terça-feira, 8 de agosto de 2017

Lula grava vídeo e seu candidato perde eleição no interior do Piauí




Apesar de sua força política no Nordeste e de o governador do Piauí ser do PT, o ex-presidente Lula foi derrotado no seu primeiro teste nas urnas após ter sido condenado pela Lava Jato. Lula gravou um vídeo de apoio ao candidato Jailson (PT) à prefeitura de Miguel Leão, pequena cidade do Piauí. O presidente do PP, senador Ciro Nogueira, gravou outro a favor de Robertinho (PR). O candidato de Lula perdeu a disputa para o nome do PR. A eleição suplementar ocorreu domingo porque o prefeito, o vice e o presidente da Câmara foram cassados.

No vídeo de um minuto, que acompanha a legenda “ex-presidente do Brasi”, sem o L, Lula nacionaliza a disputa. “O Jailson é do PT e você sabe que o PT sabe governar o Brasil, sabe governar Miguel Leão, por isso domingo não se esqueça, vote em Jailson”, diz ele...

De Andreza Matias e Marcelo de Morais, Estadão

sábado, 5 de agosto de 2017

Mercosul suspende novamente Venezuela por ruptura da ordem democrática



Os chanceleres do Mercosul decidiram hoje (5), por consenso, suspender a Venezuela do bloco – formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai – por ruptura da ordem democrática. A sanção foi aplicada com base nas cláusulas do Protocolo de Ushuaia, assinado em 1998. Entre as exigências para que a questão seja revista estão a “libertação dos presos políticos, a restauração das competências do Poder Legislativo, a retomada do calendário eleitoral e anulação da convocação da Assembleia Constituinte”, diz o documento assinado durante o encontro.

“É uma sanção grave de natureza política”, enfatizou o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira. A partir da medida, os países membros do bloco esperam isolar o governo de Nicolás Maduro, considerado não democrático pelo Mercosul. “É um elemento a mais que nós estamos colocando para que a Venezuela possa, mediante a luta do seu povo, ter o direito de voltar a participar do Mercosul”, acrescentou o chanceler brasileiro em entrevista coletiva após a reunião.

A suspensão se soma a outra, chamada de natureza jurídica, feita no final do ano passado devido ao não cumprimento, por parte da Venezuela de acordos e tratados firmados no momento de adesão ao Mercosul. Essa decisão foi tomada com base na Convenção de Viena...

De Daniel Mello, Agência Brasil

Kremlin concorda com Trump sobre perigo da tensão entre Rússia e EUA


O Kremlin concordou nesta sexta-feira com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre o perigo que representa a ausência de cooperação entre ambos países após o novo rodízio de sanções adotadas por Washington contra Moscou.

"Compartilhamos plenamente sua opinião. O perigo radica na falta de interação e cooperação naqueles assuntos que são vitais para os dois países", disse Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin, à imprensa.

Além disso, o porta-voz voltou a tachar o denominado "Russiangate" de "completamente absurdo e infundado"...

De Agência EFE

Fim de financiamento privado de campanhas abre espaço para crime organizado


O chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Sérgio Etchegoyen, afirmou nesta sexta-feira, 4, estar preocupado que facções criminosas aproveitem o fim do financiamento privado de campanhas políticas para eleger representantes nas eleições de 2018.

De acordo com Etchegoyen, o Brasil corre o risco de ver a democracia "refletir a atuação do crime organizado". A declaração foi dada em explanação na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (Eceme), na Urca, zona sul do Rio. "Com o fim do financiamento privado de campanha, você só tem três financiamentos hoje: o estatal, o crime organizado e as igrejas - existem igrejas e igrejas. São só esses três que têm dinheiro fácil para distribuir", sustentou...

De Marcio Dolzan, Broadcast, AE

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Ser Educacional abre 100 novos polos de Ensino a Distância no 2º semestre




A Ser Educacional informou que iniciou no mês passado a abertura de novos polos de ensino a distância e terá ao menos 100 novos espaços operando na captação de estudantes já neste segundo semestre de 2017. Em teleconferência com analistas e investidores, o presidente da companhia, Jânyo Diniz, destacou que essas aberturas já são um reflexo da mudança nas regras do Ministério da Educação para o segmento de ensino a distância.

A nova regra prevê que instituições de ensino superior que possuem credenciamento para EAD com nota igual a 4 ou 5 possam abrir até 150 e 250 novos polos de ensino a distância por ano, respectivamente. Essas aberturas não necessitam mais de visita e autorizações prévias...

De Broadcast, Agência Estado

Governo quer aprovar reforma da Previdência até outubro, diz Meirelles




O governo federal espera aprovar a reforma da Previdência até outubro deste ano, disse o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que participou de reunião com investidores estrangeiros dia 3, na capital paulista. Ele não acredita que o placar da votação que rejeitou a denúncia contra o presidente Michel Temer vá se refletir na votação das reformas. “Não é simplesmente quem é contra ou a favor do governo. Vai além disso. Acreditamos na viabilidade da aprovação”, apontou. O ministro destacou que a aprovação das reformas demandará trabalho intenso. “Não é uma coisa trivial”, disse.

Meirelles falou também sobre a reforma tributária que, na avaliação dele, deve ser votada até novembro. “Estamos trabalhando duro na reforma tributária e ela vai ser apresentada ao Congresso num próximo momento.” Ele não descartou a possibilidade de inverter a ordem de votação entre as reformas prioritárias para o governo. “Se até lá a Previdência não tiver sido votada, a tributária pode passar na frente.” (...)

De Camila Maciel, Agência Brasil

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Doria entra com queixa-crime contra Ciro



Após o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), entrar com uma queixa-crime contra Ciro Gomes (PDT) por calúnia, difamação e injúria, o ex-ministro voltou a chamar o tucano de "farsante" nesta quarta-feira (20/7). Na representação criminal, distribuída no Foro Central Criminal Barra Funda no último dia 18, o advogado do prefeito afirma que Ciro chamou Doria três vezes de "farsante" e disse que "é notória" a intenção do ex-ministro em "macular a honra objetiva de João Doria". Os dois são cotados para candidatos à Presidência da República em 2018.
...
A peça processual com mais de 20 páginas, assinada por Costa e pela advogada Daniele dos Santos Fernandes, cita uma palestra de Ciro na Universidade de São Paulo (USP) e algumas reportagens - uma delas do jornal O Estado de S. Paulo, em que o ex-ministro disse preferir "mil vezes um cara como Bolsonaro do que um farsante como Doria".
...
Em um trecho da queixa-crime, os advogados afirmam que os comentários "extrapolam 'em muito' o seu direito à liberdade de expressão e manifestação do pensamento". A defesa citou o casamento de "quase trinta anos" de Doria, bem como seus filhos e seu cargo como prefeito, para justificar que o tucano "tem todos os aspectos de sua vida atrelados à reputação"...

De Agencia Estado, Correio Braziliense

Temer diz que 'brasileiros compreenderão aumento de impostos'



O presidente Michel Temer afirmou no fim da noite de quinta-feira, ao chegar em Mendoza (Argentina) para a reunião de cúpula do Mercosul, que os brasileiros compreenderão o aumento de impostos porque o seu governo "não mente". Ele atribuiu a iniciativa à responsabilidade fiscal.

Temer também afirmou que na presidência “pro tempore” do Mercosul, trabalhará pela redemocratização do Estado venezuelano.

Temer atribuiu o aumento do PIS/Cofins sobre os combustíveis divulgado nesta quinta-feira à responsabilidade fiscal e à necessidade de cumprimento da meta fiscal.

"A população compreenderá porque esse é um governo que não mente", justificou. Segundo Temer, se o objetivo é a recuperação econômica, é preciso dizer exatamente o que está acontecendo”, afirmou...

De Andrea Jubé, Valor

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Pirelli retrata "Alice no país das maravilhas"



O tradicional calendário da Pirelli irá retratar o cenário fantasioso de "Alice no País das Maravilhas" em sua edição 2018.

A 45ª edição do calendário foi produzida pelo fotógrafo Tim Walker e desenhada pelo novo editor britânico da Vogue, Edward Enninful.

A novidade deste ano é a diversidade racial, com modelos e artistas negros interpretando os personagens da história de Lewis Carroll. Nomes como Naomi Campbell, RuPaul, P.Diddy, Whoopi Goldberg e Lupita Nyong'o recheiam as páginas do calendário de 2018 com fotos sombrias e cenários rústicos.

"Alice", a personagem principal, é interpretada pela modelo sudanesa-australiana Duckie Thot."É interessante que olhem para uma história tão conhecida e a vejam com outros olhos", disse Nyong'o.

Desde 1960, quando o calendário foi criado, a única ediação só com negros veio em 1987, com o fotógrafo Terence Donovan.

De Home, Ansa Brasil

Brasil vê "instituições fascistas" em constituinte de Maduro




O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, afirmou que a Assembleia Constituinte defendida pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, incorpora instituições eleitorais fascistas.

"Nos preocupamos muito porque [o referendo] é um elemento de agravamento do conflito, na medida em que vai criar duas ordens institucionais: a ordem da Constituição bolivariana, que criou a Assembleia Nacional, e esta nova Constituinte com base numa legislação que incorpora instituições eleitorais fascistas", afirmou Nunes em entrevista à agência de notícias Lusa, publicada nesta quinta-feira (20/07).

O ministro disse temer um agravamento das tensões na Venezuela. "A América do Sul é um continente de paz, tem que ser um continente de paz. Nós não queremos que haja uma situação que possa levar a uma guerra civil, uma instabilidade no nosso continente e uma intervenção de gente de fora", destacou.

Sobre a consulta simbólica organizada pela oposição venezuelana no domingo passado, Nunes disse que a participação popular de mais de 7 milhões de pessoas, "que votaram em condições adversas", mostra que a população do país deseja democracia. "A mobilização do povo [venezuelano] pela democracia mostra a força dessa ideia", concluiu...

De AS, lusa, DW

Publicitário Marcos Valério fecha acordo de delação premiada com a Polícia Federal




A Polícia Federal (PF) confirmou hoje (19) que o publicitário Marcos Valério assinou um acordo de delação premiada. Para ter validade, o acordo ainda precisa ser homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Os termos negociados estão sob sigilo, por envolver agentes políticos com foro privilegiado.

As negociações em torno de um acordo de delação premiada do publicitário vinham se arrastando desde o ano passado. Em junho de 2016, seus advogados apresentaram ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) uma proposta de colaboração para revelar informações relacionadas à Ação Penal 536, na qual é um dos réus. A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Belo Horizonte, que recebeu a proposta de delação premiada dos advogados de Marcos Valério, informou, no entanto, que não havia interesse no acordo por parte do MPMG.

Nesta ação, é investigado o esquema que ficou conhecido como mensalão mineiro, que envolve benefícios ilegais obtidos com a participação de Valério para a campanha de Eduardo Azeredo ao governo de Minas Gerais em 1998. Um dos fundadores do PSDB e ex-presidente da legenda, Azeredo já foi condenado em primeira instância à pena de 20 anos e 10 meses de prisão. Ele entrou com recurso no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e aguarda o julgamento em liberdade...

De Léo Rodrigues, Agência Brasil

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Da Arena ao DEM: Repaginado, partido criado a partir de agremiação que apoiou ditadura se reaproxima da Presidência



A ditadura militar se aproximava do fim quando o ex-governador baiano Antônio Carlos Magalhães (ACM) peitou um dos homens mais fortes do regime: o ministro da Aeronáutica, brigadeiro Délio Jardim de Matos.

Matos acusara ACM de traição por rejeitar a candidatura do governista Paulo Maluf na eleição indireta para a Presidência e apoiar o oposicionista Tancredo Neves.

ACM retrucou: "Traidor é quem apoia corruptos".

A declaração expôs o racha que resultaria no partido que, passados 33 anos e após nova metamorfose, volta a se acercar da cadeira presidencial - agora com o nome Democratas (DEM) e liderado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que assumirá o Planalto se Michel Temer for afastado.

"Foi um lance genial", lembra David Fleischer, professor de ciência política da Universidade de Brasília (UnB).

Criticar publicamente um ministro da ditadura poderia significar o fim de uma carreira política - ou algo pior...

De João Fellet, BBC

Moro decide que R$ 16 milhões do caso triplex vão para os cofres da Petrobras



O juiz federal Sérgio Moro afirmou nesta terça-feira, 18, em resposta aos embargos de declaração da Petrobras, no âmbito da ação em que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e 6 meses de prisão, que os R$ 16 milhões da suposta conta corrente da OAS com o PT, que incluem os R$ 2,25 milhões do triplex no Guarujá e suas respectivas reformas, serão revertidos em favor da estatal.

Após a sentença que apenou, pela primeira vez, um ex-presidente, por crime comum, na história do Brasil, os advogados da petrolífera haviam pedido esclarecimentos a respeito da destinação dos valores.

A defesa da Petrobras, alegando que a estatal foi vítima do esquema de cartel e propinas que operou em algumas de suas principais diretorias por uma década, requereu para seus cofres o valor da sanção pecuniária imposta por Moro aos réus do caso triplex...

De Conteúdo Estadão, Isto É

terça-feira, 11 de julho de 2017

Além de ação contra Lula, Moro tem mais três ações prontas para julgar na Lava-Jato



O juiz Sergio Moro tem quatro ações prontas para serem julgadas. A mais urgente delas é a que envolve o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado pela força-tarefa da Lava-Jato de ter recebido vantagens da OAS com o tríplex do Guarujá e o armazenamento do acervo presidencial, pago pela empreiteira. O juiz não tem prazo para proferir a sentença, mas a expectativa é que a decisão seja breve.

O julgamento deve ser o mais polêmico da Lava-Jato, por envolver o ex-presidente e um conjunto de provas indiciárias. Nas alegações finais apresentadas a Moro, o Ministério Público Federa afirmou que o Supremo Tribunal Federal tem externado que a prova por indícios é apta a lastrear a condenação, mesmo quando baseada em presunções. Para os procuradores, a dificuldade de produzir provas de que o apartamento pertence à família de Lula é fruto da profissionalização dos crimes de lavagem de dinheiro. "O ponto aqui é que disso tudo flui que os crimes perpetrados pelos investigados são de difícil prova.

Isso não é apenas um “fruto do acaso”, mas sim da profissionalização de sua prática e de cuidados deliberadamente empregados pelos réus", escreveram.

A defesa de Lula alega perseguição política, já que o ex-presidente e sua família nunca usaram o imóvel. O advogado do ex-presidente diz ainda que a empreiteira OAS deu o imóvel em garantia a operações financeiras na Caixa e, portanto, não pode se esquivar de ser, de fato, a proprietária do tríplex, como consta no Cartório de Registro de Imóveis.

O empresário Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, que está preso, disse em depoimento a Moro que desde 2009, quando a empreiteira assumiu a obra da cooperativa dos bancários, foi informado que a unidade estava reservada ai presidente Lula e não deveria ser vendida a terceiros. Ele não apresentou provas, apenas registros de encontros constantes no Instituto Lula. O processo inclui ainda emails indicando que a reforma foi feita segundo orientação da família do ex-presidente...

De Cleide Carvalho, O Globo, Extra

Texto da reforma trabalhista será votado hoje no plenário do Senado



O governo precisa de maioria simples para conseguir aprovar a matéria, ou seja, do apoio de metade dos senadores presentes mais um. Se todos os 81 estiverem no plenário, 41 precisarão votar favoravelmente à reforma para que ela passe. Caso tenha esse apoio, mais de 100 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) serão alterados antes do fim do ano. As novas regras trabalhistas começarão a valer 120 dias depois que o texto for sancionado pelo presidente Michel Temer e publicado no Diário Oficial da União. Relator do texto nas comissões de Assuntos Sociais (CAS) e de Assuntos Econômicos (CAE), o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) aposta em pelo menos 50 votos favoráveis. “A expectativa é muito positiva. Teremos mais de 49 votos. “Acredito que ninguém faltará”, disse.


O fato de a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, ter negado o pedido feito por 18 senadores da oposição para suspender a votação animou o governo. A interpretação geral é que as chances são boas, mas, como disse o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), na semana passada, o resultado “dependerá da presença dos senadores e senadoras”.

A disputa de hoje deve ser acirrada, e o resultado, não muito folgado. Mesmo os parlamentares mais otimistas, que contavam com mais de 50 votos até a semana passada, agora dificilmente cogitam que a somatória passe de 46. Um levantamento feito pelo governo conta com um placar ainda mais apertado, com 42 favoráveis à reforma, apenas um a mais que o mínimo necessário. A margem é perigosa e significa que eventuais faltas podem fazer muita diferença, como aconteceu na CAS, quando o parecer de Ferraço, favorável ao texto, foi rejeitado por 10 a 9, devido à abstenção de um parlamentar da base...

De Alessandra Azevedo, Correio Braziliense

Doria substitui frota da prefeitura por carros e táxis da 99



A 99 (ex-99 Taxis) foi a vencedora da licitação promovida pela prefeitura de São Paulo para ser a empresa de aplicativos de transporte que vai gerenciar toda a demanda por veículos do poder público municipal. A empresa derrotou seus maiores rivais nesse mercado, como Uber, Cabify e Easy, além das maiores cooperativas de táxi que prestam serviço na capital.

A prefeitura conta com uma frota estimada em 2 000 carros, que serão leiloados ou devolvidos para locadoras. O gasto anual fica em torno de 170 milhões de reais por ano. A estimativa é que essa despesa caia para 50 milhões de reais por ano. Com a diferença de 120 milhões de reais, a prefeitura poderia construir até 6 500 novas moradias populares ou 25 novas creches – mas a eventual economia não tem destino certo. A substituição da frota própria pelo uso de carros particulares e táxis foi uma das primeiras promessas do atual prefeito João Dória, anunciada no ano passado antes mesmo da sua posse.

A medida é elogiada por especialistas porque racionaliza o uso de carros a serviço do poder público, uma vez que vai eliminar o desperdício do tempo em que os automóveis oficiais ficam estacionados à espera do servidor. Mas os especialistas também dizem que a prefeitura deveria incentivar o uso do transporte público e de bicicletas pelos seus funcionários...

De Marcelo Sakate, Veja

segunda-feira, 10 de julho de 2017

O que são os coletivos chavistas, 'defensores da revolução' que invadiram a Assembleia venezuelana





O grafite no muro ilustra a ameaça. Trata-se da silhueta de um homem apontando um fuzil. Logo abaixo, a legenda: "Os coletivos vão tomar Caracas em defesa da revolução!".

Esse tipo de grafite é comum em paredes e edifícios de vários bairros de Caracas. E também nos muros brancos que cercam o Parlamento venezuelano, invadido na quarta-feira por um grupo de civis simpatizantes do presidente Nicolás Maduro.

Os líderes da oposição os chamam de "paramilitares". A procuradora-geral da República, Luisa Ortega, os define como "grupos armados civis fora da lei". Nas ruas, são conhecidos simplesmente como "coletivos". E frequentemente estão encapuzados.

Segundo o governo, muitos coletivos são grupos sociais que trabalham em projetos dentro de organizações criadas pelo ex-presidente Hugo Chávez nas comunidades.

Vários são pacíficos. E desempenham papel político associado a uma longa tradição de esquerda, o que os vincula a Chávez e à revolução bolivariana, agora liderada pelo presidente Nicolás Maduro...

DeDaniel García Marco, BBC Mundo

Sem dinheiro, INSS pode suspender atendimento em metade dos postos


A situação dos cofres públicos é dramática. Sem condições de cumprir a meta fiscal deste ano, de deficit de até R$ 139 bilhões, o Tesouro Nacional está suspendendo uma série de pagamentos e cortando o que pode de despesas. A tesoura, inclusive, avançou sobre o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que pode suspender o atendimento em até metade de suas agências espalhadas pelo país.

Segundo fontes, o Ministério do Planejamento cortou mais de 40% dos recursos disponíveis para o funcionamento das agências do INSS. Há mais de três meses, o presidente da instituição, Leonardo Gadelha, vem conversando com o Planejamento em busca de uma solução, pois o dinheiro disponível para manter os postos de atendimento abertos praticamente acabou. Se nada for feito, nas próximas semanas, o INSS terá que anunciar um plano especial para atender a população.

Diante da escassez de recursos, o Planejamento se mantém irredutível. Mas a perspectiva de caos no atendimento do INSS pode levar o Palácio do Planalto a intervir no assunto. Num momento em que o presidente Michel Temer está a um passo de perder o mandato, o fechamento de agências do INSS levará a população a pedir o fim imediato do governo, dizem técnicos da Esplanada dos Ministérios. Será um desgaste enorme...

De Redação, Correio Braziliense


sexta-feira, 7 de julho de 2017

Empresa procura por dupla para viajar 42 países e degustar comidas



Empresa brasileira procura por dupla para viajar e experimentar comidas brasileiras em 42 países. A Dinneer criou o "Melhor Emprego do Mundo". A ideia é conseguir duas pessoas para embarcar e visitar a casa de brasileiros que moram em outros países para degustar a comida preparada por eles.

"Nós queremos mudar o mundo. Inscreva-se hoje e mude a história da Dinneer - e a sua também", diz uma mensagem no site da empresa. Para conseguir a vaga, é necessário "ser maior de 18 anos, ter disponibilidade para cumprir o roteiro de viagens, ser apaixonada por culinária brasileira, ser sociável, ter boa comunicação oral e escrita, habilidade com as câmeras e ser receptiva", segundo a própria Dinneer.

Durante a viagem, os candidatos vão produzir um documentário protagonizado por eles. No site não informa se haverá pagamento de salário para as pessoas que forem selecionadas. Para quem se interessar, é necessário acessar o site da empresa e responder à pergunta: "Por que vocês são a dupla ideal para esse emprego?" Ainda não foi divulgado quando os sorteados irão viajar

De Redação, A Tarde

Gasolina fica 0,7% mais barata e diesel cai 0,2%; este é o quarto reajuste desde que a estatal adotou nova política de preços



Em menos de 24h, Petrobras anuncia novo reajuste nos combustíveis


A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (7) a quarta revisão de preço de combustíveis desde que passou a adotar a política de reajustes diários, no dia 30 de junho. Neste sábado (8), a gasolina estará 0,7% mais barata nas refinarias da estatal e o óleo diesel, 0,2%. Das quatro revisões, três foram para baixar os preços. Nessa quinta à noite, a empresa já havia divulgado redução de 0,5% para os dois combustíveis.

A empresa argumenta que, com a possibilidade de reajustar diariamente os preços, tem mais ferramentas para competir com as empresas importadoras, que estão ganhando espaço no mercado brasileira.

A mudança foi divulgada na última sexta-feira (30). No mesmo dia, a Petrobras reduziu em 5,9% o preço da gasolina e em 4,8% o do diesel. Na segunda-feira (3), a estatal elevou o preço da gasolina em 1,8% e o do diesel, em 2,7%...
 De Economia, O Tempo

De 'Brasil-mania' a 'Brasil-náusea', país encolhe e vive seu pior momento no G20


Depois de quase desistir de comparecer à cúpula anual do G20, na Alemanha, o presidente Michel Temer, denunciado por corrupção passiva, chegou a Hamburgo, Alemanha, sem o brilho de quase uma década atrás, quando a ascensão do grupo coincidiu com o auge de visibilidade do país no mundo.
...
Seu fortalecimento, em contraponto ao G8 - formado pelos países mais ricos do mundo e a Rússia - seguiu-se à percepção de que não seria possível encontrar saídas para a turbulência econômica sem a participação das grandes nações emergentes, como China, Índia e Brasil, que apresentavam altas taxas de expansão do PIB.
...
"Os anos de 2008 e 2009 eram o momento da 'Brasilmania', com a estátua do Cristo Redentor decolando do topo da montanha do Corcovado na capa da revista inglesa The Economist. Agora, acho que estamos numa fase de 'Brasil-náusea', colocando para fora problemas como populismo político, irresponsabilidade fiscal e um sistema de economia política de compadrio", afirma Marcos Troyjo, diretor do BricLab da Universidade de Columbia, nos EUA.
...
"Temer não terá muita voz ou influência na reunião. O Brasil não desempenha hoje nenhum papel importante nos assuntos econômicos mundiais. A crise de governo, os retrocessos econômicos e os escândalos de corrupção fizeram com que a maioria dos principais países do mundo e agências internacionais se tornasse cautelosa sobre manter relações próximas com o Brasil."...


De Mariana Schreiber, BBC Brasil a Hamburgo, Alemanha

quinta-feira, 6 de julho de 2017

WhatsApp agora permite compartilhar qualquer tipo de arquivo



O WhatsApp anunciou nesta quarta-feira (5) uma novidade muito útil. Uma atualização do programa agora permite compartilhar arquivos de qualquer tipo, incluindo PDF, DOC e outras extensões.

Com a nova função, será possível compartilhar arquivos com até 100 MB para os sistemas Android e iOS. A versão do Windows Phone ainda não tem o novo recurso.

De Tecnologia, Isto É

Governo anuncia novo Fies com 3 faixas e 300 mil vagas por ano a partir de 2018



O governo federal divulgou nesta quinta-feira um novo formato para o Fies a partir de 2018, criando três modalidades de financiamento estudantil e garantindo a oferta de pelo menos 300 mil novos contratos por ano, sendo 100 mil a juro zero.

As mudanças visam garantir a sustentabilidade do Fies, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho, ressaltando que serão implementados mecanismos para compartilhar o risco de crédito com as universidades privadas.

"Se subir demais a inadimplência, aumenta a contribuição das instituições privadas, que terão que empregar mais recursos ao fundo garantidor. Para ser sócio do filé tem que ser sócio do osso", afirmou Mendonça Filho.

Segundo ele, as contribuições ao Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (Fgeduc) serão proporcionais ao nível de inadimplência dos alunos de cada instituição de ensino.

As ações das empresas do setor reagiam negativamente ao anúncio do governo e operavam no vermelho. Às 12:51, os papéis da Kroton Educacional recuavam 1,3 por cento e os da Estácio Participações cediam 2 por cento, enquanto as ações da Ser Educacional perdiam 1,4 por cento.

No Fies 1, que será custeado pelo Tesouro Nacional, serão ofertadas no próximo ano 100 mil vagas a juro zero para alunos com renda familiar de até 3 salários mínimos.

Para o Fies 2, que terá os fundos constitucionais regionais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste como fonte de recursos e atenderá estudantes com renda per capita de até 5 salários mínimos, serão disponibilizadas no próximo ano 150 mil vagas a juros de 3 por cento ao ano, acrescidos de correção monetária...

Por Gabriela Mello e Lisandra Paraguassu

Vendas de veículos crescem 13,5% em junho na comparação com 2016, diz Anfavea


As vendas de veículos subiram 13,5% em junho na comparação com o mesmo mês do ano passado, com 195 mil unidades comercializadas ante 171,8 mil em junho de 2016. Considerando o primeiro semestre, o aumento nas vendas foi de 3,7% de janeiro a junho deste ano em relação ao mesmo período de 2016. Na comparação com maio, no entanto, as vendas de veículos em junho tiveram leve queda, de 0,3%. Os dados foram divulgados hoje (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

De acordo com o presidente da entidade, Antonio Carlos Botelho Megale, as vendas até agora indicam que a projeção feita pela Anfavea para 2017, de crescimento de 4%, deverá ser cumprida. “Começamos a ver o aumento das vendas de veículos elétricos e híbridos, que, embora com números ainda baixos, com 1.184 unidades até junho, já superam o total do ano passado inteiro.” Megale também destacou que na comparação de junho com maio é importante levar em conta que junho teve um dia útil a menos, o que interfere no total de vendas.

Segundo os dados da Anfavea, a produção de veículos cresceu 23,3% no semestre, com 1.263.200 veículos montados. Em junho deste ano foram produzidas 212.300 unidades, 15,1% a mais do que em junho de 2016 (184 mil). Na comparação com maio (250,9 mil novas unidades), a produção apresentou queda de 15,4% em junho.

“Com um dia útil a menos do que no mês anterior, junho tem pelo menos 5,5% a menos de produção. Além disso duas empresas deram férias coletivas para ajuste de estoque e uma para ajuste na linha de produção para entrada de novos produtos. Isso é normal, algumas montadoras usam esse período do ano para isso”, disse Megale...

De Flávia Albuquerque, Agência Brasil

terça-feira, 4 de julho de 2017

Negado pedido de suspensão da PEC da Vaquejada



ministro Dias Toffoli negou pedido de liminar que pretendia suspender a PEC da Vaquejada. O pedido, segundo o Radar On-Line, feito pelo Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, queria que Toffoli também entregasse a relatoria do caso em favor do colega Marco Aurélio Mello, que já se manifestou contra a vaquejada.

Ainda de acordo com a coluna, “Toffoli explicou, na decisão, que o caso anterior tratava de lei estadual, não de emenda à constituição e, por isso, a regra processual não o obriga a declinar competência”.

Uma outra associação, a Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha, pediu ingresso como amicus curiae na ação em que o STF deve decidir sobre a constitucionalidade da PEC. Eles querem mostrar que a nova legislação protege todos os esportes equestres, como hipismo e equitação, não só a vaquejada...

De Redação, Ceará News

Senado pode votar estupro imprescritível e contas simplificadas para municípios



Além da urgência para votação da reforma trabalhista (PLC 38/2017), o Plenário tem 11 matérias na pauta. A sessão está marcada para as 14h da próxima terça-feira (4). Destaque para o segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição do senador Jorge Viana (PT-AC) que torna o estupro um crime imprescritível (PEC 64/2016).

Outras três PECs estão prontas para votação em primeiro turno: a PEC 77/2015, do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), permite a prestação de contas simplificadas para os municípios de menor porte; a PEC 103/2015, do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), permite que o Congresso Nacional entre de recesso mesmo sem a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO); e a PEC 113A/2015, da Câmara dos Deputados, autoriza policiais militares e bombeiros eleitos para cargos públicos a retornarem ao posto após os mandatos.

Os senadores podem votar ainda um requerimento de urgência para o PLC 57/2017. O texto determina que o Poder Judiciário faça a gestão do dinheiro para o pagamento de precatórios e Requisições de Pequeno Valor (RPV) federais. O projeto permite que bancos públicos sejam contratados sem licitação para administrar os recursos.

Da Redação, Agência Senado

Balança comercial registra melhor primeiro semestre da história


Beneficiada pela recuperação do preço das commodities (bens primários com cotação internacional), a balança comercial fechou o primeiro semestre com o melhor saldo da história para o período. Nos seis primeiros meses do ano, o Brasil exportou US$ 36,219 bilhões a mais do que importou.

De janeiro a junho, o saldo da balança comercial acumula alta de 53,1% em relação ao primeiro semestre do ano passado. Somente em junho, as exportações superaram as importações em US$ 7,195 bilhões. O saldo é o melhor para o mês e o segundo mais alto para toda a série histórica, só perdendo para os US$ 7,661 bilhões registrados em maio deste ano.

Nos seis primeiros meses do ano, as exportações somaram US$ 107,714 bilhões, o quinto melhor primeiro semestre da história, com crescimento de 19,3% pela média diária em relação ao mesmo período do ano passado. As importações totalizaram US$ 71,495 bilhões, alta de 7,3% também pela média diária. Apenas em junho, o país exportou US$ 19,788 bilhões e comprou US$ 12,593 bilhões do exterior...

De Wellton Máximo, Agência Brasil

segunda-feira, 3 de julho de 2017

“Não há hipótese de Tasso subir num palanque no Ceará onde qualquer candidato peça voto para Lula”

 

Tasso descarta apoio a Maia Júnior para senador por desconfiar dele e dos FGs


O movimento de Cid Gomes (PDT) para desqualificar o PSDB do Ceará não vai durar nem um final de semana. As fotos sorridentes do presidente regional Luiz Pontes com Cid Gomes em Sobral provocaram uma dura reação do presidente nacional tucano, Tasso Jereissati. “Não há hipótese de Tasso subir num palanque no Ceará onde qualquer candidato peça voto para Lula”, a revelação é de Luiz Pontes.

Com essa decisão de Tasso, que também é extensiva a Ciro Gomes, diante da candidatura própria do PSDB – João Dória ou Geraldo Alckmin – resta aos tucanos cearenses se manterem firmes na oposição ao governador Camilo Santana (PT) – já fechou com Lula- e aos FGs.

Tasso agiu rápido através de sua assessoria para acabar com a marotagem de Cid Gomes. O senador cearense percebeu o golpe e provou que não confia nos irmãos Cid e Ciro Gomes, apesar de todos esforços feitos por Ciro para se reaproximar de Tasso. Acontece que Tasso não esqueceu e nem esquecerá tão rapidamente ter sido chamado de “assassino” por Ciro.

Outro que não goza mais da confiança de Tasso é o secretário de Planejamento do Governo Camilo, Maia Junior. Se depender do PSDB cearense, Maia não será candidato a nenhum cargo majoritário do partido em qualquer coligação no ano que vem.

Já Luiz Pontes explicou a Tasso ter ido a Sobral prestigiar “o eterno senador Mauro Benevides”, cujo seu pai Osires foi seu suplente e teve o orgulho de ter sido seu 1º suplente na vitoriosa campanha de 1974, em plena ditadura militar. Luiz Pontes deu gargalhadas com a repercussão de um acordo do PSDB com os FGs. Disse que os tucanos estão firmes para derrotar essa oligarquia em 2018.

De Ceará News 

Mais um novo partido "Podemos"


Podemos, o partido

 

O lançamento oficial do partido Podemos aconteceu num momento em que empresários e lideranças empresariais têm se colocado a favor de uma discussão e uma participação política cada vez maiores. Um dos defensores mais aguerridos é o presidente da terceira maior federação da indústria do país, a Fiemg, Olavo Machado Jr. Para ele, as agremiações políticas em geral estão desgastadas e precisam conquistar eleitores e candidatos por meio de uma nova proposta e programas. “Porém, o que efetivamente precisa mudar são as atitudes e ações de nossos políticos, se isso efetivamente for acontecer, que o (partido) Podemos seja bem-vindo. Se não for isso, já renasce morto”, disse.

De Minas S/A, O Tempo

domingo, 2 de julho de 2017

O medo molda o caráter


Toda sociedade costuma compartilhar temores herdados de usos e costumes. O compartilhamento de informações e a comunicação são essenciais para superar as fobias coletivas

 

No filme Um corpo que cai (1958), de Alfred Hitchcock, o protagonista vivido por James Stewart sofre de acrofobia, um pavor que ele terá de superar para solucionar o mistério que envolve a trama. O medo de altura é apenas mais uma das inúmeras fobias que acometem os seres humanos. Há temores de baixa e de alta intensidade nem sempre justificados. Ter pavor de cobras entraria na segunda categoria. A probabilidade de se deparar com um animal perigoso numa cidade é mínima, e, embora possam nos deixar apavorados, são considerados medos não muito consistentes. Trata-se de um temor que não nos afeta nem prejudica no dia a dia. Já os temores de baixa intensidade, mais cotidianos (como o de sofrer algum acidente de carro ou ser roubado), estão sempre aí, e justamente por causa disso acabam influenciando o nosso caráter.

Assim como os medos de alta intensidade podem ser totalmente pessoais (serpentes, aranhas, atentado terrorista...), os do dia a dia constituem frequentemente territórios comuns determinados culturalmente. Há fobias que compartilhamos com muitas outras pessoas. Os usos e costumes de cada sociedade forjam uma série de manias que se reproduzem nos indivíduos. Por exemplo, se você fizer o exercício de escrever em um buscador da Internet as palavras “medo de”, a própria ferramenta completará a frase de acordo com as buscas já feitas por outras pessoas. No meu caso, as sugestões que apareceram foram: medo de dirigir, da morte, de compromisso e de avião. Curiosamente, se faço o mesmo em inglês (fear to), o buscador indica medo de altura, do fracasso e do escuro. Somente o pavor que algumas pessoas têm de embarcar em um avião é que aparece nos dois idiomas. Por qualquer motivo que seja, parece que as coisas que apavoram os anglo-saxões não são as mesmas que aterrorizam os falantes do espanhol.

Nos Estados Unidos e no Reino Unido, revistas especializadas de psicologia ou psiquiatria costumam publicar os medos mais comuns de suas populações. Os resultados variam, mas, em todas as fontes consultadas, há uma série de medos compartilhados na cultura ocidental. Um dos mais comuns é o de falar em público, um pavor quase inexistente em áreas rurais ou em países em desenvolvimento. Outras das maiores fobias da população nos países desenvolvidos é a de viajar de avião. Atrás dela vêm a aracnofobia (medo de aranhas) e a nictofobia (medo do escuro). Curiosamente, todas essas estatísticas revelam que as principais fobias correspondem a coisas que dificilmente irão acontecer. Ora, se são fenômenos improváveis, por que os tememos tanto? Porque o que os determina é a cultura, e não os fatos.

A analista de liderança profissional Pilar Jericó, em seu belo livro No miedo: en la empresa y en la vida [em tradução livre: Sem medo: no trabalho e na vida], conta que, durante a construção dos arranha-céus de Manhattan, no começo do século XX, os empreiteiros tiveram dificuldades para encontrar operários que aceitassem trabalhar pendurados nos andaimes, sendo obrigado a recorrer aos índios cherokee. Nessa tribo de índios norte-americanos, o medo de altura não era tão presente como nas famílias de imigrantes europeus. Curiosamente, quando os arranha-céus já estavam finalizados, esses mesmos índios se recusavam e pegar o elevador que os levaria aos mesmos andares que eles próprios tinham construído, pois na sua cultura estava muito enraizado o medo dos equipamentos movidos à eletricidade. O mesmo acontece em outros meios sociais. Em uma mesma família, por exemplo, os irmãos costumam ter manias semelhantes, fobias cotidianas determinadas pelos hábitos de sua casa. Esse tipo de sentimento não tem nada a ver com a personalidade de cada um, mas sim com a herança recebida do lar. Nas empresas e organizações, os medos comuns determinados exteriormente se elevam à enésima potência. As possíveis represálias, as atitudes dos superiores para com seus subordinados e um amplo espectro de eventos e formas de gestão produzem temores corporativos contagiantes entre os funcionários.

Só há uma maneira de tratar todos esses medos. É com a troca de informações, a comunicação e trabalho em equipe, seja na família, seja com os colegas de trabalho. As fobias herdadas culturalmente são mais bem superadas de forma coletiva. Pois o medo de uma equipe de pessoas é inferior ao medo de um indivíduo tomado isoladamente.

Por Fernando Trias de Bes, Cultura, EL PAÍS

Com mensagem de violência, Trump reforça ataques à imprensa nas redes sociais


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reforçou nesta semana seus ataques contra jornalistas e veículos da imprensa do país, fazendo uso de graves insultos e até utilizando vídeos violentos, como o publicado neste domingo contra a emissora "CNN".

Após vários dias de polêmica e duras críticas aos apresentadores do programa "Morning Joe", da "MSNBC", Trump dirigiu sua ira hoje à "CNN", através de uma montagem em vídeo no qual aparece agredindo um homem que leva o logotipo da emissora perto de um ringue.

O vídeo fazia parte de uma série de tweets que o presidente publicou ao longo do fim de semana, mensagens na qual Trump reiterou os ataques aos veículos que considera "falsos e fraudulentos". (...)

Trump e McMahon escolheram lutadores para representá-los no ringue, mas, em um momento da luta, Trump se aproximou de McMahon, que estava do lado de fora das cordas, o derrubou no chão e deu socos contra seu rosto. A cena era uma parte do espetáculo...

De Agência EFE

Brasil tem 2 dos 14 gargalos que ameaçam abastecimento global de alimentos


Há apenas 14 gargalos no comércio mundial de alimentos, mas eles são fundamentais para a segurança alimentar de toda a população do planeta.


São portos e pontos de comercialização fundamentais para a compra, a venda e a distribuição de alimentos, de acordo com um recente relatório da Chatham House, centro de estudos com base no Reino Unido.

Três deles estão na América Latina: o canal do Panamá, as rodovias do interior brasileiro e os portos do sul e sudeste do Brasil. (...)

A Chatham House também advertiu que é preciso agir para proteger as principais rotas de transporte de alimentos, tais como o canal do Panamá, o canal de Suez e do estreito da Turquia.

Quase 25% dos alimentos do mundo são comercializados nos mercados internacionais. Isso, diz o relatório, faz com que a oferta de produtos e seus preços sejam vulneráveis a crises imprevistas ou mudanças climáticas.

A infraestrutura nesses pontos é, em muitos casos, antiga e enfrentaria dificuldades para fazer frente a desastres naturais que devem se multiplicar à medida que o planeta se aquece, diz o relatório...

De Brasil, BBC

Qual o candidato certo para o PSDB


O senador José Serra afirmou em entrevista recente que pretende ser o candidato indicado pelo PSDB a presidência da República nas eleições de 2018. E o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin também está com a mesma pretensão e diz ter a preferência por ser um administrador experimentado e que já demonstrou suas habilidades com o trato público.

O senador Aécio Neves enfrenta hoje algumas adversidades no campo jurídico, que culminou com seu afastamento das funções parlamentares e até mesmo correndo o risco de ser preso, acusado pelo MPF de fazer parte de organização criminosa. Embora tenha conseguido decisões favoráveis, como voltar a assumir suas funções e senador e de ter a prisão afastada, ainda terá o longo caminho para provar não ser aquele réu indicado pelo Procurador e também refazer a imagem de um político honesto. Tarefa árdua e que demanda tempo.

Agora o candidato indicado pelo PSDB, ou qualquer outro partido, deverá cumprir 3 requisitos básicos: 1) ser um legítimo social democrata; 2) não ter seu nome apontado em qualquer lista de investigado, acusado, indiciado, ou faça parte de qualquer investigação na judicial criminal ou eleitoral ou que possa comprometer a sua lisura e honestidade tanto com político ou como cidadão; 3) ter ideias e projetos de crescimento para o país, integrando todos seguimentos da sociedade brasileira.


De Julio Cunha

O Instituto eSocial libera ambiente de testes para empresas


O eSocial disponibilizou, a partir de 26/06/2017 (segunda-feira), o acesso ao ambiente de testes do sistema para empresas. O processo ocorrerá em duas etapas e será direcionado, neste primeiro momento, a empresas de Tecnologia da Informação (TI). A partir de 1° de agosto, no entanto, todas as empresas do país poderão ter acesso à plataforma.

A medida foi autorizada pela publicação da resolução n° 9 do Comitê Gestor do eSocial, no Diário Oficial da última sexta-feira (23). O eSocial é um projeto conjunto do governo federal que integra Ministério do Trabalho, Caixa Econômica, Secretaria de Previdência, INSS e Receita Federal.

A iniciativa faz parte de uma etapa de preparação – tanto para o governo, como para o setor produtivo – para o início da utilização obrigatória do eSocial para todos os empregadores do país. O projeto permitirá que todas as empresas brasileiras possam realizar o cumprimento de suas obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias de forma unificada...

Da Redação, Previdência Social

O contribuinte do Simples Nacional e do MEI tem agora a simplicidade na restituição de tributos




Receita Federal simplifica restituição do Simples Nacional e do Microempreendedor Individual (MEI)


A partir de hoje, o contribuinte do Simples Nacional e do Microempreendedor Individual (MEI) tem à sua disposição uma sistemática simplificada de restituição de tributos federais. Pelo novo processo, o contribuinte que tenha efetuado pagamento indevido ou em valor maior do que o devido, referente aos tributos federais administrados pela Receita Federal pode solicitar a restituição diretamente no portal do Simples Nacional. A medida beneficia mais de 11 milhões de optantes .

Com o pedido eletrônico, o procedimento de auditoria do crédito e do pagamento da restituição estará concluído em até 60 dias da data do pedido, para os casos regulares. Além da facilidade para o processo e agilização na auditoria dos créditos e o pagamento da restituição, o contribuinte ainda pode acompanhar o andamento do seu pedido diretamente no Portal do Simples Nacional.

A nova sistemática de restituição automatizada do Simples Nacional e do MEI evita a necessidade de o contribuinte deslocar-se a uma unidade de atendimento para entregar o seu pedido de restituição. Também garante celeridade na restituição, o que atende diretriz da Receita Federal para a simplificação e redução de tempos de processos...

De Simples Nacional, SRF

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Aécio Neves reassume suas funções no Senado


Em sua decisão, nesta sexta-feira, o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, decidiu que o senador afastado Aécio Neves, poderá reassumir suas funções do Senado, Marco Aurélio é agora o relator dos processos de Aécio, com base nas delações de excecutivos da JBS.

A Primeira Turma do STF também determinou a transferência da irmão de Aécio, Andrea Neves, para prisão domiciliar, como os demais envolvidos que estevam presos e tiveram os mesmo benefícios.

De Julio Cunha


quarta-feira, 28 de junho de 2017

Qual o direito do Delatado?


Diante da questão discutida e não concluída até o momento pelo STF, sobre o acordo de delação premiada, o ministro Gilmar Mendes, ao falar em defesa do seu posicionamento e do seu voto, diz o seguinte: O direito ao acordo de delação, entre o delator e o membro do Ministério Público, este não pode ser confrontado, questionado ou fazer parte de decisão em colegiados, pois o que ficou acertado é algo imexível, intocável ou até mesmo irreformável, portanto o direito do delator é soberano e virou causa pétrea sem está na Constituição. E qual é mesmo o direito do delatado, nenhum?

De Julio Cunha

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Faltam pouco mais de 30 dias para sacar conta inativa do FGTS


O montante representa quase 85% do total de recursos disponíveis, contabilizados de um total de R$ 43,6 bilhões

Falta pouco mais de um mês para os trabalhadores que têm saldo em contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) sacarem seus recursos. Segundo a Caixa Econômica Federal, até o dia 21 de junho, cerca de R$ 37 bilhões foram entregues a 22,1 milhões de beneficiários. O montante representa quase 85% do total de recursos disponíveis, contabilizados de um total de R$ 43,6 bilhões.

Para os próximos dias, a Caixa ainda espera atender até 8 milhões de pessoas. Desde o início das retiradas, 45% dos beneficiários fizeram os saques diretamente na boca do caixa, em uma agência bancária. No entanto, é possível obter o recurso das contas inativas com saldo de até R$ 1,5 mil nos terminais de autoatendimento da instituição com o número do PIS e uma senha que é cadastrada na hora, no caso de não possuir o Cartão do Cidadão. Para valores entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil, será necessário ter o Cartão do Cidadão e a senha.

Nos correspondentes Caixa Aqui e nas Lotéricas, será permitido sacar até R$ 3 mil. Para isso, será preciso apresentar documento de identificação, Cartão do Cidadão e senha. Valores acima de R$ 3 mil serão sacados exclusivamente nas agências, sendo que, no caso de valores superiores a R$ 10 mil, o trabalhador precisará apresentar carteira de trabalho ou documento que comprove a extinção do vínculo com a empresa...

De Agência Brasil, Correio Braziliense

Convocação de candidatos da lista de espera do Sisu começa hoje


Os candidatos que estão na lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) começam a ser convocados hoje (26) para matrícula. A chamada é feita pelas próprias instituições de ensino, então é importante que os estudantes acompanhem as convocações junto à instituição na qual tenha manifestado interesse.

A lista de espera foi aberta aos candidatos que não foram selecionados na chamada regular ou que foram aprovados somente para a segunda opção de curso. A participação na lista é restrita à primeira opção de vaga.

Nesta segunda edição de 2017 do Sisu, 935.550 mil pessoas se inscreveram. O total chegou a cerca de 1,8 milhão, já que cada participante pôde fazer até duas opções de curso.

O Sisu oferece vagas no ensino superior público com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Nesta edição, foram ofertadas 51.913 vagas em 1.462 cursos de 63 instituições de ensino, entre universidades federais e estaduais, institutos federais e instituições estaduais.

Acesse o resultado: http://sisualuno.mec.gov.br/

De Andreia Verdélio, Repórter da Agência Brasil

Pesquisa aponta Lula com 30%, Bolsonaro, 16%, e Marina, 15%


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve a liderança nas intenções de voto para a eleição presidencial de 2018 com 30% da preferência do eleitorado, à frente da ex-ministra Marina Silva (Rede) e do deputado Jair Bolsonaro (PSC), que aparecem empatados com 15%, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira.
Em cenário tendo o prefeito de São Paulo, João Doria, como candidato do PSDB, Lula passou de 31% em abril para os atuais 30%, enquanto Bolsonaro foi de 13% para 15 e Marina saiu de 16 para os mesmos 15%. O tucano aparece em quarto lugar, com 10%, um ponto acima do levantamento anterior.
Lula também alcança os 30% de preferência do eleitorado quando o governador paulista, Geraldo Alckmin, substitui Doria como concorrente do PSDB. Nesse cenário, Bolsonaro fica um ponto à frente de Marina, 16 a 15%, e o tucano aparece com 8 pontos. Bolsonaro sobe ante os 5% de levantamento realizado em dezembro de 2015, enquanto Marina cai dos 24% que possuía...

De Redação, Jornal Hoje em Dia

domingo, 25 de junho de 2017

Especialistas rejeitam proposta de construir a parede solar na fronteira México-EUA


Seria viável para converter a parede Trump planeja construir uma usina de energia solar? Há aspectos discutíveis. Mas especialistas ouvidos pela DW mostrar unanimidade na rejeição da parede.


Donald Trump não ganhou em seus primeiros meses no cargo fama ativista ambiental. Por isso, pode ter causado alguma surpresa ao anunciar a idéia de estofamento dos painéis solares de parede destinados a erguer na fronteira com o México.

Uma ideia que alguns meios de comunicação norte-americanos atribuídos a uma proposta de negócio submetidas ao concurso para a construção desse muro da fronteira.

"Banalização" Trump estilo. Para Dolores Rojas, coordenador do programa no México da Heinrich Boll (perto do Partido Verde alemão) Foundation, é um exemplo da capacidade do presidente doa Estados Unidos da "banalizar" a questão. "A parede é uma ofensa onde quer que olhe, não é uma política que vai realmente conter a migração não é a solução para os problemas que são compartilhados na fronteira entre o México e os Estados Unidos , " ele disse. Ele enfatiza que é uma tentativa "para deslumbrar e distrair painéis tema de fundo, que é a criminalização da migração".

Israel Hurtado, secretário-geral da Associação Mexicana de Energia Solar Fotovoltaica (Asolmex) reconhece que "soa como idéia futurista de uma parede painel completo", mas é cético quanto para torná-lo viável e salienta que o México é contra construção de qualquer parede: "nós não pensamos que é aceitável."...


De Trump Landia, América Economia

Microempreendedores Individuais terão até 120 meses para pagar boletos em atraso


MEI poderá parcelar débitos a partir de julho


Os Microempreendedores Individuais (MEI) que possuem boletos mensais em aberto, até maio deste ano, poderão parcelar os débitos em até 120 meses a partir do próximo dia 3 de julho. Essa é a primeira vez que esse segmento empresarial poderá pagar os impostos devidos em parcelas. Cada prestação deve ter valor mínimo de R$ 50. O prazo para aderir ao programa de renegociação das dívidas é de 90 dias.

De acordo com o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, 60% dos microempreendedores individuais possuem boletos atrasados. “É sempre preocupante a inadimplência, principalmente diante de um programa de redução da informalidade com valores reduzidos. O maior prejudicado com a falta de pagamento da contribuição mensal é o próprio MEI, por isso nos empenhamos para conseguir junto à Receita Federal esse parcelamento”.

Afif destaca que quem parcelar seus débitos poderá reaver os direitos previdenciários como aposentadoria, auxílio-doença ou licença-maternidade, além de participar de licitações com os governos Federal, estaduais e municipais.

A solicitação de adesão será feita por meio do site da Receita Federal. Para solicitar o parcelamento, o MEI deve apresentar a Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual (DASN-Simei) relativa aos respectivos períodos de apuração. O valor de cada parcela mensal será acrescido de juros da taxa Selic mais 1%, relativamente ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado.

Desde que foi criado, em julho de 2009, mais de sete milhões de pessoas se formalizaram como MEI. O número de empreendimentos desse porte já superou o número de micro e pequenas empresas, que corresponde a cinco milhões em todo o Brasil. Trabalhadores autônomos, como cabeleireiros, pedreiros, entre outros, que estavam na irregularidade agora possuem um CNPJ e direito a benefícios previdenciários como aposentadoria e licença-maternidade.

De Redação, Empreendedor.com.br

A roubalheira tem origem em passado remoto


O mundo é desonesto. Nenhum dos 176 países cobertos na lista de corrupção percebida da Transparency International recebe a nota máxima. Na última edição, apenas 22 registraram escore igual ou maior do que 7,0 em 10,0. O Chile é o campeão da América Latina, figurando em 24º lugar com 6,6. O Brasil situa-se próximo do meio da distribuição, exatamente ao lado da China, com 4,0. Por incrível que pareça, há mais de 90 países com corrupção percebida maior do que a nossa.

Seguindo a obra clássica de Raymundo Faoro, a corrupção no Brasil resulta de um processo histórico em que, nos primórdios da colonização, instituições foram formadas para perpetuar as regalias e o poder de uma burocracia administrativamente inoperante, mas muito resistente, no âmbito de um “capitalismo politicamente orientado” que abriu um fosso entre o Estado patrimonialista e a nação – especialmente após 1930.

Basta uma leitura descompromissada dos periódicos recentes para verificar que a descrição de Os Donos do Poder se non è vera, è ben trovata. Sobram indícios de que a prioridade do aparelho estatal é advogar em causa própria, frequentemente a partir de um discurso de defesa do que deveria ser o justo. Vide a diferença brutal existente entre a renda de funcionários do setor público e do setor privado para a mesma atividade – sem mencionar o fosso de produtividade existente entre os dois grupos e os privilégios não pecuniários do primeiro.

Uma questão pertinente é saber como caímos neste buraco. Que condições históricas propiciaram o florescimento de burocracias parasitas como a que tomou conta do Brasil? Além disso, dá para sonhar com um futuro melhor, menos desonesto, em que o mérito e competição em condições igualitárias sejam premiados? Os pesquisadores Eric Uslaner e Bo Rothstein escarafuncharam os dados existentes e encontraram alguns padrões interessantes para iluminar o problema. O trabalho recente intitulado The Historical Roots of Corruption: State Building, Economic Inequality and Mass Education foi publicado na edição de janeiro de 2016 da revista Comparative Politics.

Os autores detectaram a existência de uma relação inversamente proporcional entre os níveis históricos de educação no final do Século XIX e a corrupção percebida atualmente em uma amostra de 78 países para os quais há informações. Os lugares atualmente menos corruptos eram relativamente bem educados em um passado distante, não necessariamente mais ricos. Há várias razões para acreditar no vínculo entre essas variáveis. Primeiro, a educação fortalece os laços sociais entre grupos distintos, consolidando noções de cidadania e de lealdade em relação ao Estado que, por sua vez, são favoráveis à honestidade...

De Celso Toledo, EXAME.COM

O beija-mãos da propina


Para seduzir o Ministério Público a aceitar sua delação, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral promete contar como foi o encontro entre ele, Lula e Eduardo Paes para comprar a Olimpíada do Rio


Não são poucos os segredos que o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral guarda em sua cela no Batalhão Especial Prisional de Benfica, na capital fluminense. Uma parte deles – mais precisamente 96 – foi exposta por Cabral em forma de anexos de uma proposta de delação premiada feita ao Ministério Público Federal no início deste ano.

Entregue pelos advogados de Cabral a uma equipe formada por procuradores de Brasília e do Rio de Janeiro, a proposta reúne as histórias que o ex-governador está disposto a contar para diminuir sua pena – na semana passada, Sérgio Moro o condenou, em primeira instância, a 14 anos e dois meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. Há outras dez denúncias ainda por serem julgadas, e vários inquéritos em andamento.

O Ministério Público achou que Cabral falou pouco, e as negociações não foram adiante. Elas muito provavelmente continuarão hibernando nos escaninhos de Brasília, onde o time de Rodrigo Janot tem como prioridade os casos eletrizantes de Joesley Batista, Lúcio Funaro, Eduardo Cunha e companhia, todos mirando a cabeça do presidente Michel Temer.

Entre os episódios relatados por Cabral, porém, um em especial chamou a atenção dos procuradores. O ex-governador prometeu detalhar uma reunião, realizada em 2009, na qual ele, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-prefeito Eduardo Paes teriam autorizado o empresário Arthur César Soares de Menezes, conhecido como “Rei Arthur”, a pagar propina a membros do Comitê Olímpico Internacional para que o Rio de Janeiro fosse escolhida cidade-sede dos Jogos de 2016.

O resumo apresentado por Cabral não fornece os meandros da conversa e nem dá os meios pelos quais o dinheiro foi pago. Mas confirma e acrescenta ingredientes à história publicada em março pelo jornal francês Le Monde, segundo a qual o Ministério Público daquele país descobriu que Arthur Soares pagou 1,5 milhão de dólares ao presidente da Associação Internacional de Federações de Atletismo, Lamine Diack, três dias antes da votação que consagrou a vitória do Rio para sediar os Jogos de 2016, acontecida em 2 de outubro de 2009, em Copenhague, na Dinamarca.

Mais 500 mil dólares teriam sido depositados em contas de Diack depois da escolha, como uma espécie de bonificação por resultados: o Rio derrotou Madri por 66 votos a 32. Diack, por sua vez, teria repassado 300 mil dólares ao ex-atleta da Namíbia Frankie Fredericks, também membro do COI, no dia da votação.

Pela ênfase dada pelos advogados de Cabral ao episódio nas negociações com os investigadores, presume-se que, caso a delação fosse adiante, os detalhes seriam saborosos. Nas conversas, esse anexo era tratado pelos defensores do ex-governador como a parte mais relevante do conjunto de histórias que ele promete contar em troca do arrefecimento da pena.

Para que seja aceita, no entanto, a delação de Cabral precisa trazer mais fatos comprometedores de altas instâncias, sobretudo do Judiciário. Embora caudalosa, a proposta de Cabral não expunha em detalhes sua relação com os togados, o que, para alguns procuradores, é fundamental. Sem isso, nada feito. E mesmo com isso, talvez haja problemas: parte do time do Ministério Público sempre é refratária a qualquer tipo de acordo com Sérgio Cabral, dada a extensão de seus crimes e do estrago feito por sua gestão nas finanças do Rio, em estado oficial de calamidade financeira ao menos até 2018.

A recusa em fazer acordo com o ex-governador tem uma dose razoável de cálculo. Os procuradores acreditam que podem descobrir, sozinhos, o que Cabral se propõe a contar. Nos últimos meses, a Operação Calicute, ramo fluminense da Lava Jato, já fechou acordos de delação com os doleiros de Cabral e com funcionários de empresas públicas e privadas que estão, aos poucos, expondo as engrenagens do esquema que dominou o governo do Rio nos últimos dez anos.

A força-tarefa conseguiu a prisão de Eike Batista que, além de ter pago propina ao ex-governador, também despejou 23 milhões de reais na campanha olímpica do Rio – memória de Batista pode ajudar a enfraquecer a moeda de troca de Cabral. A Calicute também deteve conselheiros do Tribunal de Contas do Estado, acusados de receber propina em contratos do governo estadual; apreendeu documentos nos escritórios do presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani, homem central no minhocário de propinas no Rio; e prendeu o ex-secretário de Saúde da época, Sérgio Côrtes, e seus fornecedores de serviços de saúde. Agora, prepara-se para avançar sobre ele, o Rei Arthur, o empresário mais poderoso do Rio de Janeiro na era Cabral.

Amigo e vizinho do governador no condomínio onde mantinham suas casas de praia em Mangaratiba, Soares é dono de uma miríade de empresas que fornecem de quentinhas a documentos, de segurança a veículos para o governo estadual. Nos anos de Cabral no poder, o Rei Arthur faturou cerca de 3 bilhões de reais. No mesmo período, arrebanhou contratos também no governo de Minas Gerais e no Senado Federal. A Calicute já descobriu que ele pagou 1 milhão de reais ao escritório da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo, e mais 660 mil reais a um dos prepostos de Cabral, Carlos Miranda, por serviços até agora sem comprovação de que sequer tenham existido.

Discreto e desconfiado, Soares esteve no Ministério Público do Rio no início do ano e se dispôs a colaborar com as investigações, mas negou todas as acusações e não acrescentou uma vírgula ao que já se sabia. Nas próximas semanas, chegam às mãos dos procuradores no Rio de Janeiro os documentos obtidos pelo Ministério Público da França que comprovariam os pagamentos feitos por ele aos membros do COI. O cerco se fecha, ao mesmo tempo em que Cabral começa a perceber que suas chances com os juízes da Lava Jato se achatam quase ao nível do chão. A tendência é Cabral acumular condenações – a menos que consiga convencer os procuradores de que vale a pena fechar um acordo com ele. Para isso, porém, será preciso revisar sua memória. Porque a história secreta da Olimpíada está prestes a ser desvendada.

De Malu Gaspar, Revista Piauí

Senado apresenta projeto para que bancos abram aos sábados


A proposta já está disponível para consulta pública no site do Senado


O sucesso da movimentação das agências da Caixa Econômica aos sábados, durante o período de saque do FGTS, levou o senador Roberto Muniz (PP-BA) a apresentar um projeto para permitir que bancos e estabelecimentos de crédito funcionem nesse dia da semana.

Os bancos são proibidos de funcionar aos sábados por lei e por resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN), regras que remontam à década de 1960.

Para fazer frente à proibição, o senador apresentou na última quinta-feira (22) o projeto que revoga essas normativas. A proposta já está disponível para consulta pública no site do Senado.

Para Roberto Muniz, a iniciativa traria vantagem para o consumidor e para o mercado. "A competitividade do setor aumentará e os benefícios da livre concorrência operarão", afirma. Ele cita o exemplo de países que adotam a prática, como Estados Unidos, Inglaterra, França e Austrália, onde muitas agências funcionam aos sábados, geralmente até o meio-dia.

O projeto vai tramitar pelas comissões de Assuntos Econômicos, de Assuntos Sociais e de Defesa do Consumidor, cabendo à última decisão terminativa. Caso aprovado, o projeto segue para a Câmara.

De Época Negócios

Donald Trump fecha a porta a Cuba - um pouco


Ele quer machucar o regime, mas pode acabar prejudicando os cubanos comuns


Era uma pompa típica de Trumpian. Em um estágio aparado no teatro Manuel Artime no bairro de Little Havana em Miami, o presidente dos Estados Unidos declarou, em 16 de junho, que estava "cancelando" o "acordo unilateral com Cuba" feito por seu antecessor, Barack Obama . Há muito menos para isso do que sugere a retórica dolorosa de Donald Trump. Mas a nova política ainda prejudicará o incipiente setor privado cubano, desencorajará a reforma econômica e prejudicará o prestígio do tio Sam na América Latina.

O acordo negociado em 2014 por Obama e o presidente de Cuba, Raúl Castro, restauraram as relações diplomáticas após uma interrupção de 54 anos, suavizaram o embargo comercial dos Estados Unidos, facilitaram a viagem entre os países e retiraram Cuba da lista de patrocinadores estaduais do terrorismo. Muito disso não vai mudar. A principal inovação de Trump é tornar o turismo mais difícil, supostamente negar renda às forças armadas cubanas. Os vôos comerciais e os cruzeiros, porém, continuarão. Ele espera, assim, satisfazer uma minoria intransigente, sem bloquear as relações.

Sob as regras de Obama, os americanos ansiosos por provar mojitos em seu país de origem simplesmente tiveram que declarar que iriam se envolver em trocas de pessoas para pessoas para viajar de forma independente. Sob o Sr. Trump, os viajantes independentes terão de declarar que têm alguma outra missão, como apoiar a sociedade civil, a menos que sejam de origem cubana. Os visitantes de pessoas a pessoas terão de se juntar a visitas organizadas. Ele também pretende proibir transações de indivíduos e empresas com empresas ligadas ao exército cubano e serviços de inteligência. Isso poderia ter maiores consequências. GAESA, um conglomerado administrado pelas forças armadas, é pensado para controlar até 60% da economia. Suas explorações incluem postos de gasolina, supermercados e portos. Uma das suas empresas, a Gaviota, possui 29 mil quartos de hotel, alguns dos quais são geridos por cadeias estrangeiras como Kempinski.

O que tudo isso significa na prática dependerá de regras emitidas pelos departamentos do Tesouro e Comércio do US. Mas a nova política poderia acabar com o aumento do turismo americano iniciado pela aproximação de Obama. As visitas dos Estados Unidos subiram um terço em 2016 (ver gráfico). Os visitantes do futuro enfrentam mais complexidade e confusão. Mesmo que eles evitem hotéis pertencentes ao exército, podem enganar os soldados sem saber, ao alugar um carro, fazer uma viagem de barco ou até nadar com os golfinhos. As empresas militares oferecem todos esses serviços. Não está claro se os americanos serão capazes de permanecer em hotéis tão populares (embora de alta) como o Hotel Nacional e o Parque Central. Estes são propriedade do ministério do turismo, cuja cabeça é um coronel da reserva do exército...

De As Américas, THE ECONOMIST

Instituições oferecem bolsas para projetos de agricultura digital no Brasil

Desta vez, os temas terão ênfase em Agricultura Digital, isto é, em sistemas de processamento e análise de informações para controle e apoio às diferentes etapas das cadeias produtivas agrícolas.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e a IBM Brasil anunciaram uma Chamada de Propostas para pesquisas em sistemas digitais e novas tecnologias na área da Agricultura, para a qual serão destinados até US$ 250 mil para projetos com duração de até dois anos. É a segunda chamada conjunta de pesquisas a serem apoiadas pelas duas instituições, que anunciaram em março as propostas selecionadas em sua primeira chamada em parceria, na área de computação cognitiva.

Desta vez, os temas terão ênfase em Agricultura Digital, isto é, em sistemas de processamento e análise de informações para controle e apoio às diferentes etapas das cadeias produtivas agrícolas. Entre os tópicos, estão os sistemas de detecção, coleta e análise de dados voltados à agricultura de precisão, sistemas de monitorização e previsão meteorológica e climática em contextos agrícolas, e novas aplicações de dados meteorológicos e climáticos.

Também serão apoiadas pesquisas relacionadas à automação de equipamentos, robótica agrícola, incluindo drones, veículos autônomos agrícolas, processamento de imagens e de dados por satélite e em campo, sistemas eletrônicos de monitoramento de gado, incluindo hardware, detecção, processamento e análise de dados do solo e da água, além de sistemas de realidade aumentada e virtual aplicados à agricultura.

Pesquisas que levem ao desenvolvimento de assistentes cognitivos para agricultores, engenheiros agrônomos e outros trabalhadores nas cadeias produtivas agrícolas também poderão ser contempladas, bem como design de interface no contexto de sistemas de agricultura digital, com plataformas de serviços de software e suporte de middleware...

De AgroBrasil, EFE

Mais de 40 terroristas estrangeiros usaram as leis de direitos humanos para permanecer no Reino Unido, revela um relatório


Mais de 40 terroristas estrangeiros evitaram a deportação do Reino Unido depois de usar a lei de direitos humanos para argumentar que eles seriam maltratados se retornados para seus países de origem.

Um relatório do Home Office no regime de deportação com garantias (DWA) do governo - que foi acordado em 2005 com a Etiópia, Argélia, Jordânia, Líbano, Líbia e Marrocos - revelou o número.

Apenas 12 terroristas estrangeiros foram deportados com sucesso pela DWA.

Entre aqueles que fizeram apelos bem-sucedidos, estão os curiosos de Siraj Yassin Abdullah Ali, que foi libertado há seis anos depois de ter servido o tempo para ajudar os perpetradores de um atentado à bomba com falha em Londres em 21 de julho de 2005.

Uma tentativa foi feita para expulsá-lo para sua nação natal da Eritreia, mas falhou porque ele foi considerado em risco de "tratamento ou punição desumana", INFORMOU The Telegrahp.

De Iain Burns, MAILENLINE

Doria: Sem apoio do PSDB, governabilidade de Temer deixa de existir


O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), afirmou que o apoio do PSDB ao governo não é ao presidente Michel Temer, mas ao Brasil. "Sem o apoio do PSDB, a governabilidade deixa de existir, isto é um fato, a solidez fica comprometida", disse, após palestra em evento da XP Investimentos, na tarde deste sábado. "Não é a defesa intransigente, permanente, infinita do governo Temer. É a defesa do Brasil, da governabilidade", justificou. O PSDB é um partido que dá "solidez e sustentação" ao governo, completou o prefeito.

Doria afirmou que está alinhado com o que pensa o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), de que é preciso manter a estabilidade do País, especialmente em um momento em que a economia começa a melhorar. Caso tenha "fato grave", este apoio pode ser reavaliado. Mais cedo, durante evento em Barueri, Doria disse a jornalistas que a decisão sobre o eventual desembarque dos tucanos do governo Temer caberia à executiva do partido.

Para Doria, antecipar as eleições presidenciais seria "desastroso". "Seria iniciar um debate enfraquecendo a governabilidade do País e colocando em risco não só as reformas, como a melhora econômica." Durante a palestra na XP, que durou cerca de 40 minutos, ele foi bastante aplaudido, com gritos de "presidente" em alguns momentos. O prefeito disse que "está na política", mas repetiu o discurso usado desde a campanha à Prefeitura de que não é político, e sim um gestor.

O prefeito afirmou que foi a "série de erros" dos ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff que o estimularam a deixar sua zona do conforto como empresário e entrar na política. "Dilma, desculpa, mas você é uma anta", disse o prefeito, arrancando aplausos das quase 5 mil pessoas que lotaram o auditório do evento.

Sobre Lula, Doria disse que, se o petista for condenado, ele vai aplaudir a decisão, mas defende que o ex-presidente tenha a chance de disputar as eleições em 2018. "Se ele for impedido de concorrer, há o risco de se criar um mártir", avaliou. Altamiro Silva Junior, ESTADÃO

De política, DIÁRIO CATARINENSE