sábado, 31 de janeiro de 2015

A empresa do ministro da Educação, Cid Gomes, recebeu tratamento privilegiado do Banco do Nordeste



Em 18 de novembro de 2013, o então governador do Ceará e atual ministro da Educação, Cid Gomes, deixou Fortaleza rumo a Sobral para participar da inauguração da segunda agência do Banco do Nordeste, o BNB, em sua cidade natal. No palanque da foto acima, improvisado em frente à nova agência, Cid elogiou a política de juros baixos do banco. “Se a gente não tiver crédito e um crédito bom, um crédito barato, um crédito que estimule quem está começando, de nada vai adiantar o saber fazer ou a boa vontade. É aí que entra o Banco do Nordeste. É aí que entra essa segunda nova agência aqui em Sobral”, disse. Tão logo terminou a cerimônia, Cid comentou com alguns dirigentes do banco que ele poderia largar a política depois de deixar o governo estadual. Disse que queria se tornar um empreendedor. Precisava pensar no futuro. Sem delongas, Cid correu ao guichê da gerente do banco recém-inaugurado. Queria informações sobre linhas de crédito, taxas de juros e prazo de pagamento de empréstimos – e confirmar se tudo o que falara no discurso minutos antes era verdade mesmo. Começava ali a aventura de Cid rumo ao empreendedorismo.

Dois meses depois, Cid pediu ao BNB mais informações sobre as condições de empréstimos. Sem pestanejar, no dia 21 de janeiro, a gerente do banco em Sobral, a mesma que atendeu Cid solicitamente na cerimônia de inauguração da agência, transmitiu por e-mail ao superintendente do banco no Ceará, João Robério Messias, informações sobre um pedido de financiamento para a construção de galpões numa região remota de Sobral. A gerente cobrava celeridade do chefe para dar pronta resposta ao cliente. Messias logo mostrou a eficiência do BNB. No dia seguinte, encaminhou as informações do pedido a dois diretores do banco. Num e-mail, Messias fez questão de frisar: “Esse pleito é de empresa no nome do governador Cid Gomes, que iniciou negociação esta semana” (leia o e-mail). Não precisava dizer mais nada. O BNB, banco do governo federal voltado para financiar o desenvolvimento do Nordeste, estava pronto para financiar a empresa do governador Cid.

...

Em entrevista ao jornal O Povo, em setembro do ano passado, Cid disse que estava pensando no futuro: “Tem um terreno que comprei quando era deputado estadual, peguei um financiamento do Banco do Nordeste, fiz uma estrutura e aluguei, e isso vai dar uma tranquilidade para minha vida futura”. Nada como ser amigo do gerente.

De Murilo Ramos, ÉPOCA

Em encontro, PSDB reafirma apoio a Delgado na Câmara


Brasília ­ Em encontro realizado nesta sexta­feira, 30, em Brasília, integrantes da cúpula do PSDB reafirmaram o posicionamento de apoiar a candidatura do deputado Julio Delgado (PSB­MG) para presidência da Câmara e do senador Luiz Henrique para a do Senado. 

Até a reunião de hoje, alguns setores do partido, em especial o de São Paulo, sinalizavam o desejo de apoiar a candidatura de Eduardo Cunha (PMDB­RJ) ao comando da Câmara. Nas negociações estavam em jogo a disputa por espaços considerados como estratégicos dentro da Casa como a vice­presidência das Casas e principais comissões. 

"Isso [a vice­presidência] não é o mais relevante. Não acho que é mais importante para o PSDB ter um espaço na Mesa, mas sim manter a coerência política", ressaltou o senador Aécio Neves, presidente nacional da legenda, após a reunião. "A pressão individual realizada por Eduardo Cunha diminui com a fala do Aécio", considerou o deputado Carlos Sampaio (PSDB­SP), que assumirá na próxima legislatura a liderança da bancada na Câmara. 

No discurso feito na reunião por integrantes da cúpula do PSDB prevaleceu a tese de que é necessário que o partido retribua o apoio recebido pelo PSB na última eleição presidencial. Na ocasião, a candidata do partido socialista Marina Silva declarou voto no presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), que disputou o segundo turno com a presidente Dilma Rousseff (PT)...

De Erich Decat e Isadora Peron, ESTADÃO

Lula, Dilma e a cadeia alimentar



Poucos duvidam que no topo da cadeia alimentar da corrupção estarão os verdadeiros beneficiários deste que é o maior esquema de corrupção da história do Brasil, e pode juntar das as roubalheiras do período colonial, da época das coroas portuguesa, holandesa e outras corroas, do período pré e pós republicano, do estado novo e finalmente na redemocratização brasileira.

Olha que o ex-presidente Fernando Collor foi acusado inicialmente de ser presenteado com um automóvel modelo Elba da Fiat, pense em um automóvel feio, e que chegou ao processo de cassação terminado no impeachment, ai veio toda aquela descoberta dos modos operantes do PC Farias, seu fiel colaborado, e que atuava na escuridão.

Agora é bem diferente, pois temos uma linha de crédito dentro do orçamente chamada de PAC, que canaliza recursos para obras operadas pelas estatais Petrobras, Eletrobrás e outras, temos outros agentes financeiros como BNDES, BB e Caixa, temos os operadores que fazem a ponte do dinheiro público para os particulares, temos as lavanderias, e principalmente sabemos qual o objetivo e a razão de todo roubalheira.

Pode até ser que ao final desta gigantesca operação do Lava Jato venha a concluir quê, contra o ex-presidente Lula e a presidente Dilma não se pode imputar qualquer participação direta ou indireta nos esquemas do Mensalão e agora do Petrolão, mas ninguém que tenha um pouquinho só de inteligência pode negar que estes dois políticos foram os principais favorecidos no oceano de lama, grana e poder instalado no país.


De Julio Cunha, CINZA E GELO 

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Ações da Petrobras atingem Volume Morto

Operadores da Ibovespa fizeram um minuto de silêncio

ABREU E LIMA - Após permitir que os recursos da companhia escoassem pelo ralo, o Conselho da Petrobras admitiu que as ações da empresa atingiram, pela primeira vez, o Volume Morto. "Estamos estudando o bombeamento via BNDES", explicou Graça Foster, enquanto trocava duas ações majoritárias por uma média requentada numa padaria.

O Conselho da empresa estuda ainda a aquisição de uma bacia hidrogáfica no deserto do Atacama. "O investimento inicial para perfurarmos o local em busca de contratos aditivados foi orçado em R$ 44 bilhões, mas estamos negociando. A ideia é fechar em torno de 86 bilhões", explicou Patrício Antunes, diretor de Ílicitos.

Graça Foster espera que outro recorde importante seja alcançado esta semana. "Além da marca histórica do Volume Morto, nossas ações estão prestes a atingir um nível mais baixo do que esta edição do Big Brother", comemorou.

De economia, THE HERALD, REVISTA PIAUI, ESTADÃO

Marcelo Madureira: Agente 171 – Licença para mentir



A presidente Dilma Rousseff resolveu sair da muda. Antes continuasse calada. Reuniu o seu ministério, grande em tamanho, pequeno em qualidade, para apresentar o plano. O plano não é para ajudar ao país a resolver os enormes problemas do momento. Muito menos foca em ideias de como tornar o futuro dos brasileiros um pouco melhor. Nada disso. O plano é mentir, mentir deslavadamente contra os fatos e a realidade. O plano é um só: salvar o governo. Como se isso fosse possível num governo que já começou no fundo do poço. Poço da Petrobras. Também será chamado de PAC – Plano de Aceleração das Cascatas.

Dilma declarou guerra à verdade e começou o que chamou de “batalha da comunicação”. Na minha opinião, Joseph Goebbels não arrumaria nem vaga de estagiário nos governos petistas. As ideias de Goebbels seriam consideradas rudimentares pela nossa Stalin de saias.

Logo, o mega-mini-ministério de Dilma vai gastar todas as suas “luzes”, as poucas que tem, em dar explicações ao que é inexplicável. Enquanto isso, no mundo real, falta energia, falta água, falta planejamento, falta gestão, falta competência e sobra desemprego, corrupção e inflação.

E tenho dito.

De blog MARCELO MADUREIRA

HRW denuncia aumento de letalidade policial e "tortura crônica" no Brasil



Mortes por ação da polícia quase dobraram no estado de São Paulo e subiram 40% no Rio de Janeiro. ONG também alerta que tortura é problema "crônico" no país, uma "herança da impunidade".

A letalidade policial aumentou em 2014 e a tortura permanece "crônica" no Brasil, alertou a organização Human Rights Watch (HRW) nesta quinta-feira (29/01) durante o lançamento de seu relatório anual de direitos humanos.

O número de mortos em decorrência de intervenção policial cresceu 97% no estado de São Paulo, passando de 369, em 2013, para 728, no ano passado. No estado do Rio de Janeiro, o aumento foi de 40%, chegando a 582 mortos. Em média, seis pessoas morrem por ação da polícia todos os dias no país.

A diretora da HRW no Brasil, Maria Laura Canineu, comparou o estado de São Paulo à África do Sul. "A população dos dois é semelhante, e o país africano tem uma taxa de homicídios maior do que a brasileira. Mas lá foram 413 mortos pela polícia em 2013. O estado de São Paulo mata bem mais do que a África do Sul inteira", disse.

A ONG também apontou a tortura como uma das violações recorrentes no país. De janeiro de 2012 a junho de 2014, a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos recebeu 5.431 denúncias de tortura e tratamento cruel, desumano ou degradante. Foram cerca de 180 casos por mês, seis por dia.

"E 84% dessas violações ocorreram dentro de estabelecimentos em que o preso estava sob custódia do Estado. Os métodos utilizados são os mais cruéis. No atual estágio da nossa democracia, não se espera isso", ressaltou Canineu.

Sobre a relação da tortura atual com o regime militar, a diretora defendeu que a prática é uma "herança da impunidade". "O fato de os agentes terem a convicção de que não serão punidos por esses graves abusos favorece que a tortura permaneça", afirmou...

De notícias, DW

Como a polícia de Los Angeles superou má fama e virou modelo para país



Poucas horas depois da absolvição dos quatro policiais que haviam sido filmados espancando um homem negro em Los Angeles, o centro da segunda maior cidade dos Estados Unidos seria tomado por uma multidão que saqueava lojas, incendiava prédios e assaltava motoristas.

O ano era 1992, e a revolta com a decisão judicial desencadearia o maior levante da história recente dos Estados Unidos, encerrado seis dias depois com um saldo de 63 mortos, mais de 11 mil detidos e um prejuízo de cerca de US$ 1 bilhão.

De lá para cá, a polícia de Los Angeles foi submetida a uma refoma considerada por especialistas um exemplo de sucesso. As mudanças foram impostas pelo Departamento de Justiça do governo americano – que se valeu de uma lei que lhe permite intervir em forças estaduais ou municipais que cometam abusos sistemáticos – após o espancamento do operário Rodney King, que havia se recusado a encostar o carro numa abordagem policial.

King sobreviveu aos golpes dos agentes, mas a insurreição forçaria a polícia de Los Angeles a rever uma série de práticas que haviam lhe rendido a fama de ser uma das mais racistas e violentas forças de segurança dos Estados Unidos.

A experiência é lembrada num momento em que pipocam pelo país protestos contra a violência policial e o modo como as corporações tratam negros e latinos. As manifestações foram impulsionadas pela absolvição dos policiais que em 2014 mataram o jovem Michael Brown em Ferguson, Missouri, e o vendedor ambulante Eric Garner em Staten Island, Nova York. Como Rodney King, os dois estavam desarmados e eram negros...

De João Fellet, BBC

Para ter votos em Chinaglia, governo promete liberar emendas a novatos, diz Cunha


BRASILIA - Deputados novatos relataram que o governo vem prometendo liberar emendas parlamentares para garantir o voto no petista Arlindo Chinaglia (SP), disse nesta quinta-feira, 29, o candidato do PMDB à presidência da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (RJ).

Cunha afirmou que o PMDB só votará o Orçamento se os novos tiverem direito às emendas impositivas."Só acredita nisso (promessa do governo) quem não conhece a Casa", disse o peemedebista. Como o Orçamento de 2015 ainda não foi votado pelo Congresso, Cunha fez um acordo com o senador Romero Jucá (PMDB-RR), relator do projeto, para incluir reserva orçamentária aos 224 deputados que não tiveram a oportunidade de encaminhar suas emendas no final do ano passado porque ainda não tinham mandato.

"Queremos que todos os novos tenham direito ao orçamento impositivo", enfatizou. Se eleito no próximo domingo, Cunha disse que o primeiro item de sua pauta como presidente da Casa será a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Orçamento Impositivo...

De política, ESTADO DE MINAS

Renan foi voto vencido sobre encontro para decidir candidatura do PMDB



O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi voto vencido na bancada em relação ao dia em que os senadores do partido iriam se reunir para escolher o candidato oficial da legenda na disputa à Presidência da Casa. Renan - que ainda não anunciou oficialmente sua disposição de concorrer à reeleição - pretendia adiar ao máximo a decisão.

Renan queria marcar o encontro da bancada apenas no domingo, 1º, dia da eleição. Contudo, o líder do partido, Eunício Oliveira (CE), consultou integrantes da bancada e decidiu marcar o encontro para sexta feira, 30, às 17 horas.

Ao postergar sua decisão, o atual presidente do Senado tentava não ficar na ‘vitrine‘ desde que o jornal O Estado de S. Paulo revelou, no início de setembro, que ele foi um dos citados pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa em sua delação premiada. Conta com o respaldo do Palácio do Planalto para essa operação, uma vez que foi um dos principais fiadores da presidente Dilma Rousseff no Congresso durante o primeiro mandato.

Nessa quarta-feira, 28, aumentou a pressão para Renan se lançar à reeleição depois que o senador Luiz Henrique (PMDB-ES) passou a anunciar que seria candidato com ou sem apoio do PMDB. Num contra-ataque, o atual presidente e seus aliados cobram de Luiz Henrique respeito à decisão da bancada de amanhã. Ou seja, que não se lance à revelia da orientação dos parlamentares da legenda - embora não haja qualquer impedimento legal para que o faça.

Renan e os aliados temem eventuais traições no plenário em favor de Luiz Henrique, uma vez que a votação é secreta.

De política, GAZETA DIGITAL

Especialista defende que governo comece a preparar plano de racionamento



Nesta semana, o nível dos reservatórios do sistema Sudeste/Centro-Oeste, responsável pela geração da maior parte da energia consumida no país, chegou a 16,9% de sua capacidade máxima de armazenamento

O governo já deveria estar preparando um plano para decretar o racionamento de energia no país, com o objetivo de evitar o desabastecimento, disse o presidente do Instituto Acende Brasil, Claudio Sales. Ele defende que o corte no consumo seja feito depois do período de chuva, que termina no fim de abril.

“Devemos preparar um eventual racionamento, porque em uma situação como esta passa a ser desejável a criação de condições para restabelecer o nível dos reservatórios o mais rapidamente possível. E o que temos de chuva, combinado com a demanda, não é suficiente - só cortando o consumo para fazer isso mais rapidamente”. Para Sales, o racionamento deve ser feito juntamente com incentivos e normas que levem ao corte do consumo, com a redução dos contratos de energia, para que as geradoras não sejam prejudicadas.

Nesta semana, o nível dos reservatórios do sistema Sudeste/Centro-Oeste, responsável pela geração da maior parte da energia consumida no país, chegou a 16,9% de sua capacidade máxima de armazenamento, segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Na mesma época do ano passado, o nível dos reservatórios desse sistema estava em 41%. Para o especialista, a queda do nível em plena época de chuva é um indicativo de que o país pode chegar ao fim do período chuvoso com reservatórios abaixo do necessário para enfrentar o resto do ano...

De energia, GAZETA ONLINE

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Governo central fecha 2014 com 1º déficit primário e desafios continuam


BRASÍLIA - O governo central (Tesouro, Banco Central e Previdência Social) fechou 2014 com déficit primário de 17,243 bilhões de reais, o primeiro resultado negativo da série histórica iniciada em 1997, impactado pela expansão maior dos gastos em um cenário de fraca atividade econômica.

Em 2013, a economia feita para pagamento de juros da dívida havia ficado positiva em 76,994 bilhões de reais e, para 2015, o cenário continua delicado.

Segundo informou o Tesouro Nacional nesta quinta-feira, a receita líquida atingiu 1,014 trilhão de reais em 2014, alta de 2,3 por cento frente ao ano anterior, mas a despesa total cresceu muito mais no período, 12,8 por cento, a 1,031 trilhão de reais...

De Luciana Otoni, REUTERS

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Divulgado o falecimento das irmãs Premiuns


Finalmente a Petrobras publicou o Balanço Trimestral da empresa, tão esperado pelo credores internacionais, pois para os brasileiros o que vale é a fantasia do governo, e na apresentação contábil não considerou os resultados parciais apontados com os desvios na Operação Lava Jato, e para surpresa de alguns desinformados comunicou também o falecimento das refinarias Premium I e Premium II, e pasmem, alegou que o o principal motivo de enterrar o ufanismo lulista foi o aumento exagerado das despesas operacionais da empresa.

Como é de praxe os verdadeiros colaboradores de qualquer projeto existente neste país e também seus beneficiários jamais tomarão conhecimento dos fatos que levaram ao enterro de tais projetos, mais uma coisa é certa, os enroladores conseguiram enganar a população por um longo período, e tiveram seus dividendos políticos alcançados aqui no Nordeste e em todo o Brasil.


Olha que eu já havia comentado por diversas vezes em momentos anteriores, é disse que as irmãs siamesas enumeradas de Premium I e II estavam fadadas ao falecimento. Na verdade não chegaram sequer a ser concebidas, O  que espanta, ou não, foram os gastos feitos pelos padrinhos dos bebês, Rosiane Sarney e Cid Gomes terem gastos tanto com os enxovais.

O ex-governadores Cid Gomes não parava de proclamar a todos os cearenses que a refinaria estava chegando. E vinha o Lula e avalizava a obra, e vinha o Lula novamente, já reeleito, e avalizava novamente, e vinha a Dilma e confirmava, e até mesmo inaugurava a ordem de serviço, e mais uma vez, para se reeleger, a candidata dava sua palavra.

Trocando em miúdos atual ministro da Educação Cid Gomes deve explicação ao povo do Ceará e também aos Tribunais sobre os gastos indevidos e a má aplicação do dinheiro público.

De Julio Cunha

Ações da Petrobras despencam 10% nesta quarta



Empresa divulgou nesta madrugada o balanço contábil referente ao terceiro trimestre, mas sem o aval da auditoria externa e sem as baixas contábeis esperadas pelo mercado

As ações da Petrobras operam em forte queda nesta manhã de quarta-feira, depois de a estatal divulgar seu balanço financeiro do terceiro trimestre sem as baixas contábeis da corrupção, como era esperado, e sem o aval da auditoria externa PricewaterhouseCooper (PwC). Os papéis preferenciais (PN) da companhia, sem direito a voto no Conselho, chegaram a cair 10,17% no início do pregão, para 8,66 reais. Por volta de 12h30, as perdas eram um pouco menores, de 10,03% (9,15 reais). Já as ações ordinárias (ON), com direito a voto, registraram queda de 10,17%, para 8,66 reais, na máxima do dia. Por volta de 10h30 recuavam 9,34%, para 8,74 reais.

Como consequência, o fraco desempenho das ações da Petrobras pressionava a BM&FBovespa. O principal índice da bolsa, o Ibovespa, caia 1,96%, para 47.641 pontos, por volta de 12h30.

Balanço – A Petrobras publicou na madrugada desta quarta-feira o balanço financeiro do terceiro trimestre de 2014 sem considerar as baixas contábeis causadas por corrupção. O documento, divulgado após dois adiamentos e com mais de dois meses de atraso, não tem a aprovação da auditoria independente PricewaterhouseCoopers (PwC). Depois de onze horas de reunião na terça, o Conselho de Administração da estatal não chegou a um consenso sobre como separar no balanço as perdas provocadas pelos desvios apontados na Operação Lava Jato dos prejuízos com outros fatores, como projetos ineficientes e atrasos causados por chuvas.

De economia, VEJA

Lucro da Petrobras cai 38% no 3º tri; balanço não traz perdas com desvios

 

A Petrobras divulgou na madrugada desta quarta-feira (28), após dois adiamentos, o balanço com os resultados da empresa no terceiro trimestre de 2014. A estatal viu seu lucro despencar 38% no período, em comparação com o trimestre anterior, de R$ 4,959 bilhões para R$ 3,087 bilhões.

O valor, contudo, não contabiliza o dinheiro perdido em desvios investigados na Operação Lava Jato e nem a perda de valor recuperável de alguns de seus ativos por efeito do escândalo de corrupção.

A estatal afirma em balanço que a metodologia que adotou para descontar o valor incorporado indevidamente como investimento, mas desviado em esquema de corrupção entre 2004 e 2012, mostrou-se "inadequada" e, por isso, recuou da promessa de subtrair o valor de seus ativos. A fórmula, diz a Petrobras, tinha "elementos que não teria relação direta com pagamentos indevidos".

Em comunicado divulgado com o balanço, a presidente da companhia, Graça Foster, reconhece a necessidade de ajustes, mas diz que é "impraticável a exata quantificação destes valores indevidamente reconhecidos, dado que os pagamentos foram efetuados por fornecedores externos e não podem ser rastreados nos registros contábeis da Companhia."

No documento, Foster disse que a fórmula criada, e posteriormente desprezada, para calcular a extensão dos desvios apontaria a necessidade de ajuste de R$ 61,4 bilhões em seus ativos...

De Samantha Lima, FOLHA DE S. PAULO

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Curdos expulsam Estado Islâmico de Kobani após batalha de quatro meses


BEIRUTE/ISTAMBUL - Forças curdas assumiram o controle da cidade síria de Kobani nesta segunda-feira depois de expelir os combatentes do Estado Islâmico, disseram um grupo de monitoramento e a mídia estatal síria, embora os Estados Unidos tenham dito que a batalha de quatro meses pela cidade ainda não terminou.
Alguns apoiadores do Estado Islâmico foram ao Twitter para dizer que a luta em Kobani, um ponto crucial no embate entre as forças internacionais e o grupo ultrarradical islâmico, continuava em andamento.
Militantes islâmicos lançaram um ataque contra a cidade de maioria curda no ano passado, usando armamentos pesados roubados no Iraque e forçando dezenas de milhares de moradores locais a se exilarem.
O Observatório Sírio de Direitos Humanos, sediado na Grã-Bretanha, disse que as Unidades de Proteção do Povo (YPG), milícia formada por sírios curdos, retomaram a cidade, localizada perto da fronteira com a Turquia, mas avançavam com cautela na periferia leste, onde o Estado Islâmico plantou minas antes de se retirar...
De Sylvia Westall e Ayla Jean Yackley, REUTERS

Defesa de Cerveró retira Dilma do rol de testemunhas



Menos de três horas , a defesa do ex-­diretor da Petrobrás Nestor Cerveró apresentou uma nova petição à Justiça Federal em que pede a substituição da presidente por uma outra testemunha Ishiro Inagaki, de Tóquio. 

A alegação do advogado Edison Ribeiro para a súbita mudança está na petição entregue nesta segunda feira, 26. Ele justifica a troca “uma vez que a decisão sobre a aquisição das sondas foi privativa da Diretoria da Petrobrás, não passando pelo Conselho de Administração, onde a testemunha ora substituída (Dilma Rousseff) exercia a Presidência”. 

Na ação penal, Cerveró e o lobista Fernando Antônio Falcão Soares, conhecido como Fernando Baiano, são acusados de receberem propina de cerca de US$ 30 milhões para viabilizar contratos de navios-­sonda para a Petrobrás. Os pagamentos teriam sido feitos por Júlio Camargo, representante da empresa Toyo Setal, a Baiano, que atuaria diretamente na Diretoria Internacional, na época dos fatos comandada por Cerveró. 

Ao Estado, Ribeiro minimizou o episódio e disse que a troca foi motivada após uma conversa com Cerveró na carceragem da PF em Curitiba, onde o ex­diretor está preso. “Não foi nada demais, eu havia colocado a presidente (Dilma) e o (Sérgio) Gabrielli porque um foi presidente da Diretoria Executiva e outro do Conselho de Administração (da Petrobrás). Mas, ao conversar com Nestor Cerveró ele me disse que neste neste caso (pagamento de propina em compra de navios­sonda pela estatal) a decisão foi exclusiva da Diretoria, não passou pelo Conselho”, explicou...

De Mateus Coutinho e Fausto Macedo, ESTADO DE S. PAULO

Marta Suplicy: O diretor sumiu



Tenho pensado muito sobre a delicadeza e a importância da transparência nos dias de hoje. Temos vivido crises de todos os tipos: crise econômica, política, moral, ética, hídrica, energética e institucional. Todas elas foram gestadas pela ausência de transparência, de confiança e de credibilidade.

Se tivesse havido transparência na condução da economia no governo Dilma, dificilmente a presidente teria aprofundado os erros que nos trouxeram a esta situação de descalabro. Não estaríamos agora tendo de viver o aumento desmedido das tarifas, a volta do desemprego, a diminuição de direitos trabalhistas, a inflação, o aumento consecutivo dos juros, a falta de investimentos e o aumento de impostos, fazendo a vaca engasgar de tanto tossir.

Assim que a presidenta foi eleita, seu discurso de posse acompanhou o otimismo e reiterou os compromissos da campanha eleitoral: "Nem que a vaca tussa!".

Havia uma grande expectativa a respeito do perfil da equipe econômica que a presidenta Dilma Rousseff escolheria. Sem nenhuma explicação, nomeia-se um ministro da Fazenda que agradaria ao mercado e à oposição. O simpatizante do PT não entende o porquê. Se tudo ia bem, era necessário alguém para implementar ajustes e medidas tão duras e negadas na campanha? Nenhuma explicação.

Imagina-se que a presidenta apoie o ministro da Fazenda e os demais integrantes da equipe econômica. É óbvio que ela sabe o tamanho das maldades que estão sendo implementadas para consertar a situação que, na realidade, não é nada rósea como foi apresentada na eleição. Mas não se tem certeza. Ela logo desautoriza a primeira fala de um membro da equipe. Depois silencia. A situação persiste sem clareza sobre o que pensa a presidenta.

Iniciam-se medidas de um processo doloroso de recuperação de um Brasil em crise. Até onde ela se propõe a ir? Até onde vai o apoio à equipe econômica?

Para desestabilizar mais um pouco a situação, a Fundação Perseu Abramo, do PT, critica as medidas anunciadas, o partido não apoia as decisões do governo e alguns deputados petistas vociferam contra elas. Parte da oposição, por receio de se identificar com a dureza das medidas, perde o rumo criticando o que antes preconizou.

O PT vive situação complexa, pois embarcou no circo de malabarismos econômicos, prometeu, durante a campanha, um futuro sem agruras, omitiu-se na apresentação de um projeto de nação para o país, mas agora está atarantado sob sérias denúncias de corrupção.

Nada foi explicado ao povo brasileiro, que já sente e sofre as consequências e acompanha atônito um estado de total ausência de transparência, absoluta incoerência entre a fala e o fazer, o que leva à falta de credibilidade e confiança.

É o que o mercado tem vivido e, por isso, não investe. O empresariado percebe a situação e começa a desempregar. O povo, que não é bobo, desconfia e gasta menos para ver se entende para onde vai o Brasil e seu futuro.

Acrescentem-se a esse quadro a falta de energia e de água, o trânsito congestionado, os ônibus e metrôs entupidos, as ameaças de desemprego na família, a queda do poder aquisitivo, a violência crescente, o acesso à saúde longe de vista e as obrigações financeiras de começo de ano e o palco está pronto.

A peça se desenrola com enredo atrapalhado e incompreensível. O diretor sumiu.

De Paulo Branco, Marta Suplicy, FOLHA DE S. PAULO

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Lula pede clemência por Dilma



Glorinha Kalil pediu clemência para o estilista de Dilma

CUBA - Em nova carta ao povo brasileiro, o ex-presidente em exercício, Luiz Inácio da Silva, pediu para todos perdoarem Dilma Rousseff. "Meus amigos e minhas amigas, peço clemência para a companheira Dilma. Todos temos direito de errar, quantas vezes forem necessárias, insistir nesses erros e permanecer erráticos", diz o primeiro parágrafo.

Lula iniciou uma campanha para demonstrar solidariedade à presidenta. Solícito, distribuiu camisetas com a frase "Je suis Dilma" para toda a base aliada, para os movimentos sociais e para blogueiros progressistas. "Nunca antes na história desse país o perdão foi tão importante", discursou.

O ex-presidente em exerício estuda redigir documentos até o final do ano pedindo clemência para José Dirceu, José Genoino e todos os envolvidos na Operação Lava Jato. "Se Jesus Cristo perdoou, por que eu não perdoaria?", perguntou.

De The Herald, REVISTA PIAUÍ

Cunha: ‘Ninguém vai para o Procon reclamar da minha atuação como presidente’



SÃO PAULO — Na reta final da eleição para a Presidência da Câmara, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), um dos quatro candidatos ao cargo disse nesta segunda-feira que, se eleito, nenhum parlamentar precisará acionar o Procon para se queixar de sua gestão. Cunha está cumprindo agenda de campanha em São Paulo nesta segunda-feira. Ele participou de uma palestra com dirigentes da Força Sindical ao lado do coordenador de sua campanha, o deputado Paulinho da Força.

— Podem vir todos os partidos de oposição inteiros que a minha posição não vai mudar. Ninguém vai para o Procon reclamar da minha atuação como presidente. Vou fazer aquilo que estou prometendo na campanha — afirmou Cunha.

O deputado fez a declaração quando perguntado se o apoio de partidos da oposição o faria ser um presidente da Câmara oposicionista ao governo Dilma Rousseff. Nesta segunda-feira, ele ainda se encontra com a bancada de deputados federais do PSDB na capital paulista. Antes participa de um almoço com parlamentares de várias siglas...

De Silvia Amorim, O GLOBO

“FT” questiona se novo premiê da Grécia agirá como Lula ou Chávez



SÃO PAULO - O líder do partido de esquerda Syriza, Alexis Tsipras, assumiu nesta segunda-feira como primeiro-ministro da Grécia, após vencer as eleições de ontem. Em texto publicado hoje no site do “Financial Times”, o colunista Tony Barber questiona se Tsipras atuará como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ou como o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez. Na opinião do articulista, o líder grego fez campanha em alguns momentos como um radical, mas poderia vir a governar como um pragmático.

Barber compara o cenário atual com o de 1981 na política grega, quando o líder do Partido Socialista (Pasok), Andreas Papandreou, chegou ao poder. Uma diferença importante, segundo o colunista, é que em 1981 Papandreou tinha mais margem de manobra para ser independente, enquanto agora os gregos estão mais endividados, com uma dívida pública que representa 175% da produção econômica nacional.

O colunista do “FT” diz que a questão mais importante agora, e para a qual ainda não há resposta, é se Tsipras poderá se portar como um moderado no poder, desejando fechar acordos com os credores. Nos três anos até chegar ao poder, Tsipras ficou em alguns momentos próximo da retórica de Chávez, segundo o colunista, e em outros do pragmatismo de Lula. Segundo Barber, talvez a previsão mais segura agora é que, diferentemente de Papandreou, Tsipras dificilmente conseguirá ficar oito anos consecutivos no poder.

De agências internacionais, VALOR

Brasileiro preso quando tentava ir à Siria é extraditado à Espanha e acusado de terrorismo



O brasileiro Kayke Luan Ribeiro Guimarães, de 18 anos, preso na Bulgária acusado de envolvimento com terrorismo, foi extraditado à Espanha e já prestou o primeiro depoimento à justiça espanhola, informou o tribunal espanhol Audiencia Nacional à BBC Brasil.

Depois de ouvi-lo, o juiz Santiago Pedraz decretou a prisão incondicional de Kayke, sem direito a fiança, e irá julgá-lo por delito de integração em organização terrorista, com pena prevista de seis a 12 anos de cadeia. Ele será julgado por esse tribunal, que lida apenas com as acusações mais graves do país, como terrorismo, narcotráfico e crime organizado.

O jovem foi preso no dia 15 de dezembro de 2014 na fronteira da Bulgária com a Turquia quando, ao lado de dois marroquinos, estaria a caminho da Síria para se alistar no grupo radical autodenominado "Estado Islâmico".

Fontes diplomáticas informaram à BBC Brasil que o Itamaraty foi avisado por telegrama no fim da tarde de quinta-feira que Kayke seria transferido na madrugada desta sexta-feira...

De Fernando Kallás, BBC

Projeção para inflação em 2015 dispara a 6,99% e de expansão do PIB despenca a 0,13%



SÃO PAULO - A projeção de economistas de instituições financeiras para a inflação neste ano disparou para praticamente 7 por cento após o anúncio de aumentos de impostos ao mesmo tempo em que a estimativa de crescimento da economia despencou, mas a projeção para a Selic ao final de 2015 permaneceu inalterada.

De acordo com a pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira, a projeção para a alta do IPCA em 2015 foi elevada pela quarta semana seguida, a 6,99 por cento, contra 6,67 por cento anteriormente.

A última vez que a inflação oficial brasileira ficou acima de 7 por cento foi em 2004, quando o IPCA subiu 7,60 por cento. A meta oficial é de 4,5 por cento, com margem de 2 pontos percentuais.

A forte revisão da projeção no Focus aconteceu depois que o governo anunciou pacote de aumento de impostos, com destaque para tributos sobre combustíveis, como parte da investida do governo para colocar as contas públicas em ordem...

De Camila Moreira, REUTERS

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

EUA e Cuba divergem durante conversas para restabelecimento de laços



HAVANA - Estados Unidos e Cuba discordaram sobre a política de imigração nesta quarta-feira na primeira sessão das negociações de alto nível que pretendem restabelecer as relações diplomáticas entre os adversários da Guerra Fria.

Apesar das objeções de Cuba, os norte-americanos prometeram continuar concedendo a imigrantes cubanos uma condição especial que permite a quase todos que cheguem no território dos EUA permanecer no país, enquanto que cidadãos de outras nações são deportados quando chegam em circunstâncias similares.

As negociações continuarão na quinta-feira, e os dois lados devem discutir o restabelecimento das relações diplomáticas e, eventualmente, a retomada plena do comércio e das viagens.

Os dois dias de reuniões são o primeiro contato desde que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e seu colega cubano, Raúl Castro, anunciaram em 17 de dezembro terem obtido um avanço histórico na retomada das relações depois de 18 meses de negociações secretas...

De Daniel Trotta, REUTERS

Governador rompe com PDT e demite secretária com 20 dias no cargo


O governador da Bahia, Rui Costa (PT), vai demitir a secretária de Agricultura da Bahia, Fernanda Mendonça, que tomou posse no cargo há apenas 20 dias. A exoneração é resultado do rompimento do governador com o PDT, partido que participou de sua coligação nas eleições e que indicou Fernanda para o cargo. A secretária demitida é prima do deputado federal Félix Mendonça, presidente do PDT da Bahia.

Assim que tomou posse, o governador Rui Costa exigiu que o partido fosse um “aliado exclusivo” de seu governo e desembarcasse da base do prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) – potencial adversário de Costa nas eleições estaduais de 2018. O PDT assumiu a Secretaria do Trabalho de Salvador no início do ano, oficializando a adesão à base aliada do prefeito. Foi indicada para o cargo a ex-vereadora Andréia Mendonça, irmã do deputado Félix Mendonça e ex-secretária estadual na gestão Jaques Wagner (PT). Após as cobranças públicas de Rui Costa, o partido emitiu uma nota nesta terça-feira (20) informando que permaneceria apoiando o governador, mas manteria a indicação da secretária para a prefeitura.

De política, O ESTADO CE

Petrobras sobre 5% após pacote de Levy



O Ibovespa tem alta nesta terça-feira (20) depois de anúncio de quatro medidas para aumentar em R$ 20 bilhões as receitas do governo pelo ministro da Fazenda Joaquim Levy. Além disso, a China divulgou um crescimento do seu PIB em 2014 maior do que o esperado. Às 10h16 (horário de Brasília), o índice sobe 1,45%, a 48.451 pontos.

O câmbio seguia otimismo generalizado e o dólar caía 0,47%, ficando cotado a R$ 2,6433 na venda. Em relatorio, a Guide Investimentos explica que o discurso de Levy tem aumentado a sua credibilidade e ajudado a conter a pressão de alta do dólar e dos juros futuros mais longos. Os juros DI para janeiro de 2016 caíam 7 pontos-base, para 12,61%.

As ações da Vale (VALE3, R$ 21,81, +0,74%; VALE5, R$ 19,24, +0,73%) sobem por espera de que o minério fique mais caro com um aumento na demanda da China puxada por uma desaceleração menor da economia do gigante asiático. Petrobras (PETR3, R$ 9,33, +5,07%; PETR4, R$ 9,60, +4,46%) sobe 5%...

De Gerick Fernandes, DIARIO DO ESTADO

Análise: Empreiteiras reagem à estratégia do governo de jogar culpa no cartel



Acusadas de formar um "clube" para dividir obras da Petrobras, as empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato reagem e apontam a própria empresa como a responsável por ditar as regras dos acertos que levaram aos desvios bilionários na estatal.

As primeiras iniciativas para tentar reagir ao que as empreiteiras veem como uma estratégia do governo para poupar a Petrobras de processos internacionais e seus dirigentes atuais de envolvimento nas investigações foram tomadas pelos advogados da UTC, uma das empresas acusadas de integrar o cartel.

Em artigo publicado nesta semana e em peças anexadas ao processo, a defesa da construtora sustenta que a prova de que era a Petrobras quem detinha o total controle das regras é o comunicado em que a estatal proibiu, no fim de 2014, 23 construtoras de participarem de licitações...

De Vera Maralhães, FOLHA DE S. PAULO

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Oposição quer derrubada do veto à correção do IR em 6,5%


BRASÍLIA - A oposição fez duras críticas à presidente Dilma Rousseff e avisou nesta terça-feira que vai tentar derrubar o veto à correção de 6,5% do Imposto de Renda. O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse que os brasileiros têm sido a "grande vítima da incompetência e das contradições do governo do PT", ao criticar o veto da presidente Dilma Rousseff à correção do IR em 6,5%.

Por meio de nota, Aécio disse que a presidente está "traindo" os compromissos assumidos durante a campanha eleitoral, ao aumentar impostos e cortar direitos trabalhistas. Para o tucano, ao não corrigir a tabela pela inflação de 2014, estará havendo, na prática, aumento do imposto a ser pago. Candidato do PSDB nas eleições de outubro, o tucano foi derrotado por Dilma em outubro.

Ele disse que a oposição vai "se mobilizar no Congresso para impedir que medidas que penalizam parcelas expressivas da população, em especial o trabalhador brasileiro, sejam implantadas"...

De Cristiane Jungblut, O GLOBO

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Dilma veta correção da tabela do Imposto de Renda em 6,5%


A presidente Dilma Rousseff vetou nesta terça­-feira, 20, a correção de 6,5% na tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física, . A decisão consta da sanção, com vários vetos, da Lei 13.097, que é resultado da aprovação da Medida Provisória 656.

O texto ficou conhecido como MP das Bebidas Frias, por incorporar durante a tramitação no Congresso trecho para definir uma nova tributação do setor. O veto ocorre um dia após o , que elevará a arrecadação em R$ 20,6 bilhões.

Segundo o despacho, o reajuste de 6,5% da tabela "levaria à renúncia fiscal na ordem de R$ 7 bilhões, sem vir acompanhada da devida estimativa do impacto orçamentário ­financeiro, violando o disposto no art. 14 da Lei de Responsabilidade Fiscal". Agora, o Planalto deverá editar uma nova MP sobre o tema.

Nesta segunda­-feira, o ministro da Fazenda, ­ o mesmo porcentual dos últimos oito anos e o centro da meta de inflação. Desde 2010, no entanto, a inflação oficial medida pelo IPCA tem superado o centro definido pelo governo.

De Bianca Pinto Lima e Luci Ribeiro, O ESTADO DE S. PAULO

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Sete igrejas são incendiadas no Níger em protestos contra 'Charlie Hebdo'



Os protestos em Niamey contra a charge do profeta Maomé publicada pela revista satírica francesa 'Charlie Hebdo' deixaram ao menos sete igrejas incendiadas neste sábado (17) na capital nigerina, onde as manifestações se estendem a novos bairros da capital, constatou a agência de notícias France Presse (AFP).

Os sete locais de culto, em sua maioria igrejas protestantes e algumas delas sem sinais religiosos visíveis no exterior, foram incendiadas no sul de Niamey, indicou um jornalista da AFP, que viu os manifestantes se dirigirem à parte central e norte da capital, onde há mais igrejas.

Cinco pessoas haviam morrido até sábado em Niamei, capital do Níger, nos violentos protestos contra a charge, segundo o presidente nigerino, Mahamadou Issoufou...

De AFP, mundo, G1

Como a queda do petróleo afeta os negócios Brasil-Venezuela?



A Venezuela é o país latino-americano que mais deve sofrer se os preços do petróleo se estabilizarem no atual patamar, bem mais baixo que há alguns meses. E não é difícil entender por quê.


O produto representa cerca de 95% das receitas de exportação do país e mais de 40% do orçamento do governo.

A recente queda do barril venezuelano - da casa dos US$ 100 para menos de US$ 50 - na prática significa um corte radical nas divisas para financiar importações, gastos sociais e demais despesas do governo.
...
Há certo consenso entre economistas e especialistas consultados pela BBC de que o Brasil deve ser afetado por uma deterioração do cenário político e econômico venezuelano.

Primeiro, em função do peso da relação econômica e do comercial bilateral. Hoje, a Venezuela é responsável pelo terceiro maior superávit bilateral da balança comercial brasileira, atrás apenas da China e da Holanda (porta de entrada de toda a Europa).

Não fosse esse saldo no comércio com o país, o déficit registrado na balança comercial brasileira seria quase o dobro do que foi no ano passado, de US$ 3,93 bilhões...

De Ruth Costas, BBC

Promotor que acusou Cristina Kirchner de acobertar investigação contra Irã é achado morto


BUENOS AIRES - O promotor argentino que acusou a presidente Cristina Kirchner de orquestrar o acobertamento de uma investigação contra o Irã sobre o ataque a bomba de 1994 contra um centro judaico na Argentina foi encontrado morto em seu apartamento, informaram autoridades nesta segunda-feira.

Alberto Nisman, que investigava a explosão que matou 85 pessoas no centro judaico Amia, em Buenos Aires, disse na semana passada que Cristina havia aberto um canal de comunicação secreto com o grupo de iranianos suspeito de ter plantado a bomba...

De Sarah Marsh e Maximiliano Rizzi, REUTERS

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Eliane Cantanhêde: A verdade (de Marta) dói



A revelação mais importante da senadora Marta Suplicy, em sua entrevista ao Estado, é que o ex­presidente Lula queria, sim, e autorizou, sim, o movimento "Volta, Lula" para disputar a Presidência da República no lugar da pupila Dilma Rousseff.

Até por isso, Marta se reuniu com ele "uma, duas, três, quatro vezes". Não foi para falar de flores. Nem foi para falar bem de Dilma.

Muito menos para avalizar o "fracasso" (nas palavras da senadora) da política econômica.

Por delicadeza, ou lealdade, Marta insistiu várias vezes que Lula nunca disse, cabalmente, que seria, ou ao menos que queria, puxar o tapete de Dilma e virar candidato. Mas, para bom entendedor, meia palavra basta. Cá para nós, a fala de Marta foi muito mais do que apenas meia palavra.

O Planalto e Dilma calam. O PT e Lula calam. Mas não há viv'alma afirmando que Marta mentiu e/ou que Lula jamais, em nenhum momento, ficou assanhado com a possibilidade de subir a rampa de novo, nos braços do povo...

Há muitas verdades na fala de Marta Suplicy. E nenhuma mentira.

De Eliane Cantanhêde, O ESTADO DE S. PAULO

Ex-diretor da Petrobras Cerveró é preso pela PF no aeroporto do Rio



RIO DE JANEIRO - O ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró foi preso pela Polícia Federal ao desembarcar no aeroporto internacional do Rio de Janeiro na madrugada desta quarta-feira por acusação de envolvimento em crimes na estatal investigados pela Operação Lavo Jato, informou o Ministério Público Federal.

Cerveró foi detido em uma área interna do aeroporto ao desembarcar em voo vindo de Londres e foi transferido para a sede da Polícia Federal em Curitiba, onde estão concentradas as investigações da Lava Jato.

O Ministério Público Federal disse em nota que Cerveró foi preso preventivamente devido a indícios de que continuaria "a praticar crimes, como a ocultação do produto e proveito do crime no exterior, e pela transferência de bens (valores e imóveis) para familiares".

Segundo o MPF, o ex-diretor tentou transferir meio milhão de reais para sua filha e também transferiu recentemente três apartamentos "adquiridos com recursos de origem duvidosa".

O advogado de Cerveró, Edson Ribeiro, disse que as justificativas do MPF para o pedido de prisão preventiva não têm fundamento...

De Pedro Fonseca; Reportagem adicional de Walter Brandimarte, REUTERS

Contas de luz devem subir 40% em 2015, diz Aneel



As contas de energia elétrica devem subir, em média, 40%, em 2015, segundo estimativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apresentada na segunda-feira à presidente Dilma Rousseff e aos novos ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e de Minas e Energia, Eduardo Braga. O aumento é bem maior do que o que consta no relatório de inflação do Banco Central, que previa alta de 17% e pode representar um acréscimo de 1,2 ponto porcentual no índice de inflação (IPCA) deste ano. Segundo o jornal Valor Econômico, na conta da Aneel já está previsto o fim da ajuda do Tesouro Nacional às elétricas. Essa política foi adotada no ano passado para evitar que as empresas quebrassem diante do aumento exponencial de custos e o minguado caixa.

Em ano de corte de gastos, o governo disse na segunda-feira que não bancará mais o rombo financeiro, deixando para trás a política tão defendida pela presidente em 2012, baseada em subsídios ao setor com o objetivo de baixar a tarifa ao consumidor. Em 2014 foram emprestados 17,8 bilhões de reais às elétricas, conta que ainda será paga pelos consumidores brasileiros.

Vale lembrar, porém, que o reajuste nas contas variam de região para região, de distribuidora para distribuidora, e podem, segundo o Valor Econômico, ter um peso ainda maior para as indústrias do Nordeste. Isso porque o Ministério de Minas e Energia sugeriu à presidente por fim em um contrato que expira em junho com a Chesf e, há trinta anos, permite que a companhia venda energia elétrica a preços menores (um terço do habitual) para as indústrias eletrointensivas na Bahia, Alagoas e Pernambuco...

De economia, VEJA

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

BB e BNB aprovaram e, depois, negaram empréstimo à OAS



Em 10 de dezembro, o Banco do Brasil e o BNB acertaram um crédito de R$ 500 milhões para a OAS. Na sequência, cancelaram a operação. Foi o estopim para que os bancos privados também suspendessem seus empréstimos e a construtora entrasse em default na semana passada. A reestruturação da dívida total de R$ 7 bilhões está a cargo da G5 Evercore, de Corrado Varoli, ex-Goldman Sachs.


De Felipe Patury, ÉPOCA

domingo, 11 de janeiro de 2015

Líderes mundiais reúnem-se em Paris para marcha em homenagem às vítimas de ataques



PARIS - Dezenas de líderes mundiais, inclusive estadistas muçulmanos, deram os braços liderando centenas de milhares de franceses neste domingo em uma marcha sem precedentes sob forte segurança para homenagear as vítimas de ataques de militantes islâmicos ocorridos há poucos dias.

O presidente François Hollande e líderes de Alemanha, Itália, Israel, Turquia, Grã-Bretanha e Palestina, entre outros, caminharam na Praça da República à frente de bandeiras francesas e de outros países.

Cartazes presos em uma estátua na praça dizia: "Pourquoi?" (Por quê?) e pequenos grupos cantavam "La Marseillaise".

Cerca de 2,2 mil policiais e soldados patrulhavam as ruas de Paris para proteger os manifestantes de eventuais ataques, com atiradores de elite da polícia sobre os telhados e detetives à paisana misturando-se à multidão. Esgotos da cidade foram revistados antes do evento e estações de trem em todo o percurso deverão ser fechadas.

A marcha silenciosa -- que poderá ser a maior vista na Paris moderna -- reflete o choque em relação ao pior ataque islâmico contra uma cidade europeia em nove anos. Para a França, levantou questões relacionadas à liberdade de expressão, de religião e sobre segurança, e para além das fronteiras francesas expôs a vulnerabilidade dos Estados a ataques urbanos.

Dois dos atiradores declararam ligação com a Al-Qaeda do Iêmen e um terceiro ao movimento Estado Islâmico.

"Paris é hoje a capital do mundo. O país inteiro irá se levantar e mostrar seu melhor lado", disse Hollande em comunicado.

Dezessete pessoas, incluindo jornalistas e policiais, perderam a vida em três dias de violência, que começaram com um ataque a tiros no jornal satírico Charlie Hebdo na quarta-feira e terminou com a tomada de reféns em um supermercado judaico na sexta-feira. Os três homens armados também foram mortos.

À noite, um cartaz iluminado no Arco do Triunfo dizia: "Paris est Charlie" (Paris é Charlie).
Diversas construções de Londres incluindo a Tower Bridge deverão ser iluminadas com as cores vermelha, branca e azul da bandeira francesa em demonstração de apoio ao evento em Paris.

Cinquenta e sete pessoas foram mortas em um ataque ao sistema de transporte de Londres em 2005.
Horas antes da marcha, um vídeo foi divulgado com um homem parecido com o atirador morto no supermercado judaico. Ele alegou ter ligação com o grupo insurgente Estado Islâmico e pediu que os muçulmanos franceses sigam seu exemplo...

De redação, REUTERS

sábado, 10 de janeiro de 2015

Miriam Leitão: Em gelo fino



A humanidade está andando sobre gelo fino. É daqueles momentos em que se sabe que podemos acertar muito ou errar demais. Os terroristas muçulmanos na França, com seu ato abominável, produziram uma natural onda de repúdio, mas o que repudiamos? Não há chance para a paz quando se acha que todo o mal se concentra em um único grupo, mas a modernização do Islã é fundamental.

A morte dos irmãos Cherif e Said Kouachi e do terrorista Amedy Coulibaly foram consequência do cerco policial. Não resolve o problema, mas seria intolerável saber que eles estavam soltos. “Não acabaram as ameaças”, avisou o presidente François Hollande. Os nervos continuarão à flor da pele e nesse clima muita confusão pode ser feita. Hollande apontou o caminho certo: a união em torno de valores e as manifestações para deixar claro que o país não está com medo. Amanhã a França viverá um grande dia. Chefes de Estado e cidadãos franceses vão para as ruas. Hollande usou a palavra “liberdade” junto da palavra “pluralismo” como valores expressos pela Europa. É de fato o espírito da Europa.

O temor é o do aumento da xenofobia, do preconceito contra imigrantes e do ódio ao islamismo. É esse o gelo fino do momento. Qualquer passo em falso e seremos tragados. Não ver a dimensão da ameaça e achar que foi a ação de lobos solitários, ou de um emblemático grupo extremista, é correr riscos demais; fazer uma caça aos muçulmanos na Europa só aumentará o caminho do ódio étnico e religioso, origem de tanta tragédia na História.

Não basta lembrar o óbvio: que a religião não é representada pelos extremistas, e que a maioria dos líderes religiosos muçulmanos interpreta os textos religiosos de forma pacífica. O problema é que os que pertencem a outras religiões ou não professam fé alguma estão ficando com a impressão de que o ideário islâmico tem dado espaço para interpretações fanáticas e radicais.

Veja-se, por exemplo, o caso de como as mulheres são tratadas mesmo em governos que não são vistos como ameaça. Quantos líderes religiosos muçulmanos se mobilizaram para defender direitos mais elementares das mulheres dentro de vários países onde a religião se mistura ao governo? Não é tolerável a opressão imposta às mulheres em muitos países em nome do Islã, mas os moderados e modernos da religião nunca se revoltaram contra isso.

Esta é a hora em que o mundo vai discutir intensamente todos os aspectos do problema. Este brainstorm mundial será fundamental. A palavra em inglês é perfeita: uma tempestade mental. Estamos vivendo isso agora, com todos os pensadores, especialistas, políticos, líderes religiosos, jornalistas, chargistas sempre compelidos a pensar, ponderar, opinar.

Já há uma reação na Europa que fortalece quem pensa que só a força resolverá. A força é necessária, claro, como se viu ontem. Mas o que torna efetiva as atividades de repressão é a atuação dos governos em rede, porque o crime também age em rede, e a reafirmação dos valores civilizatórios.

É hora de revisitar, para não repetir, todos os erros da política externa americana, mas não é hora de relativizar os fatos. O crime bárbaro contra a liberdade de expressão, o assassinato de inocentes, a guerra supostamente santa de radicais que atinge indiscriminadamente pessoas e valores humanos são inaceitáveis. Como disse aqui, não existe transigência. Não cabem o “mas” e o “se” quando o ato é dessa enormidade. A batalha pela confirmação de valores civilizatórios tem que ser o centro. Não se deve perder jamais a noção de por quem dobram os sinos de Notre Dame. Eles dobram por todos nós.

De Miriam Leitão, O GLOBO

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Novo ministro de Dilma já foi condenado em 2ª instância



O novo ministro da Secretaria de Portos, Edinho Araújo (PMDB), possui em sua ficha uma condenação em segunda instância por improbidade administrativa , segundo informou o jornal Folha de S. Paulo. Nome indicado pelo vice-presidente, Michel Temer (PMDB), Araújo também já foi punido pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) por dispensa de licitação.

A condenação ocorreu em dezembro de 2012 e seria suficiente para enquadrar Araújo como ficha-suja pelos critérios da Lei da Ficha Limpa. O caso julgado ocorreu quando ele era prefeito na cidade paulista de São José do Rio Preto. Apesar do processo julgado, Edinho conseguiu se reeleger como deputado federal em 2014 por causa de uma liminar no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que suspendeu os efeitos da condenação.

Segundo a publicação, Araújo foi condenado porque autorizou que empresas quitassem dívidas com a prefeitura realizando obras de pavimentação asfáltica, em vez de pagar o valor devido. O novo ministro foi condenado à perda dos direitos políticos por cinco anos e multa no valor de duas vezes o dano ao erário, que ainda não foi calculado...

De política, JORNAL PEQUENO

Procuradoria eleitoral pede cassação de Pimentel e vice pela 2ª vez



A Procuradoria Regional Eleitoral de Minas (PRE-MG) apresentou nesta quinta-feira (8) o segundo pedido de cassação do governador Fernando Pimentel (PT) e de seu vice, Antônio Andrade (PMDB), por irregularidades nas contas de campanha. O pedido ainda precisa ser analisado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG). A campanha petista garantiu que cumpriu a legislação na prestação de contas.

Na representação, a procuradoria sustenta que Pimentel teria cometido diversas irregularidades, como ultrapassar o limite de gastos estipulado por seu partido em R$ 10,1 milhões, omitir despesas realizadas por outros candidatos que favoreceram a campanha do petista, emitir fora do prazo recibos eleitorais e deixar de registrar doações. Os argumentos foram os mesmos apresentados em dezembro pela PRE-MG e também entregues à Justiça Eleitoral, que ainda não se posicionou sobre o caso.

Uma das suspeitas apontada pela PRE-MG diz respeito à transferência de recursos feitas por Pimentel a seu Comitê Financeiro. “Ao invés de realizar os gastos diretamente, ele preferiu transferi-los ao comitê, correndo o risco de ultrapassar o limite de gastos”, aponta a procuradoria...

De Isabella Lacerda, O TEMPO


Conta de luz pode ter reajuste extra em 2015



Após reunião com a presidente Dilma Rousseff (PT), o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, disse que um reajuste extraordinário nas contas de luz não está descartado pelo governo. "É uma alternativa", admitiu. O ministro declarou que o aumento pode ter um grande impacto na inflação, mas disse que o Banco Central (BC) ainda não foi consultado sobre o assunto. "Nós ainda não discutimos qual será o cenário. Quando isso for definido, vamos conversar com a área pertinente. Aí, cabe ao ministro [da Fazenda, Joaquim] Levy fazer essa conversa", disse.

A jornalistas, o ministro também afirmou que o setor elétrico precisa de uma "solução estruturante" para 2015. Sobre essa saída, ele considerou que a sequência de empréstimos para o setor – que somaram 17,8 bilhões de reais em 2014 – não voltará a se repetir em 2015.

Apesar disso, Braga declarou que a presidente Dilma deu sinal verde para a negociação de um empréstimo com bancos públicos para solucionar uma dívida de 2,5 bilhões de reais das distribuidoras de energia. "A presidente Dilma deu sinal verde para que possamos avançar nos estudos", afirmou. "Ela está absolutamente informada sobre o tema, é um tema que ela domina", afirmou, acrescentando que uma nova reunião será marcada na segunda-feira. Até lá, os bancos públicos, como Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Caixa e Banco do Brasil serão consultados sobre a possibilidade do empréstimo, disse o ministro...

De economia, VEJA

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Lava Jato: capa da 'Playboy' revela como conheceu o doleiro Alberto Youssef



Taiana Camargo diz que foi a primeira a receber uma mensagem do doleiro, peça-chave da Operação Lava Jato, após a prisão; e garante: "Ele sempre foi um cavalheiro"

Capa da revista 'Playboy' de janeiro, Taiana Camargo revela na publicação, que já está nas bancas, como conheceu o doleiro Alberto Youssef, peça-chave da Operação Lava Jato, da Polícia Federal. As investigações chegaram a um esquema de pagamento de propina com a participação de empreiteiras de grande porte e de executivos da Petrobras.

O doleiro, que é casado, está preso desde março e, segundo a ex-amante, ela teria sido a primeira pessoa para quem Youssef mandou uma mensagem logo após a prisão. Nenhum contato foi feito depois, de acordo com Taiana.

Ainda segundo a entrevista, uma amiga de Taiana apresentou o casal. Eles jantaram no primeiro encontro e, segundo Taiana, o doleiro não avançou o sinal: "Ele sempre foi muito cavalheiro. Na primeira vez em que nos vimos rolou apenas um selinho."

Taiana conta em entrevista a 'Playboy' que descobriu depois de algum tempo que Yousseff tinha problemas com a Justiça, "mas ele disse que essas acusações eram isso, passado, e que eu estava sendo preconceituosa. Acabou me dobrando."

O ensaio de Taiana tem 21 fotos e a festa de lançamento acontece no dia 13, em uma casa noturna de São Paulo.

De política, ÚLTIMO SEGUNDO


Funcionários da Mercedes encerram greve no ABC; Volks continua



Terminou por volta das 5h30 desta quinta-feira (8) a paralisação de 24 horas dos funcionários da fábrica de caminhões e ônibus da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo (SP). A greve foi um ato em solidariedade aos 160 trabalhadores demitidos pela empresa em dezembro, após o fim do período de suspensão de contrato, o chamado layoff.

De acordo com o sindicato, a paralisação teve adesão superior a 90%, paralisando a produção. Uma nova assembleia está prevista para hoje.

Além dos demitidos, cerca de 100 colaboradores aderiram a um PDV, plano de demissão voluntária. Outra medida tomada pela montadora foi de prorrogar a suspensão do contrato de outros 750 funcionários até 30 de abril. Eles terão todos os custos assumidos pela empresa.

O sindicato diz ainda que, havia acordado com a Mercedes, em novembro, que a montadora prorrogaria o layoff de todos os 1.015 trabalhadores por mais cinco meses, até abril. Porém, 244 deles ficaram de fora. A entidade afirmou que parte dos funcionários aderiram ao PDV, porém, não sabe quantificar...

De auto esporte, G1

O mistério do último tuíte do Charlie Hebdo antes do ataque



A última postagem no Twitter feita pela revista satírica francesa Charlie Hebdo (@Charlie_Hebdo_) antes do ataque que matou 12 pessoas e deixou várias outras gravemente feridas se transformou em motivo de especulação na imprensa internacional.

O tuíte mostra uma charge do líder do grupo autodenominado Estado Islâmico, Abu Bkr al-Baghdadi e também uma frase misteriosa escrita no desenho: "Felicidades. Para você também, Al-Baghdadi". Na charge, al-Baghdadi é mostrado respondendo: "E principalmente boa saúde".

O tuíte tem como data e hora da publicação quarta-feira pela manhã, horário de Paris.

Mas não se sabe se foi enviado antes ou logo depois do começo do ataque contra o escritório da revista. O que se sabe é que foi postado antes de a notícia do ataque ser divulgada.

A edição impressa da Charlie Hebdo desta semana inclui uma charge com a manchete: "Não ocorreram ataques na França", mas um personagem usando um turbante e com um fuzil Kalashnikov nas costas afirma: "Espere - ainda temos até o fim de janeiro para desejar nossos melhores votos."Muitos especulam se o ataque estava relacionado de alguma forma com essa imagem. Na verdade, a charge não parece ter sido usada antes pela revista, mas também parece dar continuidade a um tema.

Na França é tradição desejar um feliz Ano Novo até o fim de janeiro...

De redação, BBC

Suspeito de envolvimento no ataque em Paris se entrega à polícia



PARIS - Um homem de 18 anos procurado pela polícia por envolvimento no ataque de quarta-feira à revista semanal de sátiras Charlie Hebdo entregou-se voluntariamente no nordeste da França, disse um funcionário da procuradoria-geral de Paris.

A polícia busca três cidadãos franceses suspeitos de envolvimento no suposto ataque jihadista que deixou 12 mortos: os irmãos Said Kouachi, nascido em 1980, e Cherif Kouachi, nascido em 1982, e Hamyd Mourad, nascido em 1996.

O funcionário da procuradoria disse que o suspeito mais novo se dirigiu a uma delegacia de polícia em Charleville-Mézières, no nordeste da França, na quarta-feira à noite.

A emissora BFM TV, citando fontes não identificadas, disse que o homem decidiu se entregar após ver seu nome nas redes sociais. A TV disse que outras prisões foram feitas em círculos ligados aos dois irmãos.

De John Irish e Tangi Salaun, REUTERS

Bancada do PMDB minimiza suposto envolvimento de Cunha na Lava Jato



Eduardo Cunha, líder da bancada do PMDB e candidato à presidência da Câmara dos Deputados, passou a manhã desta quarta-feira dando explicações aos apoiadores sobre a suposta inclusão de seu nome nas investigações da Operação Lava Jato. Peemedebistas reforçaram o discurso de que Cunha não aparece nas delações premiadas e que não há riscos para a candidatura do PMDB ao comando da Casa.

Em nome da bancada, o vice-líder do PMDB na Câmara, deputado Leonardo Picciani (RJ), saiu em defesa de Cunha e negou que o Ministério Público Federal vá pedir o aval do Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o parlamentar. De acordo com o jornal "Folha de S.Paulo", o policial federal Jayme de Oliveira Filho, que fazia entregas de dinheiro pelo doleiro Alberto Youssef, disse em depoimento que teria levado valores ao parlamentar em sua casa no Rio de Janeiro. Picciani disse que o policial, conhecido como "Careca", se referiu em depoimento a um homônimo do peemedebista.

De AE, ISTOÉ

Os metalúrgicos sofrem com a economia e se afastam do PT



Antes de quebrar financeiramente e de se ver diante de uma dívida milionária, Odair da Rocha era um ex-sindicalista em ascensão. Saíra de São Paulo casado com Raquel rumo a Santo André, no ABC paulista, onde se instalou na década de 1980. A vida de metalúrgico começou ali do lado, em São Bernardo do Campo, como ferramenteiro. Ele produzia moldes de peças usadas na fabricação de carros, geladeiras ou fogões. Passou pela Karmann Ghia, depois pela Semer. Acabou na Brastemp. Nas três empresas por onde passou, Rocha progrediu. Na Brastemp, tornou-se chefe. Em 1999, fase em que a indústria começava a terceirizar seus serviços, soube que a ferramentaria onde trabalhava seria vendida. Viu ali uma oportunidade de negócios. Reuniu suas economias e, com dois amigos, investiu R$ 150 mil na compra da empresa onde batera ponto por 20 anos. Patrão, passou a supervisionar 55 funcionários, que moldavam peças. Primeiro para a própria Brastemp, depois para outros fabricantes de eletrodomésticos. Com a produção em alta, ano a ano, seu negócio dava sinais de progresso. “Até que veio a invasão chinesa”, diz ele, hoje com 59 anos.

A importação das peças asiáticas tornou-se mais atraente para as empresas que compravam de Rocha. A ferramentaria passou a declinar, e o setor de peças como um todo também. Na transição do governo Lula para Dilma Rousseff, Rocha não resistiu. Sua ferramentaria quebrou. Os funcionários foram dispensados, os carros vendidos, a sociedade desfeita. Sobrou-lhe uma conta de milhões de reais a pagar, e ele não tem o dinheiro. “Foi o momento mais triste da minha vida”, diz. “Nunca usei cheque especial. De repente, me vi devendo um valor que nem se eu vendesse tudo teria como pagar.” Falido, Rocha voltou a ser empregado, na ferramentaria de um amigo. Ela também está à beira do precipício, e ele acabou demitido no começo do ano. A casa espaçosa em Santo André é o único patrimônio que lhe restou. Rocha e Raquel, de 58 anos, vivem hoje da aposentadoria.

O setor de peças tem um poder de resistência às intempéries da economia menor que as montadoras de carros. Em momentos de crise como 2008, ajustes de produção, demissões e incentivos do governo (como a redução de impostos para a compra de carros) atenuaram os danos econômicos para as montadoras. Nenhuma delas quebrou. O mercado melhorou, e a venda de carros bateu recorde em 2012. Foram 3,8 milhões de unidades vendidas no Brasil. Em 2014, uma nova crise se alastrou na indústria automotiva, respingou nas vendas, na produção e nos trabalhadores. “No fim de junho, chegamos ao fundo do poço nas vendas”, afirma Luiz Moan, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea)...

De Vinicius Gorczeski, ÉPOCA

FT ironiza: Mantega se despede com uma tarefa cumprida a desvalorização do real



Mesmo com a deterioração dos fundamentos econômicos brasileiros, Guido Mantega despede-se do Ministério da Fazenda com pelo menos uma tarefa cumprida: a desvalorização do real. “O homem reconhecido por ter tornado próprio o termo guerra cambial parecer ter vencido sua batalha para enfraquecer a moeda brasileira em meio a uma onda de capital especulativo estrangeiro”, ironizou o jornal britânico Financial Times (FT).

O real teve desvalorização de 12,69% ante o dólar em 2014, consolidando o quarto ano consecutivo de queda. Atualmente a moeda americana é negociada perto dos 2,70 reais, em comparação com o intervalo entre 1,50 e 1,60 reais vistos em 2011. Em 2015, a previsão é de que a moeda brasileira mantenha o mesmo comportamento, com o possível aumento das taxas de juros nos Estados Unidos e a redução gradual da atuação do Banco Central (BC) brasileiro no mercado de câmbio...

De economia, VEJA

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Ataque terrorista em Paris deixa ao menos 12 mortos



Pelo menos doze pessoas morreram nesta terça-feira em um ataque a tiros no escritório em Paris da revista semanal satírica Charlie Hebdo, que foi alvo de ataque no passado após publicar charges com piadas sobre líderes muçulmanos. Entre os mortos estão dez jornalistas e dois policiais. Segundo a polícia, cinco feridos estão em estado grave e o número de vítimas fatais pode aumentar. O presidente François Hollande foi até a sede da revista e convocou uma reunião de crise no palácio presidencial para as 11h de Brasília. As autoridades também anunciaram que a região parisiense foi colocada em estado de alerta máximo. "Os autores do atentado serão processados. A França está diante de um choque. É um ataque terrorista, é sem dúvida", disse Hollande.

Rocco Contento, porta-voz da polícia Unité, disse que os terroristas entraram em um carro que os esperava para fugir. O carro foi conduzido até Port de Pantin, no nordeste de Paris, onde foi abandonado. Os terroristas então roubaram o carro de um motorista e seguem desaparecidos. A polícia francesa montou uma grande operação para localizar os agressores. Contento também disse que o escritório da Charlie Hebdo teve a proteção aumentada nas últimas semanas por causa de novas ameaças contra a revista...

De internacional, VEJA