril


RIO DE JANEIRO - O Índice de Preços ao Produtor (IPP) atingiu em abril o maior nível em quatro meses ao subir 0,35 por cento, com a primeira alta mensal dos alimentos este ano, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.
A leitura é a maior desde o avanço de 0,41 por cento vista em dezembro, levando os preços ao produtor acumularem alta de 5,48 por cento nos 12 meses encerrados em abril.
O IBGE revisou o dado de março para avanço de 0,04 por cento em março, depois de anunciar 0,03 por cento...

De Rodrigo Viga Gaier, agência REUTERS BRASIL

sábado, 25 de maio de 2013

Boatos sobre fim do Bolsa Família: Dilma admite que pode ter ocorrido falha na Caixa


Afirmação revela mudança em discurso oficial, uma vez que ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência havia culpado oposição pelos rumores



Depois de acusar a oposição de espalhar boatos sobre o fim do Bolsa Família, no início desta semana, o governo iniciou um recuo em seu discurso sobre o assunto. Neste sábado, durante visita a Etiópia, na África, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a apuração em curso sobre o episódio avalia a possibilidade de ter ocorrido uma "falha" no pagamento dos benefícios pela Caixa Econômica Federal.
"Usamos a tecnologia da informação mais sofisticada possível com o Bolsa Família. Nós somos humanos; pode ter tido falhas. A Polícia Federal e a segurança da Caixa vão procurar todos os motivos e elencá-los", disse Dilma. "O que fazemos é garantir que seja o menos possível de ser objeto de falha interna."
Na mesma entrevista, a presidente desautorizou membros do governo a fazer acusações sobre a autoria dos rumores sobre o fim do programa federal. "Jamais faria manifestação nesse sentido", disse. E acrescentou: "Ninguém no governo está autorizado a dizer qualquer coisa sobre esse processo."
É uma guinada no discurso oficial. Na segunda-feira, a ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, acusou a oposição de espalhar rumores sobre o fim do Bolsa Família. Em seu perfil do Twitter, ela escreveu: "Boatos sobre fim do Bolsa Família deve (sic) ser da central de notícias da oposição. Revela posição ou desejo de quem nunca valorizou a política." Mais tarde, ela tentou voltar atrás e fez nova publicação no microblog, afirmando não ter nenhuma "indicação formal da origem de boatos". 
A Caixa publicou nota em seu site na noite de sábado dizendo que "o pagamento do programa Bolsa Família ocorre normalmente de acordo com calendário estipulado pelo Governo Federal. A Caixa esclarece ainda que não procede a informação de que hoje [sábado] seria o último dia para o pagamento do Bolsa Família." O banco também negou qualquer tipo de pagamento extra.
O rumor, que surgiu no sábado, levou milhares de pessoas em pelo menos doze estados a procurar a Caixa para sacar o benefício deste mês. Em alguns estados também circulou o boato de que o programa iria disponibilizar um suposto pagamento "extra" de Dia das Mães, o que também atraiu pessoas para as agências. A corrida aos bancos ocorreu principalmente em cidades do Nordeste, do Norte e no Rio de Janeiro.

De Estadão Conteúdo, revista VEJA

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Consumidores esperam horas para comprar papel higiênico na Venezuela


Os consumidores venezuelanos precisam esperar horas ou andar quilômetros para comprar papel higiênico nos supermercados. O produto voltou às prateleiras nesta semana após a aprovação da importação de mais de 39 milhões de rolos pelo governo do presidente Nicolás Maduro, na semana passada. 
A medida foi anunciada no último dia 15 e ampliada na quarta (22) por um pacote destinado à importação emergencial de produtos de higiene pessoal de 700 milhões de bolívares (R$ 162 milhões). Além do papel higiênico, fraldas, absorventes e sabonetes estão entre os artigos mais afetados pelo desabastecimento. 
Segundo o jornal "El Nacional", donas de casa e outros consumidores faziam longas filas por volta das 8h na porta de um supermercado da zona leste de capital Caracas para comprar o produto, que começou a ser racionado há três semanas.
Por volta das 11h, as filas chegavam ao final dos corredores, todos esperando para levar o produto, que foi limitado a três pacotes de quatro rolos por pessoa, pelo preço de 49 bolívares cada um (R$ 16). Os moradores também levavam outros produtos racionados, como farinha de milho, toalhas de papel, óleo e manteiga.
Questionada pelo jornal "El Nacional", a dona de casa Maritza Silva afirmou que jamais pensou que fosse ter limitada a quantidade de papel higiênico e disse que o país está cada vez mais parecido com Cuba.
"Uma vez encontrei uma moça que andou 25 km para comprar papel higiênico e levava os pacotes em bolsas transparentes. 'Você vai ser roubada', eu lhe disse. Depois ela entrou em um mercadinho e comprou duas bolsas pretas".
"Aqui querem acabar com a produção e as empresas privadas. Estamos como no deserto, quando se vê água. Vivemos sempre em alerta para comprar comida e agora também papel higiênico", disse Graciela Negrín, também dona de casa...


De portal FOLHA

Dilma indica advogado Luís Roberto Barroso para ministro do STF


A presidente Dilma Rousseff indicou o advogado Luís Roberto Barroso para compor o quadro de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), informou há pouco o Palácio do Planalto em nota à imprensa. 
Natural de Vassouras (RJ), Barroso, 55, foi indicado para ocupar a cadeira aberta com a aposentadoria do ministro Carlos Ayres Britto, em novembro de 2012. Essa é a quarta indicação feita pela presidente para o STF. 
“O professor Luís Roberto Barroso cumpre todos os requisitos necessários para o exercício do mais elevado cargo da magistratura do país”, destacou o Palácio do Planalto em nota...

De Bruno Peres e Juliano Basile, portal VALOR

E-mails mostram ação de Rose por faculdade


BRASÍLIA - Documentos reunidos pela sindicância do Palácio do Planalto revelam detalhes sobre como a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo Rosemary Noronha atuou para obter no Ministério da Educação (MEC) o reconhecimento do curso de medicina da Univix, grupo de faculdades no Espírito Santo. A protegida de Lula conduziu o processo do início ao fim: recebeu o pedido para acelerar os trâmites no ministério, fez contato com o ocupante de um cargo de chefia e o encaminhou à autora do pedido, a médica Cláudia Cozer, mulher de Roberto Kalil Filho, médico particular de Lula e de Dilma Rousseff. O MEC diz que o curso ainda não foi reconhecido.

A atuação de Rose aparece numa troca de e-mails obtidos pela comissão de sindicância que identificou suposto tráfico de influência praticado pela ex-servidora.

Em fevereiro e em junho de 2012, Cláudia Cozer repassou ao e-mail institucional de Rose o pedido feito por Eliene Gava Ferrão, diretora acadêmica da Univix. A diretora pedia a publicação de portaria com o reconhecimento do curso de Medicina, que tem apenas a autorização de funcionamento, desde 2005. “O processo encontra-se na Secretaria de Educação Superior para análise final”, diz o e-mail da diretora da Univix. Rose, então, acionou Rogério dos Anjos Araújo, que exercia a Assessoria Parlamentar da Educação...


De Vinicius Sassine, jornal O GLOBO

Vídeo mostra polícia britânica atirando em suspeitos de matar soldado


LONDRES - Imagens de vídeo mostrando o momento em que a polícia atirou nos dois homens suspeitos de assassinar um soldado em uma rua de Londres foram publicadas no site de um jornal britânico nesta sexta-feira.
O vídeo tremido, com 10 segundos de duração, mostra um dos homens correndo em direção a um carro da polícia segurando uma faca, até de ser baleado e cair no chão. O segundo homem parece apontar uma arma para a polícia, e em seguida é baleado.
O soldado Lee Rigby, de 25 anos e que serviu no Afeganistão, foi morto a facadas perto de um quartel do Exército no sul de Londres, na quarta-feira.
O jornal Daily Mirror, que divulgou as primeiras imagens dos disparos, disse que o vídeo foi gravado por um morador de um apartamento nas imediações usando um telefone celular com câmera.
O vídeo mostra o primeiro suspeito, que seria Michael Adebolajo, um britânico convertido ao islamismo, correndo em direção à polícia e chegando a poucos metros dos policiais antes que eles tivessem tempo para sair do carro.
Os primeiros tiros o lançaram ao chão no meio da rua. Cerca de oito tiros e gritos podem ser ouvidos. Os dois suspeitos estão no hospital sob guarda armada.

De agência REUTERS BRASIL

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Oposição interna à candidatura de Campos tem 'dedo do PT', diz líder do PSB

O líder do PSB na Câmara, deputado Beto Albuquerque (RS), identifica "o dedo do governo e de gente do PT" nos movimentos de resistência que surgiram dentro do partido contra uma eventual candidatura à Presidência do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).


Em entrevista à Folha, por telefone, Albuquerque afirmou que as pressões não partem da presidente Dilma Rousseff, mas que ela deveria olhar seu governo "para ver se todos os ministérios estão respeitando a independência dos partidos".

O líder do partido disse ainda que a candidatura de Campos está sendo construída por "90%" da sigla e que o PSB "não é um partido que nasceu e se criou para virar um PMDB, que nunca vai ter candidato a presidente".

Leia a seguir trechos da entrevista.

Folha - Como o sr. vê esses movimentos contra e a favor da candidatura própria dentro do PSB?
Beto Albuquerque - Esses movimentos dentro do PSB têm o dedo do governo e de gente do PT. Infelizmente é uma pressão velada que tem interferido na reflexão de muitos quadros nossos.

Folha - Que tipo de pressão?
Pressão sobre projetos, financiamentos, uma série de coisas. O que eu acho um comportamento totalmente indevido, antidemocrático, nada republicano.

Folha - E como o sr. sabe disso?
Eu sei porque tem muita coisa não acontecendo. Acho que o governo da presidenta Dilma, que tem um histórico democrático, lutou pela democracia, tinha que dar uma olhada firme para dentro do seu governo para ver se todos os seus ministérios estão respeitando a independência dos partidos.

Folha - O sr acha que a pressão não parte da presidente?
Não dela. Mas ela, como comanda o país, tem que começar a se dar conta que esse não é o jogo democrático. Isso acaba interferindo no livre debate que os partidos têm que fazer e que vão fazer.

Folha - E até que ponto isso pode atrapalhar o PSB na escolha de seu candidato?
Não acho que vai atrapalhar, mas é um constrangimento desnecessário sobre algumas lideranças nossas. A decisão do PSB não é de capa preta, é de base e será tomada no momento certo. Tentam enfraquecer, mas o efeito é o contrário. Fortalece as nossas convicções.

Folha - Por que os governadores não denunciam a pressão?
Não seria o papel deles denunciar. Mas é natural que quem administra hoje, nessa relação, nesse pacto federativo que vivemos hoje, o governo federal sempre é visto, é tido e se impõe como mandachuva das decisões. A grande parte dos recursos de investimentos em infraestrutura e saneamento está centralizada na União. Então acaba que o prefeito e o governador muitas vezes têm que estar com o pires na mão ou até se sujeitando a ser enquadrado. Isso é um atraso na política brasileira. Verbas e cargos não podem ser ideologia que movem a política no Brasil.

Folha - O sr. acha que a candidatura de Eduardo Campos é irreversível?
Eu acho que a candidatura do Eduardo está sendo consolidada, construída com a grande maioria, com 90% do partido que quer ter um candidato a presidente. O PSB não é um partido que nasceu e se criou para virar um PMDB, que nunca vai ter candidato a presidente.

Folha - Qual o prazo que o sr. considera razoável para que o PSB deixe o governo?
Até o fim deste ano poderemos ter uma decisão definitiva. Não é um ministério ou outro que vai cabrestear um partido com a história que tem o PSB. Tem que sair na hora que tomar a decisão. Não tem que apressar. Nem o PT é capaz de dizer hoje se é a Dilma ou o Lula [seu candidato] nem vai se reunir hoje para discutir isso.

Folha - Por que não o PSB em 2018?
Não existe 2018 sem 2014.


De Fábio Guibu, de Recife, jornal FOLHA DE SÃO PAULO

Mirian Sobreira: Usina de Biodiesel da Petrobras em Quixadá não mostrou benefícios para a região


Deputada questiona utilidade de usina


Em seu pronunciamento na Assembleia Legislativa, na manhã de ontem, a deputada Mirian Sobreira (PSB) questionou os benefícios da Usina de Biodiesel da Petrobras em Quixadá, que foi construída há seis anos e até o momento, segundo ela, não mostrou benefícios para a região. Ela quer realizar uma audiência pública para discutir como o equipamento pode ser utilizado de forma a trazer dividendos para o Estado do Ceará. No dia anterior, a deputada Rachel Marques (PT) defendeu esse empreendimento, inclusive falando em liberação de novos recursos da Petrobras para a usina.

De acordo com Mirian Sobreira, é urgente e necessário a discussão de um planejamento para a usina, pois, conforme disse, o empreendimento deveria ser uma importante ferramenta no combate à seca e à pobreza da região, mas os investimentos que são feitos não estão alcançando os resultados esperados. "Existem inúmeras áreas de terra produtivas ao redor da empresa e, em um raio de mais de 100 quilômetros não se vê um pé de mamona, girassol, algodão, soja ou outras plantas que a usina utiliza como matéria-prima", destacou a pessebista.

Na terça-feira passada, porém, a petista Rachel Marques, destacou o esforço que seu marido e deputado federal em exercício, Ilário Marques (PT), está travando para a ampliação do equipamento. Conforme disse em seu pronunciamento, a ampliação da usina entrou na pauta de discussões da Petrobras, mas que seria preciso uma mobilização política para que a proposta saia do papel...


De política, jornal DIÁRIO DO NORDESTE

Acuado, Maduro incentiva a criação de ‘milícias operárias’

Com a Venezuela dividida pelas acusações de fraude nas eleições de abril e ameaçado por cisões dentro da cúpula chavista, o pressionado presidente Nicolas Maduro veio a público nesta quarta-feira para incentivar a criação de um novo grupo armado ligado ao governo, as “milícias operárias”. "Ordeno avançar, o mais rápido possível, com o estabelecimento e a organização das milícias operárias bolivarianas como parte das milícias nacionais", bradou Maduro em um ato na Universidade Bolivariana de Trabalhadores Jesús Rivero, em Caracas.

Milícias - De clara inspiração fascista, a Milícia Nacional Bolivariana foi estabelecida por Hugo Chávez em 2009 para reunir e legitimar todos os grupos armados clandestinos que realizavam o trabalho sujo de intimidar os opositores do regime. O novo grupo proposto por Maduro faria parte desta milícia, que por sua vez é ligada às Forças Armadas venezuelanas, e seria composto principalmente por membros da classe trabalhadora em um esforço para "fortalecer a aliança operária-militar".

"As milícias serão ainda mais respeitadas se tiverem 300 mil, um milhão, dois milhões de trabalhadores e trabalhadoras uniformizados e armados, prontos para a defesa da soberania e da revolução", destacou Maduro. Segundo estimativas, o atual efetivo da Milícia Nacional Bolivariana é de 130 mil homens...



De internacional, revista VEJA

Cotas para artistas negros reacende polêmica na Justiça



As ministras da Igualdade Racial e da Cultura criticaram de maneira dura a decisão judicial que determinou a suspensão dos concursos culturais destinados apenas a pessoas negras. “Estamos indignados, achamos que é uma decisão racista”, disse Marta Suplicy, da Cultura, nesta quarta-feira, 22, segundo informações da Agência Brasil.

Ela seguiu os passos da ministra de Luiza Bairros, da Igualdade Racial, que já havia se manifestado na terça, 21. “A decisão judicial demonstra que a vitória jurídica obtida no Superior Tribunal Federal (STF) deverá ser seguida por uma outra batalha, a ideológica, até que as ações afirmativas sejam entendidas como necessárias em todos os campos da vida social”, disse Luiza, referindo-se à decisão da corte que considerou legal a instituição de cotas raciais em universidades.

O juiz que suspendeu as ações organizadas pelo Ministério da Cultura (MinC) tem outra visão. Para ele, racismo é separar negros e brancos em ações públicas...

De política, Roldão Arruda, portal ESTADÃO

Irã pretende acelerar atividade nuclear, diz ONU


VIENA - O Irã está tentando acelerar o programa de enriquecimento de urânio do país, mostrou um relatório da ONU, mas especialistas disseram que não está claro quando as novas máquinas iranianas poderiam começar a operar de forma eficiente e como funcionarão.
O progresso da República Islâmica na introdução de centrífugas de próxima geração é acompanhado de perto por potências ocidentais e Israel, pois permitiria que Teerã acelerasse o acúmulo de material que poderia ser usado para construir bombas atômicas. O Irã nega ter esse objetivo.
O Irã tem tentado por anos para desenvolver centrífugas mais avançadas do que as problemáticas máquinas IR-1, dos anos 1970, mas a implantação de novos modelos tem sido marcada por dificuldades técnicas e dificuldade na obtenção de peças no exterior.
O país agora está avançando na instalação de uma versão mais eficiente conhecida como o IR-2m em sua principal usina de enriquecimento, perto da cidade central de Natanz, segundo o relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).
O Irã também colocou em prática outro tipo de centrífuga, a IR-5, pela primeira vez em um centro de pesquisa e desenvolvimento em Natanz, juntando-se a outros cinco que estão sendo testados lá, acrescentou o relatório emitido aos Estados membros na noite de quarta-feira.
Críticos dizem que o Irã está tentando alcançar a capacidade de fabricar armas atômicas. O Irã nega, dizendo que precisa de energia nuclear para geração de energia e fins médicos.

De Fredrik Dahl, agência REUTERS BRASIL

Relator quer fim da multa de 40% do FGTS para demissão de domésticos


BRASÍLIA e RIO – Um dia após receber do governo a proposta de regulamentação dos novos direitos dos trabalhadores domésticos, o senador Romero Jucá (PMDB-RR), relator da comissão mista do Congresso que discute o tema, propôs que não seja instituída a multa dos 40% do FGTS nas demissões sem justa para a categoria — um dos itens mais polêmicos das novas regras e que era defendido pela presidente Dilma Rousseff. Em troca, Jucá defende a criação uma contribuição adicional ao Fundo, de 3%, a ser paga mensalmente pelos empregadores, além dos 8% que passarão a ser obrigatórios. Nos bastidores, o governo vê com simpatia a alternativa de Jucá.

Jucá também sugeriu a redução do recolhimento patronal para a Previdência de 12% para 8%, outro ponto que o Planalto não queria mexer. Mas seria instituída uma contribuição de 1% a ser paga pelos empregadores para custear o seguro contra acidente de trabalho, que os domésticos passarão a fazer jus. Na prática, o acréscimo na contribuição do FGTS e a taxa pelo seguro serão compensados pela redução na alíquota da Previdência — o total de encargos para o empregador ficará, assim, em 20%...


De Geralda Doca, Cássia Almeida, jornal O GLOBO

Ajuda federal permitirá reajuste de trem, metrô e ônibus menor em SP


O governo vai suspender a cobrança de dois impostos federais que incidem sobre as tarifas de transporte coletivo urbano em todo o país a partir do próximo mês.
Preocupado com o impacto do reajuste destes preços sobre a inflação, a equipe econômica resolveu zerar a alíquota de PIS e Cofins que é paga pelas empresas de ônibus, metrô e transporte de passageiros por barcos.

A medida, que entrará em vigor no dia 1º de junho, contribuiu para reduzir o reajuste no preço das tarifas de ônibus municipais, metrô e trens da CPTM, que a prefeitura de São Paulo e o governo do Estado farão a partir do dia 2.

A desoneração também terá impacto sobre os reajustes esperados nas passagens de transporte coletivo em outras cidades do país.

Como a Folha antecipou no início de março, a medida estava em gestação há meses e aguardava uma avaliação da área técnica da equipe econômica sobre qual o espaço que o governo teria para fazer a renúncia fiscal...


De Natuza Nery, de Brasília, jornal FOLHA DE SÃO PAULO

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Acordão Morada Nova, que o dia já raiou


Bate a angustia e o desespero, pois já se passaram mais de 140 dias da posse, e a população não ver a verdade se estabelecer, o município de Morada Nova está encéfalo no seu comando maior, e o até então candidato Glauber Castro cumpriu o seu papel, foi o legitimamente vencedor nas Eleições de 2012, com o sufrágio da maioria dos votos a seu favor.

O que se ver é o segundo colocado, Wanderley Nogueira no comando, chancelado por instancias jurídicas inferiores, passou movimentado movimentar milhões de reais dos cofres do município, sem o aval dos eleitores.

E como resultado tem-se um verdadeiro caos administrativo nas diversas áreas, como saúde e educação e outras. Com a falta de médicos, auxiliares, medicamentos, atendimentos ambulatoriais,  fechamento de hospital, falta de matérias para as escolas e outros demandas negadas a população, muito embora exitam atividades não prioritárias que embora atendam interesses públicos, sobram dúvidas quanto aos maiores favorecidos.

Por fim, vem a esperança de novos dias, mesmo tardia, como é de praxe jurídica, temos a publicação do Acórdão e a certificação do estabelecimento da verdade pela corte superior, alinhando a vontade popular e a legalidade defendida pelo candidato e agora prefeito reeleito Glauber Castro, ou seja a sua capacidade cidadão de ser votado.


De Júlio Cunha

Boato de que Lula não é mais presidente gera tumulto em 12 cidades

A Virada Social terminou com seis feridos e duzentos mil saques

CAIXA - Alarmadas com o boato de que Lula não é mais presidente do Brasil, milhares de pessoas promoveram o caos em 12 cidades no final de semana. Em São Paulo, militantes do PT organizaram um rodízio de furtos e arrastões na Virada Cultural. "Quantas e quantas vezes, um homem poderá roubar / Antes que o chamemos de ladrão? / A resposta, meus caros, sopra com o ar poluído da marginal", cantou Eduardo Suplicy, após ter sua renda mínima furtada.

Em Belo Horizonte, Ronaldinho Gaúcho simulou atirar uma granada na torcida do Cruzeiro numa atitude clara de terrorismo petista. No Rio, o jornal O Globo registrou a diminuição de sorrisos no Leblon. O nordeste também foi afetado. Centenas de milhares de pessoas vagaram desnorteadas pelas ruas do Maranhão após a divulgação do boato de que Sarney tinha passado para a oposição.

Alarmada, Dilma Rousseff criou seis novos ministérios para resolver o problema. "Tivemos que agir rápido. Criamos o Ministério contra a Boataria, e cinco secretarias, com status de Ministério, para promover o legado de Lula e manter a tranquilidade no país", assegurou, enquanto criava quatro novos programas sociais...

De The Herald, revista PIAUÍ

Denúncia de Ciro Gomes contra Capitão Wagner opõe Casas Legislativas


As acusações feitas pelo ex-ministro Ciro Gomes (PSB) contra o vereador Capitão Wagner Sousa (PR) opuseram as duas principais Casas Legislativas do Ceará. Enquanto a Assembleia amparou a fala de Ciro, na Câmara Municipal de Fortaleza foi mais intenso o movimento que saiu na defesa de Wagner. Em ambos os casos, parlamentares estudam convocar o ex-ministro para prestar esclarecimentos sobre o caso.
Na última segunda-feira, 20, Ciro Gomes acusou Capitão Wagner - a quem chamou de “picareta” - de chefiar milícia ligada ao narcotráfico na PM do Estado. A fala do ex-ministro desagradou vereadores de Fortaleza, que cobraram que a Câmara conceda amplo apoio e espaço de defesa para Capitão Wagner.
“Essa acusação não foi feita por qualquer pessoa, mas pelo irmão do governador Cid Gomes. Isso aqui (a Câmara) não é bodega”, disse o vereador Guilherme Sampaio (PT), que cobrou a emissão de nota da Mesa Diretora da Câmara em apoio a Capitão Wagner.
Adail Júnior (PV), que presidia a sessão no momento da fala do petista, prestou solidariedade ao vereador acusado e disse que levaria pessoalmente o assunto ao presidente da Casa, Walter Cavalcante (PMDB). Em meio ao debate, Eulógio Neto (PSC) solicitou a vinda de Ciro ao Legislativo.
“Ou o ex-governador está certo e a Câmara abriga entre nós um chefe de milícia ligado a narcotraficantes, ou o ex-governador falta com a verdade, comete brutal injustiça e deve pedir desculpas públicas", disse João Alfredo (Psol)...

De política, jornal O POVO

CUSTO DA ENERGIA: Retirada de emenda gera mal-estar no CE

O deputado Lula Morais (PCdoB), disse ontem, na tribuna da Assembleia Legislativa, que o senador José Pimentel (PT) prejudicou a população do Ceará quando retirou da Medida Provisória (MP) 605, que procura garantir a redução das tarifas de energia, uma emenda do senador Inácio Arruda (PCdoB), que visava o fim do contrato entre a Coelce e TermoFortaleza. O deputado vem ao longo dos meses criticando tal contrato, afirmando que este tem contribuído para cobranças exorbitantes da tarifa de energia no Estado.

De acordo com ele, a emenda de seu correligionário iria tornar sem efeito o contrato entre a Companhia de Energética do Ceará e a TermoFortaleza, que conforme disse, "superfatura a conta de luz da população cearense". A Medida Provisória (MP) 605 discorre sobre a Conta de Desenvolvimento Energético e estabelece seus objetivos, visando, principalmente, garantir a redução das tarifas de energia.

A retirada da proposta, segundo informou, foi feita a pedido do senador José Pimentel e pelo deputado federal Arnaldo Jardim (MD-SP), o que causou estranheza no deputado estadual cearense. De acordo com ele, a inclusão da emenda traria, sem dúvida nenhuma, um benefício fantástico para os consumidores cearenses e para a economia do Estado do Ceará. O senador José Pimentel é um dos integrantes d a liderança do Governo no Congresso Nacional.
Lula Morais, porém, afirmou que o senador Pimentel comprometeu-se a continuar a luta, junto ao Governo Federal, para que o impasse seja resolvido, fora da Medida Provisória em razão do interesse do Governo em não alterá-la. "Vamos passar a cobrá-lo pelo que ele disse na Comissão", avisou Lula Morais. O parlamentar informou, ainda, que Inácio Arruda garantiu que tentará "ressuscitar essa oportunidade" de aprovação da emenda através de um recurso em plenário, quando da votação da Medida Provisória...


De política, jornal DIÁRIO DO NORDESTE

Soldados egípcios sequestrados no Sinai ganham liberdade

Cairo - Os sete policiais e soldados egípcios sequestrados na última semana por um grupo armado no Sinai foram libertados nesta quarta-feira no norte desta península, afirmou à agência Efe uma fonte dos serviços de segurança.

De acordo com a fonte, os reféns foram encontrados no deserto do Sinai, depois que seus sequestradores os libertassem para evitar que o Exército lançasse uma operação militar no local.


De agência EFE